Pinhão: conheça algumas receitas práticas para incrementar o cardápio da sua festa junina

O pinhão é um ingrediente bastante presente na culinária do Sul. A semente da araucária é muito apreciada, principalmente, no inverno que é a época de consumo. O costume de comer pinhão veio das tribos indígenas que habitavam a região,  animais também se alimentam da semente, principalmente pássaros.

Muito tradicional nas festas juninas, o pinhão pode ser cozido ou assado. Além disso, é possível utilizá-lo para outras receitas como bolos, paçoca, doces, sopas, e acompanhamento de pratos e sobremesas. São diversas as utilizações do pinhão e nós trouxemos algumas receitas que podem servir de inspiração para sua festa, acompanhe:

Farofa de Pinhão

8044105877_3b18c363c0_o

Ingredientes

  • 200g de pinhão cozido
  • 100g de manteiga
  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 200g de farinha de mandioca

Pique os pinhões cozidos em cubos grandes e reserve. Em uma frigideira derreta a manteiga e frite a cebola picada. Quando a cebola ficar transparente, acrescente 2 dentes de o alho amassado. Coloque a farinha de mandioca, tempere com sal e pimenta. Finalize com cheiro verde e deguste com outros pratos, a dica aqui é misturar a farinha com algum tipo de carne, a combinação fica deliciosa.

Suflê de Pinhão

cheese souffle

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 cebola pequena
  • 2,5 ½ xícaras de chá de pinhão (1 xícara cozido e processado e 1,5 xícara cozido e cortado em rodelas)
  • 1 xícara de chá de leite
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo
  • 4 ovos
  • 4 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
  • Salsa (ou salsinha) a gosto
  • Cebolinha-verde a gosto
  • Sal a gosto
  • Pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Aqueça a manteiga em uma frigideira, frite a cebola deixando murchar e dourar. Acrescente o pinhão cozido, processado e cortado em rodelas, deixando-o refogar. Tempere com sal, pimenta-do-reino, salsa e cebolinha picados. Deixe esfriar. No liquidificador ou batedeira, bata o leite, a farinha de trigo e as gemas, as claras devem ser batidas separadamente em neve. Incorpore aos poucos o pinhão já refogado, acrescentando o queijo ralado. Junte suavemente as quatro claras batidas em neve. Despeje na forma para suflê, não esqueça de untar. Asse em fogo moderado (170 ºC a 190 ºC) por cerca de 20 minutos.

Arroz com Pinhão

pinion paçoca in the white plate

Ingredientes

  • 250 gramas de arroz
  • 500 gramas de pinhão cozido e descascado
  • 1/4 xícara de chá de azeite de oliva
  • 2 xícaras de chá de água
  • Sal a gosto

Modo de preparo

Lave o arroz em água corrente e escorra. Em uma panela, aqueça o azeite e refogue o arroz até começar a grudar na panela. Junte os pinhões picados, refogue por mais 1 minuto e tempere com sal. Adicione água quente, mexa bem e tampe a panela. Se necessário, acrescente mais água quente. Desligue o fogo e sirva em seguida.

Gostou das nossas receitas? Então, que tal experimentar servi-las na sua festa junina e compartilhar conosco a sua experiência?

Slow Fashion: entenda esse novo conceito dentro do mundo da moda

Agilidade e rapidez são as palavras que norteiam a maioria dos trabalhos atualmente, queremos tudo para ontem! Mas, alguns movimentos sociais surgiram justamente para fugir dessa lógica e empregar novas maneiras, novas formas mais “calmas” de enxergar a vida. Esse é um dos objetivos do Slow Fashion.

Shot of a Tailoring Mannequin that Stands in a Bright and Sunny Studio. Various Sewing Items and Colorful Fabrics Laying around, Mannequins Standing, and Sketches Pinned to the Wall.

