Autor: blogsenac

Internet móvel 5G: entenda como ela pode mudar a sua conexão

Quantas horas você passa conectado por dia? Diante de tantas ferramentas disponíveis, o acesso à internet tornou-se fundamental na rotina da população. Com isso, por mais que a banda larga esteja acessível em muitos lugares, a internet móvel passou a ser uma alternativa bastante adotada por quem pretende assegurar o acesso a qualquer momento. Para essas pessoas, a chegada da conexão 5G pode trazer grandes benefícios, entre eles, o tão requisitado aumento da velocidade. 

Como funciona a 4G atualmente

Se falássemos de inovação alguns anos atrás, a internet 4G certamente seria um bom exemplo. Com um aumento significativo na velocidade, chegando a ser até 100 vezes mais rápida que a geração anterior, logo ela conquistou uma grande legião de adeptos. Mas você sabe quais foram as alterações? Ao propor maior cobertura, a internet 4G possibilitou uma melhorias na conexão em comparação à internet 3G, além de permitir um grande número de dispositivos simultaneamente conectados na rede, sem que a mesma seja prejudicada. Isso foi oferecido como uma novidade para os consumidores, já que nas versões anteriores a queda do sinal era comum em locais movimentados.

O que irá mudar com a internet 5G

Assim como a chegada da internet 4G, as mudanças propostas pela sua sucessora prometem revolucionar a rotina da população. Uma das maiores expectativas é o aumento da velocidade: se até então a sua rede conseguia alcançar até 100 Mb/s (Megabits por segundo), com a 5G será possível ter uma internet móvel de até 5 Gb/s. A nova opção permite uma variedade de aplicações com mais tráfego de dados, como se fosse uma banda larga.

Outra mudança que pode agradar ao usuário é a diminuição do tempo de latência. Se com a 4G esse intervalo costuma chegar a 50 milissegundos, na 5G ela passa a funcionar com base em 1 milissegundo. Na prática, essa mudança altera o tempo de resposta da conexão diante do comando do usuário, algo que é naturalmente mais lento em internet móvel. Essa característica ajuda a reduzir o consumo de bateria visto que a conexão acontecerá de forma mais rápida e automatizada, ou seja, a velocidade de resposta entre a ação do usuário e o funcionamento propriamente dito será mais rápida, o que aumentará a duração da bateria.  

Quando essa inovação chega ao Brasil?

Os testes para a implementação da internet 5G circulam por vários países do mundo, principalmente na China, Coreia do Sul e Estados Unidos. Por isso, a expectativa é que esses sejam os primeiros locais a disponibilizar o recurso. No Brasil, algumas operadoras já estão investindo na implementação, com a perspectiva de oferecer ao público ainda no próximo ano.  

O que é Growth Hacking e como ele ajuda no crescimento das empresas?

Todo negócio tem oportunidades de crescimento, mas nem sempre elas são identificadas e aproveitadas sem uma ação de Growth Hacking. Por meio desse processo, são identificados os pontos fracos e fortes de uma empresa e as melhores estratégias para aprimorá-los. Para isso, cada pequeno detalhe é visto como uma oportunidade, e a cada teste novas sugestões de melhorias são mapeadas. Por fim, o termo se baseia em unir o marketing com a criatividade e tecnologia, onde cada carência é colocada como uma nova possibilidade de alcançar o sucesso.

Como funciona o Growth Hacking na prática?

Cada empresa possui uma maneira específica de adotar o Growth Hacking, por isso é importante a escolha de profissionais qualificados que consigam encontrar a maneira ideal de promover o crescimento esperado. Durante a implementação, o primeiro passo é traçar as metas que a equipe espera serem alcançadas. Com isso, é feita uma análise de dados, onde são encontradas as brechas que podem ser transformadas em novas oportunidades. Uma entrevista com o público consumidor, por exemplo, é uma alternativa que pode render um grande mapeamento.

