Em um ambiente de trabalho cada vez mais competitivo, você saberia dizer como a gestão positiva pode auxiliar no alcance de grandes resultados? Se a sua resposta foi negativa, continue a leitura e confira os diferenciais deste modelo de liderança.

Para começar, imagine um colaborador proativo, capaz de influenciar, cobrar resultados sem hostilidade e ainda encontrar soluções criativas para os desafios cotidiano. Pensou? Essas quatro características unidas ao autoconhecimento fazem parte desse estilo de gestão, voltado ao desenvolvimento do capital humano empresarial.

Seu objetivo é trazer à tona os pontos fortes de cada profissional, com foco nas competências e experiências adquiridas no decorrer de sua trajetória. Como resultado, os índices de burnout, rotatividade e absenteísmo se tornam menores, colaborando para a promoção de uma cultura positiva e o crescimento de todos.

Apesar de parecer uma tarefa fácil e até mesmo natural, os desafios muitas vezes levam à desunião do time. Para conduzir, empoderar e inspirar os colaboradores nesse momento, algumas técnicas de gestão positiva podem colaborar, sendo:

  • Investir nas qualidades humanas ao invés de focar na melhora dos pontos fracos;
  • Estabelecer um propósito comum associado aos valores pessoais de cada colaborador para o alcance dos resultados;
  • Estimular as boas relações, o aprendizado constante e o bem-estar para manter um ambiente de trabalho mais colaborativo e resiliente;
  • Delegar atividades para que os colaboradores desenvolvam sua a autonomia;
  • Manter uma rotina de feedbacks para que a melhora do desempenho seja constante.

Gostou desse conteúdo? Aproveite para curtir nossa página no LinkedIn e acompanhe tudo o que acontece no Senac Santa Catarina.

Publicações Relacionadas