 

Criado em 2008 por pela inglesa Kate Fletcher, o movimento é uma alternativa criada para unir moda e sustentabilidade e diminuir o consumismo, desperdícios e poluição. Essa tendência foi inspirada no Slow Food, e assim como em relação à comida, fala sobre ter maior consciência dos produtos que consumimos, tendo maior conexão com a forma que são produzidos e valorizando a diversidade e riqueza das nossas tradições.

Para ter uma ideia do quão elevado o consumo fashion pode ser, em 2014, a produção da indústria têxtil chegou a cerca de 6 bilhões de peças em todo o mundo, sendo o Brasil o dono do 4º lugar dos países que mais contribuíram para esse alto número. Produzimos todos os anos mais de 175 mil toneladas de resíduos têxteis, e apenas 4% deles é reciclada.

Essa produção massiva, além de incentivar o consumo desenfreado, nem sempre garante qualidade nas peças, o que gera um ciclo vicioso de compras. Isso também afeta o uso das matériasprimas, porque extraímos cada vez mais recursos para produzir mais roupas, e o descarte desses resíduos também é maior devido à alta produção.

A moda Slow Fashion propõe o oposto disso, veja algumas propostas:

  • Produção mais lenta e manual
  • Mais qualidade e exclusividade nas peças
  • Uso de produtos orgânicos como matéria-prima

O Slow Fashion busca reduzir o impacto negativo da produção em massa, seja na sociedade ou no meio ambiente. Incentiva pequenos negócios, ou negócios locais, onde é possível adquirir roupas feitas à mão, ou além de bazares, designers independentes e outros profissionais. Isso fomenta a economia local, que só tem a crescer cada vez mais com o estímulo comercial.

    

Beautiful young woman helping to choose clothes to her customer while working in the fashion boutique

Beautiful young woman helping to choose clothes to her customer while working in the fashion boutique

Uma das desvantagens para o consumidor é o preço das peças. A mão de obra empregada (muitas peças são feitas à mão) e a matériaprima acabam encarecendo o produto final, mas, ao fazer as contas, uma peça Slow Fashion compensa mais por conta de sua durabilidade, além de serem mais exclusivas.

O movimento Slow Fashion é mais uma das tendências do mercado da moda. Atualize-se e conheça essa e outras na Graduação em Design de Moda do Senac SC: http://senac.sc/24q8fF

Tainha recheada: conheça uma das receitas mais tradicionais do litoral catarinense

Inverno é sinônimo de frio, e em Santa Catarina isso também quer dizer que é a temporada de tainha. O peixe, muito consumido nesta época, é tradição em algumas famílias e restaurantes do litoral catarinense. Confira a tradicional receita de tainha recheada com farofa para saborear em casa:

Trout fish freshly baked in a foil with lemon slices and vegetables in an electric oven

Ingredientes para a tainha

  • 1 tainha de 2kg
  • Sal
  • Pimenta-do-reino
  • Alho
  • Limão

Ingredientes para a farofa

  • Ovas de tainha em pedaços
  • 2 ovos cozidos e picados
  • 1 tomate picado
  • 1/2 cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • 1/2 xícara de azeitonas picadas
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • Sal e pimenta
  • Farinha de mandioca a gosto
  • Batatas cozidas para decorar

Preparo

Para temperar o peixe, misture o sal, a pimenta-do-reino, alho e o suco do limão; faça furinhos no peixe com uma faca e espalhe o tempero por todo peixe. Reserve por 30 minutos.

Enquanto o peixe descansa com o tempero, aproveite para fazer a farofa que será usada para rechear a tainha. Aqueça o azeite em uma frigideira, frite o alho e a cebola. Acrescente os temperos, sal e pimenta, com o tomate e as ovas em pedaços. Quando as ovas estiverem bem cozidas, coloque os ovos e azeitonas picados. Por último, adicione a farinha de mandioca e misture bem. A quantidade de farinha de mandioca depende do seu gosto, mas o ideal é a que a farofa fique úmida para dar mais sabor ao peixe.