Existe também a função de Growth Hacker, uma pessoa especializada que faz uma espécie de consultoria para identificar esses pontos de melhoria dentro do seu negócio. Isso pode ser feito com base em dados de pesquisa de comportamento do público e análises de desempenho do trabalho atual que está sendo executado. Com dados em mãos, o profissional Growth Hacker elabora uma lista de ideias que podem ser implementadas para que a empresa explore cada chance. Mas não termina por aí! Antes de aplicá-las de forma definitiva, todas são testadas por um período e adaptadas ao longo do tempo, para que, assim, as melhorias possam ser constantes. Imagine uma empresa que pretende alcançar um número maior de clientes. Nesse caso, um Growth Hacker pode planejar estratégias que incentivem o público a compartilhar conteúdo da empresa pelas redes sociais, e assim, estimular o fortalecimento para a consolidação da marca.

A importância dos feedbacks

Assim como os dados coletados no início do processo, após cada implementação é fundamental levar em consideração as respostas dos clientes. Dessa forma, além de saber se a estratégia obteve resultados positivos, as sugestões recebidas podem ser vistas como um gatilho para novas propostas. Até porque, o objetivo do Growth Hacking é promover a melhoria contínua e, como consequência, o crescimento da empresa.

Algumas ferramentas que podem melhorar os resultados

Promover um contato virtual com o cliente abrange diversas estratégias que podem aproximá-lo e fazer com que ele compartilhe a sua marca entre conhecidos. Para isso, é fundamental uma frequência de publicações que interessem o seu públicoalvo, como por exemplo, um blog de conteúdo. Ações como SEO, e-mail marketing e anúncios patrocinados também podem ajudar a promover o crescimento da sua empresa.

Plástico: como evitar o uso e como reciclar?

 

O plástico está em praticamente tudo o que consumimos no dia a dia. Dos produtos de limpeza aos de saúde, passando pela comida e pelo vestuário, praticamente tudo contém uma embalagem plástica. Com isso, o acúmulo desse material no meio ambiente é cada vez maior, já que com o tempo (cerca de 450 anos) o plástico apenas se quebra em micropartículas, invisíveis a olho nu, que penetram no solo e poluem a água. Se considerar as toneladas diárias de plásticos descartadas, a necessidade de reduzir seu uso e achar novas formas de reutilizá-lo ficam ainda mais evidentes. As alternativas para quem deseja consumir menos plástico estão se tornando cada vez mais práticas e acessíveis, assim como ideias para empreender com foco na reutilização desse material estão se tornando mais populares.  

5 dicas para evitar o uso do plástico

  1. Escolha o material menos poluente. Ao invés de consumir produtos embalados em plástico, priorize aqueles que ofereçam materiais facilmente recicláveis, como o alumínio ou papel.
  2. Recuse as sacolinhas de plástico! Substitua as sacolas plásticas por bolsas retornáveis.
  3. Programe suas compras a granel. Dê preferência para produtos sem embalagens, vendidos a granel, e leve seus potes e saquinhos para não precisar das embalagens plásticas descartáveis.
  4. Evite os fast-foods! Os lanches rápidos costumam ser sempre acompanhados por muitas embalagens descartáveis. Experimente substituir esse hábito por uma receita caseira. Além do cuidado com o meio ambiente, essa ideia pode trazer mais benefícios para o seu próprio corpo.
  5. Dê preferência aos retornáveis. Ao comprar refrigerantes e cervejas, por exemplo, dê preferência para as embalagens de vidro retornáveis. Esse hábito pode render também bons descontos nas suas compras.

Entenda como funciona a reciclagem do plástico

Para que os materiais possam ser reciclados, o próprio consumidor deve ter como hábito a separação correta do seu lixo. E, além disso, deve ter em mente que é necessário higienizar os materiais antes de descartá-los. Isso evita a proliferação de fungos e bactérias, que podem impossibilitar a reciclagem do material.

No caso do plástico, ao ser recolhido pela coleta seletiva ou cooperativas, ele é enviado para os centros de triagem e diferenciado por tipo de resina, onde é identificado o processo ideal de cada grupo. A garrafa PET, utilizada nas embalagens de bebidas, por exemplo, possui um tipo de material diferente das sacolas plásticas, que são compostas por plástico PEAD.

Após a separação dos diferentes tipos de resina, cada grupo de material é moído, lavado e seco. Com isso, ele estará pronto para passar pelo aglutinador, onde ocorre o aquecimento e resfriamento necessário para o conteúdo ser fundido e transformado em tiras. Por fim, ele é encaminhado para a indústria que irá colocá-lo novamente no ciclo de produção de novos itens.


