Em meio a correria, muitas vezes deixamos de lado a importância de seguir os devidos cuidados com relação a nossa saúde mental.

Confira pequenas práticas que farão a diferença na hora de manter ou identificar riscos a sua saúde mental.

Fique atento aos fatores:

Medo, insegurança, trauma, relacionamento tóxico, situação financeira, uso massante de redes sociais ou problemas no trabalho, podem ser alguns dos propulsores de doenças tanto físicas como mentais.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) o Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas, que representa 5,8% da população. Lembrando que, depressão, é apenas uma das doenças mentais registradas.

Mas o que podemos fazer para nos mantermos saudáveis mentalmente, ou identificarmos um ponto de atenção?

Pode ser um grande desafio, mas existem algumas questões que podemos trabalhar e questionar, ajudando inclusive a identificá-las posteriormente. Por isso, convidamos a professora do Senac e Psicóloga Jackie Kaufman – CRP 12/06932 , para apresentar 7 dicas que poderão auxiliar nessa caminhada.

  • Desconfie das suas emoções. Saiba que elas exageram e mentem diante de alguma situação que nos causa medo. Dizem para nós aos berros, que “não há mais luz no fim do túnel, que tudo acabou, que vai dá tudo errado. Aí a ansiedade cria raízes.
  • Pergunte-se sempre que estiver numa situação difícil: “Minhas emoções estão de acordo com a situação, ou estão exageradas?”. O fato de você apenas fazer a pergunta, já vai acontecer uma descompressão interna, uma vez que, dessa forma, você vai abrir a possibilidade do exagero.

Analise:

  • Você é um ser sistêmico. Não existe esse negócio de cuidar só de uma área da vida. Está tudo interligado: Corpo, mente, emoções.
  • Perceba-se um ser inteiro. À medida que você cuida das emoções, seu corpo responde com força, motivação e alegria. O inverso também é verdadeiro. Quando você se olha com carinho, cuida da alimentação, ou faz exercícios físicos, seu corpo funciona melhor, seu metabolismo vibra e suas emoções se encharcam, de motivação, coragem e força, o que acaba dando abertura para aprender e tomar decisões no intuito de crescimento e transformação.

Foque no agora:

  • Esteja no presente. É no aqui e agora que a vida acontece. Ficar voltado para o passado, lutando internamente para que o que aconteceu “e se não tivesse acontecido”, lhe tira a oportunidade de aprender com tudo o que aconteceu e de ganhar forças para fazer diferente. E isso, contribui para a depressão. Depressão é excesso de passado. Portanto viva hoje.
  • Preste atenção. Fique atento aos sinais que seu corpo e comportamento transmitem.

Permita-se:

  • Movimente-se em direção à vida e não em direção à morte. Essa morte é a morte de sonhos, de energia, de esperança, de crescimento. Um movimento em direção à vida tem presença e celebração, tem sonhos, metas e desenvolvimento pessoal. Assim o olhar é para dentro, pro agora e para frente.  Tudo o que aconteceu foi da forma como deveria ter sido, até porque já foi e nada pode ser feito. Conseguir aprender com as experiências, nos torna resilientes.

Não esqueça de buscar auxílio médico!

Não basta apenas tentar levar a vida numa boa, pois muitas situações acabam nos atingindo de certa forma, e não temos a obrigação de sermos fortes o tempo todo. Por isso, não se prive de buscar auxílio médico, para se manter saudável mentalmente, ou entender que necessita de ajuda.

Terapias com psicólogos ou psiquiatras, ajudarão nesse processo, incluindo o fator de que, dependendo da situação, irá requerer o uso de medicamentos.

Por isso, pratique o autocuidado, previna-se, cuide-se e permita que possa ser ajudado caso não consiga sozinho, afinal, não estamos sozinhos nessa jornada chamada vida.

Publicações Relacionadas