Forre uma assadeira com papel alumínio e coloque a tainha, acrescente o recheio e feche as beiradas com palitos de dente. Cubra tudo com o papel alumínio e leve ao forno por 50 minutos. Para acompanhar, adicione batatas cozidas e retorne ao forno até dourar.

Agora é só testar a receita em casa para se deliciar com uma tainha recheada neste inverno!

Ensino híbrido: entenda sobre essa nova metodologia de ensino

 

O ensino híbrido, ou blended learning, mescla o ensino tradicional e o ensino a distância, potencializando a aprendizagem através da combinação dos aspectos positivos de ambos. Esse formato acrescenta a tecnologia como um recurso de estudo e coloca o aluno como protagonista do próprio aprendizado, valorizando todos os ritmos e formas de aprendizagem.

As formas de aplicar o ensino híbrido, onde a questão principal é o planejamento, devem ser muito bem preparadas para integrar o digital ao presencial sempre que necessário ou benéfico para o contexto do conteúdo. Alguns modelos de ensino híbrido já são utilizados no meio acadêmico:

  1. Rotação por estações: o trabalho é dividido em estações e cada uma tem um objetivo diferente, porém, todas estão conectadas para atingir o propósito final da aula. Os alunos devem passar por todas as estações, mas elas funcionam de forma independente e cada uma deve produzir a sua conclusão.
  2. Rotação individual: muito semelhante à metodologia anterior, porém agora cada aluno tem um roteiro de estações personalizado e cabe a ele decidir quais são as mais relevantes de acordo com a sua forma de aprendizado.
  3. Laboratório rotacional: nesse modelo as turmas são divididas em duas e cada uma é encaminhada para uma atividade. Por exemplo, em uma aula de física, metade da turma vai para um espaço aprender de forma prática o conteúdo, enquanto a outra vai para um laboratório de informática para aprender a teoria. Depois, as turmas trocam os ambientes e assim passam pelos mesmos conteúdos de formas diferentes.
  4. Sala de aula invertida: nessa metodologia os alunos estudam o conteúdo antes da aula, permitindo que sejam mais ativos na busca de conhecimento. Após a pesquisa, toda a turma compartilha seus conhecimentos.

O ensino híbrido é muito interessante pois estimula que o aluno pense de forma mais ampla e crítica, envolvendo-os no processo de aprendizado e facilitando a assimilação de conhecimentos. Para os professores, as possibilidades são inúmeras. O plano pedagógico, o ambiente e a gestão do tempo podem ser usados para favorecer a interação, colaboração e envolvimento dos alunos com o tema. Utilizando a tecnologia para inovar a metodologia de ensino, as aulas tendem a ser muito mais interativas já que o uso de outros formatos, como vídeos, exercícios online, podcasts, entre outros é adequado.

Segundo pesquisadores, o ensino híbrido deve ser o futuro da educação e, aos profissionais da área, cabe se reinventar e promover esse método para fomentar cada vez mais a aprendizagem onde professor e aluno sejam figuras ativas em todo processo.

Conheça a primeira geração completamente digital e saiba o que o futuro lhes reserva

Os baby boomers são a geração nascida entre 1946 e 1964. Já a geração X é composta pelos nascidos entre 1965 e 1979. Então vieram os millennials, nascidos entre 1980 e 1996, seguidos da geração Z, nascidos entre 1997 e 2010. Agora, nos deparamos com uma nova geração: a alfa, formada pelos filhos dos millennials. Essa geração já veio ao mundo 100% conectada e com pouco ou nenhum contato com o mundo analógico.

O instituto de pesquisa americano Pew Research Center afirma que estudar as gerações é importante para entendermos como acontecimentos globais, sociais e econômicos relacionam-se para compor nossa visão de mundo. A geração alfa (ou alpha), formada por nascidos a partir de 2010 – ano do lançamento do iPad, vive em um universo constantemente conectado a diferentes telas e à internet. É através delas que conhecem o mundo.