Todos os tipos de plásticos são recicláveis?

Por mais que a reciclagem possa ser uma boa forma de gerar uma nova vida ao plástico descartado, nem todos são considerados aptos para serem reutilizados. O grupo dos materiais conhecidos como termorrígidos possuem alta resistência quando submetidos ao calor, e são considerados de difícil reciclagem. Por isso, é importante identificá-los na hora da compra de cada produto. Alguns exemplos de resinas termorrígidas são o poliuretano (PU), que compõe as esponjas e espumas de estofamentos em geral; o EVA, presente em artesanatos e brinquedos infantis e o baquelite, material usado nos cabos de panelas.

Empreender de forma sustentável

A reciclagem criativa, conhecida como upcycling, pode render diversas oportunidades para quem pretende pensar em um novo negócio. Isso porque, em vez de reutilizar o plástico para produzir outros utensílios com menor qualidade, essa opção investe justamente em dar uma nova utilidade para produtos com a intenção de atrair o público. Na área do design de interiores, por exemplo, essa opção pode ser bastante inovadora, já que resulta em novos objetos decorativos e mobílias criativas e únicas.

Outro setor com muitas oportunidades é a moda. A reutilização de materiais plásticos está em alta e evita o acúmulo de lixo no ambiente. Algumas marcas de ecojoias e vestuário têm como principal matériaprima embalagens de shampoo, produtos de limpeza, entre muitas outras, para criar peças únicas, que são produzidas sob demanda, seguindo o conceito chamado de slow fashion.

Diversas outras áreas da economia buscam alternativas para evitar o uso de plástico e transformar os materiais que já estão no meio ambiente. Observe a quantidade de plástico que você adquire por meio de produtos e o quanto isso poderia ser transformado em novas ideias. Ao empreender com foco na sustentabilidade é possível construir um negócio inovador e, ao mesmo tempo, fazer a sua parte para cuidar do meio ambiente.

 

Entenda o que são os procedimentos estéticos não invasivos

Cuidar da aparência é uma das formas para elevar a autoestima. Hidratar os cabelos, fazer massagens modeladoras e tratar da pele podem fazer parte da rotina de muitas pessoas, mas quando se deseja ir além desses cuidados, e alterar características que não lhe agradam ao se olhar no espelho, é possível contar com procedimentos estéticos não invasivos. Além do método propor segurança, envolve menos investimento e mais tranquilidade para quem deseja optar por esse tipo de tratamento, se comparado a uma cirurgia plástica.

Tire todas as dúvidas

Diante de tantas possibilidades, você deve se perguntar: mas afinal, o que diferencia os procedimentos estéticos não invasivos das cirurgias plásticas? Ao contrário das cirurgias plásticas, esses tipos de procedimentos não dependem de cortes e pontos e, mesmo assim, proporcionam resultados significativos. Seja um preenchimento facial ou sessões de peeling, um procedimento estético não invasivo é um tratamento controlado, que requer pouco tempo de recuperação e é oferecido por preços inferiores àqueles que necessitam de um centro cirúrgico. Além de permitir melhorias estéticas na pele, eles podem ser utilizados também na perda de medidas e no relaxamento da musculatura, o que suaviza desgastes provocados pelo envelhecimento. As técnicas aplicadas podem ser tanto para o corpo quanto especificamente para o rosto.

Quais são as opções mais utilizadas?

De acordo com a professora Letícia Cardoso Billó, do Curso Superior em Estética e Cosmética do Senac, alguns dos procedimentos não invasivos mais realizados atualmente são os Peelings Químicos, Microdermoabrasão, Radiofrequência, Criofrequência, Criolipólise e Luz Intensa Pulsada. “Entre as várias vantagens na escolha destes tipos de procedimentos, podemos destacar o retorno imediato à rotina e preços mais amigáveis, dependendo de cada caso e do procedimento escolhido”, ressalta Letícia.

Outro procedimento que está em alta nas clínicas estéticas é o Microagulhamento. Recomendado para a remoção de cicatrizes de acne, manchas e linhas de expressão, ele é feito através de uma estimulação natural com micro-agulhas que penetram na derme. Isto favorece a formação de novas fibras de colágeno e garante mais firmeza e sustentação para a pele.

Procure sempre profissionais qualificados!

Vale ressaltar que, embora estes procedimentos sejam chamados de não invasivos, eles envolvem o uso de equipamentos e materiais químicos que devem somente ser manipulados por profissionais habilitados. Confiar na pessoa que está cuidando do seu bem-estar é fundamental para que o resultado seja positivo. Antes de definir o procedimento que mais condiz com as suas necessidades, não esqueça de esclarecer qualquer dúvida sobre as técnicas que você deseja realizar para garantir que serão feitas de maneira segura. O profissional é quem poderá lhe dar todas as orientações necessárias.

Para quem deseja entrar no mercado de estética e fazer carreira, o Senac oferece diferentes cursos na área. Uma ótima oportunidade para trabalhar em uma área que cresce e se renova todos os anos.

Entenda como trabalhar menos pode aumentar a sua produtividade

Quantas vezes você já sonhou em poder ter menos horas de trabalho para passar mais tempo ao lado da família? Essa possibilidade pode ser algo ainda abstrato em muitas empresas, mas alguns testes já mostraram que ela pode ser uma boa forma de promover eficiência na rotina da equipe. Priorizar o período mais produtivo dos funcionários e aumentar o tempo de descanso pode render grandes resultados e, além disso, proporcionar um ambiente de trabalho mais atrativo e motivador para todos!

Uma empresa renovada:

O estudo entre a relação entre a maior produtividade e a redução na carga horária veio de uma empresa da Nova Zelândia, que comprovou por meio de um teste resultados positivos, tanto para os funcionários quanto para a organização. Durante dois meses, a jornada de trabalho semanal foi alterada de 5 para 4 dias, gerando 8h a mais de descanso para o grupo. Com essa mudança, o objetivo era verificar se as primeiras horas mais produtivas de uma equipe bastam para gerar os resultados esperados. No fim, as expectativas foram correspondidas com sucesso.

Em busca dos benefícios:

Ao avaliar a redução da carga horária dos funcionários de uma empresa, o mais provável é imaginar apenas vantagens para a equipe. No entanto, os resultados obtidos pela empresa neozelandesa mostram que há benefícios para ambos os lados. Com mais tempo disponível para o descanso, é possível também ter mais produtividade. Imagine a sua própria rotina como exemplo: depois de um determinado tempo de trabalho o mais provável é que a motivação comece a diminuir, certo? Dessa forma, o ideal é priorizar as primeiras horas mais proveitosas, garantindo resultados superiores na produção e menores gastos com energia. E o mais importante: com mais horas dedicadas ao lazer, os funcionários passam a ter menores chances de conviver com o estresse.

Possíveis riscos:

É claro que, com a diminuição da carga horária, é preciso reforçar o planejamento da equipe para cumprir os prazos. Caso isso não ocorra, a nova rotina pode resultar em funcionários ainda mais estressados por não concluírem suas tarefas.

Por isso, é interessante implantar um novo modelo de gerenciamento, dividindo a equipe em grupos e planejando um ambiente confortável para o trabalho. Assim é possível criar uma nova cultura na empresa e fazer a transição dos processos de forma gradativa e clara, a fim de garantir o envolvimento e adesão de todos os colaboradores.

Dicas para começar a sua carreira na área de TI

Assim como em qualquer outra profissão, todo início tem suas dificuldades e incertezas sobre a escolha da carreira a seguir, além dos obstáculos dentro do mercado de trabalho que são cada vez maiores. No entanto, de acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria McKinsey, 45% das atividades remuneradas de hoje podem ser completamente automatizadas no futuro e seis em cada dez ocupações têm a capacidade de ter 30% ou mais de suas tarefas substituídas por sistemas tecnológicos existentes. Isso indica que as empresas estão investindo na área da Tecnologia da Informação e é um setor em constante expansão, que requer cada vez mais profissionais capacitados. Por isso, o panorama atual é bem favorável para as áreas voltadas à tecnologia. Se você tem interesse no assunto e quer trabalhar nessa área, veja algumas dicas para seguir no setor de TI:

Afinidade

Primeiramente é importante identificar se você realmente gosta dessa área, se o seu perfil encaixa dentro desse universo tecnológico. A área de TI oferece grandes oportunidades no mercado de trabalho, mas passa constantemente por mudanças e é necessário estar antenado com as tendências do setor. O que tudo isso significa? Que você precisa ter essa vontade e empenho para estar atualizado conforme o mercado exige.