Segundo a pesquisa, os alfas são criados em famílias com maior equilíbrio entre vida pessoal e profissional, o que possibilitará melhores perspectivas em relação às gerações anteriores. Não se trata apenas de perspectivas financeiras, mas também em relação à qualidade de vida, educação e oportunidades no mercado de trabalho.

Em contrapartida, por nascerem em uma época 100% tecnológica, esses indivíduos têm maior tendência a desenvolver alguns problemas, como, por exemplo, com comunicação interpessoal. A interação pessoal será menor e, por consequência, o envolvimento social com amigos e em grupos também. Além disso, podem sofrer com déficit de atenção, problemas oftalmológicos e dores devido à má postura.

Por outro lado, a alta conectividade pode auxiliar na criação de uma geração mais produtora e engajada, contribuindo para o empreendedorismo com novos produtos, serviços e produção de conteúdo, e trabalhando em cargos convencionais e até em profissões que ainda não existem.

Ainda não sabemos até quando as crianças nascidas a partir de 2010 serão denominadas de alfa, o que sabemos é que essa geração trará grandes descobertas tecnológicas e novos conhecimentos num futuro próximo.

Máscara de argila: conheça os diferentes tipos e saiba como utilizar

Todos os dias somos expostos à poluição e outras substâncias que podem danificar e contribuir para o envelhecimento da pele. Por isso, cuidar da pele é mais do que estética, é saúde para seu corpo, afinal é ela que reveste e protege todo o organismo.  Para auxiliar nesses cuidados do seu corpo, alguns hábitos podem fazer parte da sua rotina, como o uso de máscara de argila. Esse procedimento proporciona diversos benefícios à pele, promove a hidratação, ameniza linhas de expressão, reduz a acne e, o melhor, pode ser realizado em casa de modo fácil. Além disso, em pouco tempo de aplicação é possível observar bons resultados na pele.

A aplicação das máscaras de argila vai muito além do rosto, elas podem ser utilizadas em outras regiões do corpo. Conheça os tipos e as indicações conforme as diferentes cores de argila:

VERDE – ela promove a limpeza de impurezas e toxinas da pele, tem ação anti-inflamatória, estimula a circulação sanguínea e linfática, é um esfoliante suave, desintoxica e regula a produção das glândulas sebáceas. Por ter essas propriedades, ela é muito utilizada em peles oleosas e com espinhas, mas funciona também para tratar celulites e clarear a pele. Veja como ela pode ser utilizada no vídeo abaixo:

 

AMARELA – funciona como um ótimo rejuvenescedor por causa da presença do silício em sua composição. Funciona como catalisador para a produção de colágeno, o que aumenta a elasticidade da pele. Ela também é adstringente, desintoxicante, purificante e tem ótima ação cicatrizante, podendo ser usada em ferimentos para acelerar o processo de cicatrização. Pode ser usada nos cabelos para regular a oleosidade do couro cabeludo, promover o crescimento dos fios e desobstruir os folículos capilares.

BRANCA – é considerada a mais leve entre todos tipos de argila. Ajuda na remoção de manchas, ameniza acnes e rugas da pele, controla a oleosidade da pele. Faz muito bem para o cabelo porque ajuda a hidratar e nutrir o couro cabeludo graças ao estímulo à produção de queratina nos cabelos. No corpo, a argila branca funciona como um desintoxicante natural, que catalisa as funções metabólicas do organismo, por isso ela é muito utilizada para auxiliar na redução de gordura localizada.

CINZA – ela é ótima para quem tem pele oleosa, acne e cravos devido ao ph dela ser mais alcalino. É uma ótima aliada contra o envelhecimento precoce devido à ação antioxidante, que melhora a flacidez da pele. No cabelo também pode ser usada, mas é indicada em casos mais graves de oleosidade, porque em outros tipo de cabelo pode acabar provocando o ressecamento.