Estudo

É preciso estar atualizado com as novidades o tempo todo e, com isso, vem a dedicação aos estudos. Pesquise quais são as melhores opções para sua área. Além da sua formação em uma graduação, a realização de cursos extras trazem novos aprendizados e um diferencial ao seu currículo. Uma dica é buscar referências de pessoas que já fizeram o curso de seu interesse, assim você pode ter uma percepção mais prática do conteúdo abordado e suas aplicações.

Estágio

Não existe melhor forma de aplicar e adquirir conhecimentos quanto numa oportunidade de estágio. Esse tipo de contratação permite a conciliação entre estudo e trabalho, além de possibilitar a aplicação dos seus conhecimentos na área e o aprendizado constante com outras pessoas do setor. Procure locais onde você possa adquirir experiência e até verificar a possibilidade de efetivação no cargo, isso ajudará muito no seu futuro dentro da área de TI.

Curiosidade

Este é um dos grandes “motores” para o conhecimento: a curiosidade. A dúvida é um dos motivos pela qual você começa a questionar e descobrir como algo é feito e de que forma pode ser melhorado. Isso pode ser um diferencial apreciado dentro do mercado de trabalho e tem muita relação com a inovação, aprender coisas novas todos os dias e descobrir como elas podem ser feitas e melhoradas. Busque sempre mais conhecimento, seja na internet, nos livros, com colegas ou em cursos.

Network

O network pode ser um facilitador ao longo da vida. Participar de eventos e palestras que acontecem na área de TI próximo a você e buscar contato com outros profissionais é uma forma de partilhar experiências e demonstrar interesse em começar a trabalhar no segmento. Isso agrega cada vez mais para sua formação, além de ajudar em possíveis indicações de vagas no futuro.

Essas são algumas dicas para ajudar nesse início da carreira na área de TI. Como vimos, por meio do conhecimento, é possível se qualificar e se manter atualizado nessa área promissora. Aproveite a oportunidade e venha conhecer os cursos do Senac SC: http://senac.sc/dRuSs9

Você sabe o que é Internet Industrial?

Com tantas novidades divulgadas e estudadas diariamente, aspectos que até então dificultavam a rotina são facilitados graças à tecnologia, promovendo assim ainda mais avanços. Mas,  na indústria as melhorias são perceptíveis, já que ao unir máquinas com a inteligência computacional os processos podem ser cada vez mais automatizados e a produção mais eficiente. A internet industrial pode ser um exemplo desse avanço, mas você sabe o que ela significa?

Entenda o que é:

A internet industrial promove a união das máquinas com o digital. Imagine a rotina de uma grande fábrica, com a internet industrial todo o sistema de máquinas pode se unir à computação avançada, sendo possível um controle maior dos dados e uma grande eficiência operacional. Em alguns casos, as próprias recebem autonomia para exercer essa função de forma independente, seguindo as informações fornecidas para encontrar as melhores soluções para o seu funcionamento. Isso é a otimização de processos através da automatização inteligente, onde essa conexão fornece eficiência operacional. O resultado envolve também os profissionais de diferentes áreas, que podem ser conectados para compartilhar decisões e priorizar o melhor rendimento da produção.

Como essa evolução pode gerar resultados?

Com a possibilidade de conectar as máquinas entre si para coletar dados, toda a velocidade da produção é identificada e ajustada quando ela deve ser aumentada ou reduzida, por exemplo. Em alguns casos, onde as próprias máquinas são adaptadas para gerenciar o seu funcionamento de forma autônoma, diversas falhas que normalmente não são vistas por profissionais podem ser corrigidas.

Por isso, a redução de gastos com desperdício e o aumento do rendimento na produção são benefícios que a internet industrial proporciona. Outro ponto importante é a rotina dos profissionais, que pode ser transformada em um trabalho colaborativo, uma vez que conectados entre si todos podem corrigir erros e trazer mais eficiência na produção.