MARROM – possui efeito rejuvenescedor e combate à acne. Pode ser utilizada no rosto, no corpo e também no cabelo. Ela é ótima para peles e cabelos oleosos e ajuda o cabelo a crescer mais rápido, além de hidratá-lo profundamente. É considerada mais rara devido às grandes concentrações de titânio, silício, alumínio e oligoelementos.

PRETA – muito utilizada na limpeza de pele, ela tem alto poder purificante, ajudando a reduzir os efeitos da poluição. Além de auxiliar na desobstrução dos poros da pele, é poderosa para diminuir manchas e dar uma luminosidade natural. Também ativa a circulação, é adstringente e renova as células. Possui efeito cicatrizante, antiinflamatório, tensor e desintoxicante.

VERMELHA – ótima para tratar linhas de expressão e rugas, a argila vermelha é rica em oligoelementos, silício e ferro. Recomendada para peles sensíveis, pois regula a microcirculação cutânea, tem efeito regulador e tensor. Pode ser utilizada para auxiliar a cicatrização de machucados também.

Se você tem interesse por essa área de estética e cosmética, invista no seu futuro com a graduação Senac SC. Aproveite o vestibular 2019/2 e inscreva-se: http://senac.sc/LA56KW

 

5 dicas para manter a mente ativa diariamente

Se você deseja manter sua mente ativa, esqueça as palavras cruzadas. Brincadeiras à parte, as palavras cruzadas podem ser um ótimo exercício, desde que sejam realmente um desafio. Neste sentido, não estamos falando somente em dificuldade, mas sim de ser uma tarefa nova que exija um esforço da sua mente.

Segundo pesquisadores de neurociências da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a acomodação é um dos piores fatores para a longevidade, já que para manter a mente ativa é preciso estímulo com novas experiências. Por isso, as palavras cruzadas podem ser ótimas no início, mas depois que você aprende e se adapta a resolver os desafios, elas acabam se tornando apenas um exercício rotineiro e deixam de ser desafiadoras.

Nosso país terá uma das maiores prevalências de Alzheimer na América Latina, segundo dados da OMS. Para evitar esse tipo de doença, é importante se manter intelectualmente ativo e fazer com que alguns hábitos façam parte do nosso dia a dia. Aprenda coisas novas, desafie o cérebro diariamente. Ter a mente ativa é importante para uma longevidade saudável, afinal, sua mente precisa de cuidados tanto quanto seu corpo. Além do aprendizado constante, outros fatores são essenciais para manter a mente saudável, como:

  • Praticar atividade física regularmente;
  • Ter uma alimentação saudável, com bastante variedade de carnes, vegetais e gorduras saudáveis;
  • Ter um sono controlado, nem pouco nem muito, mas a quantidade que seu corpo precisa para descansar;
  • Escutar música, ela ativa todas as partes do cérebro, tanto para quem escuta quanto para quem toca um instrumento;
  • Desligar sua mente em alguns momentos do dia, ansiedade e stress são tóxicos para o cérebro.

Além disso, existem alguns exercícios diários que podem ajudar a exercitar mais ainda sua mente, confira alguns deles:

1) Escove os dentes com a outra mão

Pode parecer uma atividade trivial do seu dia a dia, mas quando realizada de outra forma estimula muito mais o seu cérebro, pois você é obrigado a utilizar o lado contrário dele para realizar a tarefa.

2) Coloque novidades na sua rotina

Se você costuma levantar, trocar de roupa e tomar café, por exemplo, troque a ordem, faça primeiro o café e depois troque-se. Isso pode ser feito com outras atividades, como levar o cachorro para passear em outros locais, incluir novos alimentos no seu café da manhã, o importante é ter uma novidade. Novas tarefas ativam grandes áreas do córtex, ocasionando grandes níveis de atividades cerebrais em várias partes distintas. Esse efeito diminui quando alguma atividade se torna rotineira ou automática, por isso, varie sua rotina.

3) Experimente alimentos tampando o nariz

Como a maior parte do paladar depende do olfato, fazendo isso você estimula outros sentidos e utiliza diferentes circuitos cerebrais, podendo perceber novas texturas e consistências.

4) Exercícios neuróbicos musicais

Leia um livro em voz alta, depois tente contar a história sem ler, cante e ouça uma música e tente adivinhar os instrumentos. Cantar e ler em voz alta, além de liberar endorfina, promovem a interação entre o lado direito e esquerdo do cérebro, ativando circuitos que quase não são usados.

5) Mude as coisas de lugar

Altere os ícones da pasta de trabalho, reorganize seus livros na estante, estacione o carro em lugares diferentes, mude os objetos da sua casa de lugar. Ao mudar a localização de objetos familiares, aqueles que você normalmente pega sem pensar, você reativa as redes de aprendizado espacial. Áreas visuais e sensoriais do cérebro voltam a funcionar para reajustar mapas internos.

Gostou das dicas? Você pode testar outras formas de manter a sua mente ativa, como alguns aplicativos de celular. Coloque em prática e não deixe de exercitar sua mente!

Sessão nostalgia: você reconhece alguns eletrônicos dos anos 90?

O que você estava fazendo nos anos 90? A época do grunge, punk rock, axé, pagode e funk. A moda era outra história, as calças de cintura baixa, o xadrez em alta e as jaquetas de couro. A tecnologia também não ficou para trás, pelo contrário, tivemos grandes mudanças nessa área, principalmente em relação a aparelhos muito comuns no cotidiano. Vamos relembrar alguns deles?

1) Discman

A black CD player with headphones on an orange background

As boy bands faziam sucesso nos anos 90 e eram sucesso nos dispositivos de reprodução musical, como o discman, um dos primeiros suportes de música portátil. Antes disso, existiam apenas os tocadores de fita cassete ou as rádios. O aparelho foi lançado em diversos modelos e cores.

2) Câmera Fuji DS-200F

8620074756_edebbd0397_z

Essa câmera revolucionou no modo de guardar as fotos. Antes o gasto de bateria com o armazenamento era grande, mas essa foi a primeira câmera capaz de salvar fotos em um dispositivo específico, como uma memória flash. Isso foi importante para a evolução da fotografia, visto que esse é o método mais comum de armazenamento hoje me dia.

3) Nokia 5120

White color cell phone isolated
Lançado no fim dos ano 90, esse modelo foi o primeiro telefone celular com o “Snake”, o famoso jogo da cobrinha. Para a época a grande novidade foi o tamanho da tela que permitia jogar no aparelho, antes as telas eram menores e mostravam apenas os números digitados ou da ligação recebida. Compare com as telas de hoje em dia, veja a diferença e o quanto evoluímos nesse quesito. Além disso, a antena fixa fazia parte do design do aparelho. O celular enviava SMS de 160 caracteres (menos que um tweet hoje em dia), armazenava 100 contatos, tinha chamada em espera e calculadora.

4) Super Nintendo

Video game. Vector flat illustration.

Responsável por popularizar um dos jogos mais famosos no mundo dos games, o Super Nintendo foi lançado em 1991 juntamente com o jogo Super Mario World, que foi um dos jogos mais vendidos da plataforma com 20 milhões de unidades. Outros jogos também ficaram marcados na história, como Zelda, Donkey Kong, Super Bomberman e Top Gear.

Em 2017, a Nintendo anunciou uma versão mini e nostálgica do videogame. O aparelho mantém o design original, mas com algumas modernidades para se adaptar aos novos tempos. A desvantagem é que o novo console não conta com suporte para cartuchos, ele vem com 21 jogos gravados na memória.

5) Tamagotchi

Old orange retro vintage antique hipster electronic toy tamagochi in the form of an egg, from the 80's, 90's for grooming a pet on a black background. Vector illustration.

Old orange retro vintage antique hipster electronic toy tamagochi in the form of an egg, from the 80’s, 90’s for grooming a pet on a black background. Vector illustration.