A internet industrial deve trazer grandes retornos para a economia global até 2023, segundo pesquisas, e em um curto espaço de tempo deve se tornar uma realidade comum no mercado. Vale a pena acompanhar os próximos passos deste segmento promissor!

Entenda o que são DesignOps e aplique na sua empresa

Design requer criação e inovação a todo momento. Mas quando essa função passa a ser exercida em grupo, é importante buscar métodos de organização que consigam aprimorar a eficiência do processo de desenvolvimento da atividade. Por isso, o DesignOps é uma novidade cada vez mais adotada por empresas do setor, pois por meio do gerenciamento e investimento em tecnologias é possível  encontrar bons resultados.

Afinal, o que são DesignOps?

Diante de tantas etapas necessárias para oferecer um produto de qualidade, o DesignOps surgiu como uma forma de otimizar processos e diminuir o tempo de entrega dos resultados. Imagine uma empresa com 40 funcionários, onde cada um atua de um modo específico dentro da sua função, essa operação parece eficiente para você? Certamente não! Agora substitua a mesma por outra que pense como um time, trabalhando em conjunto com acesso a tecnologias avançadas que busquem o melhor fluxo de produção.

A segunda opção é um exemplo de um grupo que atua com base no DesignOps. Nesta equipe o objetivo é criar um time capacitado, trabalhando em harmonia e eliminando processos ineficientes. Nesse caso, todas as ferramentas que possam agilizar as etapas e melhorar os resultados são disponibilizadas, como cursos de capacitação e tecnologias superiores. Para isso, o DesignOps planeja e define todas as necessidades e opções que devem ser incorporadas para compor um time saudável.

Por que é importante adotar essa ideia?

Para pensar em benefícios é interessante analisar novamente os possíveis resultados do time descrito anteriormente, que trabalha de forma individual sem um planejamento focado em melhorias. Algumas consequências desse processo podem ser o atraso nas entregas, a elevação do custo de produção e o pouco aprimoramento de ideias que poderiam ser compartilhadas. Com um grande grupo de pessoas atuando em conjunto, a busca pelo fluxo de trabalho eficiente deve ser constante, e é nesse aspecto que o DesignOps faz a diferença.

Com um profissional disponível para esse gerenciamento é possível verificar a melhor forma de agilizar as etapas de cada um dos envolvidos no processo, propondo oportunidades e envolvendo o grupo com a empresa. Ao observar a insuficiência de uma determinada habilidade, por exemplo, o empregador pode oferecer palestras na tentativa de aperfeiçoar tal função. Através da busca por uma equipe eficiente, otimizando processos e corrigindo erros os resultados podem ser superiores, assim como os custos de produção menores.

O DesignOps é eficiente apenas em grandes empresas?

Ao contrário do que se possa concluir, esse modelo de planejamento não é desenvolvido apenas para grandes estruturas, um único projeto de design pode ser realizado com base nessa ideia. Nesse caso, ao invés de visualizar o grupo por inteiro, é importante encontrar as melhores formas de executar as propostas em pequena escala, com tecnologias e gerenciamento da equipe.

O que é preciso para ser um profissional de DesignOps?

Organização é o ponto principal dessa função. Além de ser um designer organizado, é essencial ter experiência suficiente da área que possa contribuir e fazer diferença na execução de projetos de qualidade! Para isso, a função se baseia em organizar e acompanhar o time, observando as suas necessidades e planejando a automatização de tarefas que possam atender prazos e oferecer resultados. Dessa forma, com esse auxílio, a própria equipe vai adotar uma mentalidade voltada para o DesignOps e adotar novas possibilidades para o seu fluxo de trabalho.

Você já conhecia esta técnica? Aplica o DesignOps na sua empresa? Por meio  de poucas mudanças é possível conseguir grandes resultados! Procure conversar com a sua equipe e experimente implementar essa ideia nos seus próximos projetos!

10 Aprendizados da Missão Técnica New York 2018

Em 2017, Santa Catarina terminou o ano com um aumento das vendas no setor varejista em 13,5%, segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio, divulgada pelo IBGE, o maior entre todos os estados. De acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio SC), isso é reflexo de um mercado interno consolidado que possui as menores taxas de informalidade. O aumento do crédito para os consumidores e a retomada do emprego e da renda são fatores que também contribuíram para o crescimento das estatísticas.