 

Quem nunca perdeu um bichinho virtual que se pronuncie! O Tamagotchi era um pequeno aparelho eletrônico com um jogo onde você tinha um pet virtual e deveria cuidar dele, alimentá-lo, dar banho, carinho, brincar, entre outras tarefas. O bichinho durava cerca de 20 dias e depois disso reiniciava. Foi um grande sucesso, uma febre entre os jovens. De acordo com o fabricante foram vendidas mais de 82 milhões de aparelhos. Em 2017 a marca relançou uma nova versão em comemoração aos 20 anos, o aparelho manteve o design original e metade do tamanho original da primeira versão.

Gostou de relembrar algumas das tecnologias que foram novidades nos anos 90? O bacana é comparar com a atualidade e ver o quanto mudamos e evoluímos em pouco tempo.

Aprenda a fazer cuca alemã com ameixa e adoce seu dia

A cuca é uma das receitas mais tradicionais da culinária alemã. São diversas opções de sabores, já que existem muitas frutas que podem ser utilizadas, basta usar a criatividade. Dentro dessa variedade, escolhemos uma para compartilhar com você como é o preparo: a “Pflaumenkuchen” ou cuca de ameixa. A massa é simples, a base de farinhas, ovo, açúcar e fermento, mas existem algumas pessoas que fazem com uma massa similar ao pão ou à massa podre. Também é possível adicionar a farofa por cima.

Confira a receita:

photo

Cuca de ameixa

Ingredientes:

  • 40 g de fermento fresco
  • 250 ml de leite morno
  • 100 g de açúcar
  • 500 g de farinha de trigo peneirada
  • 1 pitada de sal
  • 1 ovo
  • 75 g de manteiga
  • 2 kg de ameixas pretas sem semente cortada em gomos

Preparo:

Misture o fermento fresco com o leite morno e o açúcar, deixe descansar por alguns minutos. Após 10 a 15 minutos, coloque a farinha e o sal numa tigela e adicione a mistura do leite. Acrescente ovo e a manteiga,  sove a massa até ficar homogênea. Deixe descansar por pelo menos 30 minutos.

Espalhe a massa numa forma retangular, deixe o centro mais baixo que as laterais para colocar os gomos das ameixas em pé. Espalhe um pouco de açúcar por cima das ameixas e deixar descansar por 10 minutos. Asse no forno pré-aquecido a 200°C por aproximadamente 25 a 30 minutos.

pflaume-2

Uma dica é servir a cuca com chantilly ou sorvete, isso deixa a degustação melhor ainda. Essa receita é do chef Haiko Gabrolle, responsável pelo delicioso cardápio do Senac Blumengarten. Venha conhecer o espaço! Faça sua reserva e experimente nossos pratos: http://senac.sc/8PJjBTphoto

Dicas para reutilizar o pó de café no seu dia a dia

O Brasil é um dos maiores consumidores de café no mundo, somos o segundo maior de acordo com a Embrapa Café. Além dos altos números de consumo, o café também é mundialmente reconhecido por seus benefícios, seja no funcionamento do nosso corpo, ou até melhorando nossa atividade cerebral.

O café ajuda a evitar doenças como cirrose e câncer de fígado, além de melhorar o funcionamento desse órgão. Quando você está cansado costuma tomar um cafezinho para acordar, pois a bebida afeta sua atividade cerebral de forma positiva, melhora o humor, energia, memória, tempo de resposta e funcionamento cognitivo geral. Além disso, ela estimula o metabolismo e é fonte de nutrientes importantes, como fósforo, manganês e magnésio.

Mas você sabia que além de saborear essa bebida, é possível também aproveitar o pó depois de passado? Ele pode ser usado em casa ou até em procedimentos estéticos. Veja de quais formas você pode reutilizar:

Confira estas dicas para reutilizar a borra do café em casa:

  1. Se você quer evitar formigas e outros insetos em suas plantas, basta colocar o café na terra dessas plantinhas. Além de afastar esses invasores, ele ainda serve como um fertilizante.
  2. Elimine odores da sua geladeira e armários com o pó de café. Para isso, basta colocá-lo em um pote no ambiente onde que você deseja eliminar o mau cheiro.
  3. Você pode usar o café como um corante natural. Ele pode servir para tingir camisetas e fazer pinturas, basta diluir o pó e usá-lo como tinta.
  4. Produza velas caseiras com o café. Você vai precisar de um pequeno copo, uma toalha de papel, cerca de um copo de cera de velas já derretidas, um pavio, uma tesoura, uma pequena panela para derreter a cera, uma tigela de vidro pequena e pó usado.
  5. Use como um esfoliante corporal ou facial. Devido à granulação do pó, ele remove as células mortas da pele ao fazer a esfoliação, deixando-a mais macia e suave.
  6. Outra dica de beleza: se você utilizou muitos produtos em seu cabelo e acabou ficando com um aspecto pesado, pode usar o café para recuperar o brilho natural. Basta esfregar o pó nos fios antes de lavá-lo.
  7. Utilize o pó para esfregar panelas que possam estar com crostas de queimado. Ele ajuda a eliminar restos de gordura e ajuda a tirar a sujeira das panelas.
  8. Espalhe o pó no pelo de seus bichinhos para evitar pulgas. Além disso, você evita o uso de produtos químicos em seus pets.

Gostou dessas dicas? Agora é hora de colocar em prática e ver outras formas de consumir o café muito além da ingestão!

Saúde e redes sociais: como o uso moderado pode ajudar no seu bem – estar

Você já parou para contar quantas horas passa nas redes sociais? Para checar, faça um teste ou consulte seus aplicativos e veja quantas horas por semana você permanece conectado nas redes sociais. O resultado pode estar interferindo diretamente na sua saúde.

Foi baseado nesse sentimento que o cientista da computação, Jaron Lanier, lançou um livro chamado Dez Argumentos para Você Deletar Agora Suas Redes Sociais. De acordo com algumas pesquisas e na experiência vivida dentro do Vale do Silício, Jaron explica no livro como a internet altera o comportamento das pessoas, através de conteúdos e discussões que afetam os relacionamentos e a saúde mental dos usuários.

Conheça alguns dos argumentos que o livro expõe como nocivos e que são propagados pelas redes sociais.

  1. As redes sociais nos restringem em alguns aspectos.
  2. Elas expõem um lado mais irresponsável do mundo.
  3. Estimulam comportamentos desrespeitosos.
  4. Não compartilham sempre a verdade dos fatos.
  5. Podem desvirtuar o que você diz.
  6. Não incentivam a empatia.
  7. Induzem comparações superficiais e desnecessárias. e
  8. Algumas redes não fomentam discussões produtivas e qualificadas.
  9. Podem interferir diretamente na saúde emocional.

Esses comportamentos são bem presentes em qualquer rede social. Por isso, reduzir o tempo de uso pode ser positivo para sua saúde. Segundo um estudo da Universidade de Stanford, em Nova York, usuários sentiram aumento do bem-estar, melhora na socialização e redução da polarização política quando pararam de usar o Facebook, por exemplo.

Impactos positivos na redução do uso das redes sociais

  • Mais felicidade
  • Satisfação de vida
  • Maior socialização interpessoal presencial
  • Diminuição nos sintomas de depressão e ansiedade
  • Maior foco na realização de atividades
  • Diminuição dos sintomas de stress

Fica o alerta de que a maneira e o que você consome nas redes sociais pode refletir na sua saúde  e sensação de bem-estar. Por isso, o ideal é que você filtre os conteúdos que deseja visualizar no seu feed e possa detectar aqueles que afetam ou mexem com você de forma negativa.

Que tal fazer um teste? Reduza o seu tempo dedicado às redes sociais e se dedique a outras atividades. Conte para nós o que mudou no seu humor, disposição e dedicação para o dia!