No entanto, assim como em qualquer outro ramo do mercado, é preciso estar sempre atento às mudanças e aberto à inovação para manter o  crescimento do seu segmento. Para isso, o conhecimento é um fator chave na conquista desses objetivos. E é aí que o Senac SC pode contribuir com o mercado comercial: dentro do Programa Senac Varejo a Missão Técnica New York busca estabelecer uma ponte entre os empresários e gestores e o que há de mais novo sobre o mercado varejista mundial.

A Missão oferece aos gestores do setor uma oportunidade de conhecimento para aperfeiçoar práticas e estimular novos formatos e meios de gestão para alcançar o sucesso em seus negócios. Além disso, o programa ajuda na profissionalização das empresas, melhorando as técnicas e ferramentas utilizadas no dia a dia. Tudo isso é realizado por consultores experientes, que trazem novas abordagens teóricas e práticas para sofisticar os resultados da sua empresa.

Durante a Missão Técnica NY de 2018, muitos conceitos foram apresentados por grandes gestores das companhias visitadas. Saiba quais foram os aprendizados repassados:  

Integração entre on e offline

Manter a união entre os ambientes de compra física e online foi um dos pontos comentados nas visitas. Os clientes querem a facilidade de procurar o seu serviço ou produto online para saber todas a especificações e a oportunidade de comprar o mesmo na loja física, ou até realizar todo esse processo por meios digitais e apenas retirar o produto diretamente na loja. Com os avanços tecnológicos, os clientes querem saber sobre os produtos, ter transparência nesses processos e a facilidade para adquirir o que ele deseja.

Tecnologia e inovação

O item acima nos leva a tecnologia e inovação, onde, no comportamento do consumidor atual, a pesquisa e informações sobre os produtos ou serviços de seu interesse estão ao alcance de suas mãos, em uma tela de celular. Como ser o diferencial entre os concorrentes? Simples, facilidade! Quem compra quer ter acesso ao produto de forma ágil e objetiva, quer saber sobre ele, ter informações de fácil acesso através de dispositivos que facilitem essa experiência. Além de pensar nas novidades tecnológicas, uma gestão arrojada que pense novos conceitos e formatos também é importante na hora de inovar.

Novas Estratégias

Ousadia. Essa é a palavra que norteia esse ponto. Dentro de um mercado tão dinâmico e concorrente é preciso ter a coragem de mudar os planos, potencializar as mudanças nos processos de trabalho, nos produtos, no formato. Isso tudo pode trazer erros, algo comum quando se tenta algo novo, mas é necessário ter a ousadia de fazer para saber como melhorar.

Cultura de Experimentação

A dica anterior nos leva a isso, experimentação. Quando adquirimos um produto novo nós queremos testá-lo a fim de garantir a sua usabilidade e funcionalidade, dentro do mercado isso não é diferente. Novas estratégias exigem experimentação para que se possa ter ideia do seu resultado, e somente assim podemos mensurar o sucesso de uma novidade. Neste passo, os erros vão aparecer e devemos procurar as estratégias para corrigi-los.

Personalização e boa experiência de compra

Esses conceitos estão juntos porque podem ser a consequência um do outro. A personalização no atendimento faz com que o cliente tenha acesso ao seu perfil de compra, seja por itens que ele deseja adquirir ou por orçamento. O consumidor, geralmente,  tem em mente o que ele quer quando realiza uma compra e oferecer a ele exatamente isso é uma forma de personalização. Consequentemente, isso nos leva à satisfação na hora da compra, o que garante uma experiência positiva e agradável nesse processo. Um cliente que se sente confortável e tem facilidade de acesso àquilo que deseja, tende a fidelizar e ser um multiplicador do serviço ou produto que sua empresa oferece.

Valorizar os colaboradores

E por último, mas tão essencial quanto todos os outros aprendizados é a valorização dos seus colaboradores. Sam Walton, fundador do Walmart disse: “Para o funcionário cuidar bem do cliente, é indispensável à empresa cuidar bem dele”. Valorizar quem atende o consumidor é uma forma de garantir uma boa experiência de compra, afinal, quem não gosta de ser bem recebido e atendido? Alguns exemplos do que pode ser feito para valorizar seu colaborador: boas remunerações, oportunidade de crescimento dentro da empresa, valorização do conhecimento adquirido ao longo do trabalho e entre outros.

Confira no infográfico abaixo os 10 aprendizados da Missão Técnica de NY:

info_2607

Faça o download do infográfico aqui.

Se você quer aperfeiçoar e potencializar a presença do seu negócio no mercado, o Senac SC oferece o Programa Senac Varejo que tem como objetivo colaborar com o processo de profissionalização das empresas do setor varejista e ampliar a visão de mercado de gestores e colaboradores. Tudo isso por meio de palestras, workshops, cursos EaD e Missão Técnica, capacitações que podem ser customizadas para atender as necessidades de cada empresa. Visite nossa página e saiba mais sobre os programas: http://senac.sc/PSC2GW

5 livros para ler durante as férias

A época das férias é um ótimo período para relaxar, descansar e colocar tudo aquilo que está pendente em dia, principalmente quando se trata de séries e livros. Mas se você faz parte daquele grupo que tem dificuldade para escolher o que ler ou se já conseguiu finalizar as leituras que estavam paradas, nós montamos uma lista com obras de diversos gêneros e estilos que podem ajudar você a eleger seu próximo livro de cabeceira.

1) Outros Jeitos de Usar a Boca: o livro escrito por Rupi Kaur reúne pequenos poemas e grandes emoções. A obra é dividida em quatro partes: a dor, o amor, a ruptura e a cura. A ideia é mostrar a superação de um grande trauma através da poesia, passando por todas as quatro fases descritas acima. A escrita é voltada para o público feminino, por trazer temas e situações desse universo. E, para os homens que querem saber mais sobre essas experiências, a leitura também é recomendada.

2) Uma Breve História do Tempo: escrito pelo famoso cientista Stephen Hawking, a obra fala sobre grandes dúvidas da ciência, como a origem do universo, sobre como isso começou e se haverá algum fim. Com ilustrações criativas e um texto bem-humorado, o livro fala sobre mistérios da física de partículas até a dinâmica da movimentação das galáxias. Apesar de falar sobre temas não tão usuais, o texto é uma ótima recomendação àqueles que gostariam de entender esses questionamentos, ou, quem sabe, ficar com aquela certa inquietação sobre essas dúvidas.

3) A garota no trem: o livro de suspense conta a história de uma mulher que passa por um momento turbulento da vida, mas que tem como uma terapia pessoal andar de trem. Em uma das viagens, ela descobre um possível crime durante seu caminho e, juntamente com a polícia, tenta desvendar esse mistério. A narrativa é cativante, realista e prende o leitor até as últimas páginas. O livro também foi adaptado para o cinema com o mesmo título.

4) Ensaio Sobre a Cegueira: não poderíamos deixar de fora um clássico da literatura como este. O livro escrito por José Saramago traz uma reflexão sobre as relações de poder e instinto de sobrevivência dos seres humanos. A história se passa em cidade não nomeada e com personagens sem nome também, onde cada um desses moradores vai perdendo a visão pouco a pouco. Depois de algum tempo, a cidade fica sem saneamento básico, sem comida e sem serviços essenciais, e a grande dúvida é: como os personagens reagem a isso? Essa é a grande questão do livro, onde Saramago nos faz refletir sobre a humanidade e até que ponto ela existe em condições extremas.

5) Por Que Fazemos o Que Fazemos?: escrito por um dos grandes pensadores desta geração, Mário Sérgio Cortella aborda questões relacionadas ao trabalho e como podemos nos sentir melhor nesse ambiente. A obra possui 20 capítulos onde o autor aborda diversas dificuldades que giram em torno do assunto principal sobre a importância de ter um propósito na vida. Com uma leitura dinâmica e fácil, Cortella pretende bagunçar um pouco sua cabeça com muitas dúvidas, mas também oferece direcionamentos para todas essas perguntas.

Agora você já tem uma lista de livros com diferentes opções, com clássicos da literatura, poesia, e até obras para pensar e refletir sobre a vida. Escolha o que mais combina com você e boa leitura.