Tag: negócios

Use o mandarim para destacar seu currículo

Ter conhecimentos em inglês e espanhol já não é mais um diferencial dentro do currículo, mas sim, uma necessidade. Agora, se você realmente quer se destacar em uma entrevista de emprego e conquistar aquela vaga especial na sua área, aprender mandarim pode ser um ponto crucial.

Hoje, o mandarim é a língua oficial da China, país mais populoso do planeta, e também é falado em Taiwan, Cingapura e Malásia. Logo, é o idioma mais usado no mundo. Cerca de 14,4% da população mundial utiliza a língua para se comunicar – aproximadamente 955 milhões de pessoas. Agora você entende porque ele é tão importante?

Além disso, cada vez mais os empregadores estão buscando pessoas que tenham contato com a língua, como é o caso do Governo do Brasil. O Itamaraty envia constantemente diplomatas à China, para que aprendam mandarim e melhorem a comunicação da embaixada brasileira presente no país oriental.

Mas, se você não pretende seguir carreira no mundo dos negócios, aprenda a língua e conheça mais sobre a cultura chinesa. A China é um país extremamente rico na área cultural e possui grandes filósofos, técnicas de massagem, de concentração, artes marciais e muitos outros pontos a serem destacados. Com o auxílio do mandarim, entender essas técnicas e pesquisar mais sobre elas será ainda melhor e mais proveitoso.

Agora, você sabe como o idioma ganhou esse nome? No século XVII, os mandarins eram funcionários públicos do governo chinês, encarregados de estabelecer contatos comerciais entre a China e Portugal. Dessa forma, os portugueses nominaram o idioma que os chineses usavam para se comunicar de mandarim. Legal, você não acha?

O mandarim é a segunda língua mais estudada no mundo todo, perdendo apenas para o inglês. Se você ficou com vontade de aprender o idioma, saiba que o Senac oferece o curso e que, até o dia 30 de setembro de 2014, você ganha 20% de desconto. Para mais informações, acesse: http://senac.sc/JeIY0T.

Descubra o que é a técnica Pomodoro e como ela pode ajudar no dia a dia

A técnica Pomodoro é ótima para quem tem dificuldades para se concentrar ao realizar determinada tarefa, ou até mesmo, para aqueles que não conseguem se organizar. Criada por Francesco Cirillo nos anos 1980, o método é bem fácil de ser usado e leva esse nome por causa do timer de cozinha, que tem muitas vezes o formato de um tomate.

Cirillo desenvolveu a técnica porque estava preocupado com sua forma de estudo um tanto quanto bagunçada e se propôs a focar totalmente em seu objetivo durante 10 minutos. Para isso, ele procurou algo que pudesse alertá-lo com relação ao tempo e achou um cronômetro de cozinha no formato de um tomate – pomodoro em italiano.

A partir desta técnica é possível focar melhor nas tarefas, evitando distrações e descobrir em quais atividades você é menos produtivo. Desta forma você poderá desenvolver estes pontos e superá-los.

Para usar o método no dia a dia é preciso seguir os passos abaixo:

1 – Escolha a tarefa que precisa ser executada;
2 – Ajuste o alarme para 25 minutos = 1 pomodoro;
3 – Foque na tarefa até o alarme tocar, depois disso, registre-a com um “x”;
4 – Faça uma pausa de 5 minutos;
5 – A cada “4 pomodoros” ou 4 tempos de 25min, faça uma pausa de 15 a 30 minutos.

Viu como é fácil? Lembre-se que planejar, controlar o tempo, registrar e visualizar os resultados são fundamentais para a técnica dar certo. Priorize as tarefas que devem ser feitas naquele dia, assim você consegue evitar distrações e resolver pendências de uma forma mais rápida e sem interrupções.

Se você não quer usar o despertador ou um timer, este site www.tomato.es também faz a mesma função. ;)

Plano de negócios: faça o download de um roteiro e utilize na sua empresa

Quer entrar no mundo do empreendedorismo? Criar um plano de negócios é fundamental para tirar a sua ideia do papel. É a partir desse documento que um empreendedor define todo o planejamento de sua empresa, como os objetivos e o passo a passo de como alcançá-los.

O plano é importante para transformar uma oportunidade de negócio em um projeto concreto e, também, para identificar erros e evitar que eles sejam cometidos dentro do mercado. O documento ajuda a identificar os pontos fortes e fracos do seu negócio e a descobrir se sua ideia realmente é possível.

A orientadora do Senac em Santa Catarina Silvana Toriani explica que o plano de negócios não tem a obrigação de tornar o projeto viável, mas serve para mostrar a realidade ao empreendedor. Ainda que a ideia não seja possível, o resultado acaba sendo positivo, já que dessa forma se evita a perda de tempo e dinheiro.

Ainda segundo a orientadora, como as oportunidades e os desafios são muitos, deve-se planejar antes de fazer escolhas. “Os sonhos podem ser do tamanho que imaginamos, mas a execução do sonho precisa ter o tamanho da nossa capacidade de implementação e execução.”

Não há um plano de negócios específico para ser seguido. Cada empresa possui um modelo de acordo com suas características, mas é importante começar planejando quais são as atividades que devem ser desenvolvidas, os prazos e as metas.

Se você ficou interessado e quer fazer um plano para a sua empresa, disponibilizamos um roteiro que explica o passo a passo de cada item que compõe o documento. Faça o download e coloque suas ideias em prática!

Confira uma lista de livros voltados a quem deseja empreender

Empreender é o sonho de muitos profissionais, mas nem sempre é fácil começar. Algumas vezes falta coragem, em outras é necessário buscar mais informações. Mas diversas questões podem ser esclarecidas a partir de bons livros. É muito comum que empresários de sucesso tenham autores que inspiraram suas carreiras.

Se você deseja investir no próprio negócio, confira abaixo sugestões de leituras interessantes para a área:

“De Onde Vêm as Boas Ideias”, de Steven Johnson

Para o autor, grandes ideias surgem em ambientes propícios e não resultam apenas de talentos individuais. No livro, ele explica quais são as características desses ambientes e quais processos estimulam a criatividade.

A Startup Enxuta”, de Eric Ries

Este livro indica o passo a passo de uma metodologia para criação de uma startup. Seguindo as dicas de Eric Ries, o empreendedor reduz as chances de fracasso do seu empreendimento.

“O maior vendedor do mundo”, de Og Mandino

Escrito em 1968 e considerado um dos grandes best sellers de todos os tempos, esse livro é indicado para quem busca motivação. A história conta como Hafid, um pobre guardador de camelos, consegue alcançar a riqueza.

“Pioneiros e Empreendedores: A Saga do Desenvolvimento no Brasil”, de Jacques Marcovitch

Quer conhecer casos de sucesso no empresariado brasileiro? Então procure por esse livro escrito por Jacques Marcovitch. São descritos histórias de nomes como Francisco Matarazzo, Ramos de Azevedo, Jorge Street, Julio Mesquita, família Prado, entre outros.

“Satisfação Garantida”, de Tony Hsieh

A  gigante americana Zappos é reconhecida, atualmente, como a empresa que tem o melhor relacionamento com o cliente do mundo. Conheça nesse livro a história de Tony Hsieh na construção dessa rede de sucesso.

“A Menina do Vale – Como o Empreendedorismo Pode Mudar Sua Vida”, de Bel Pesce

Conhecida como “menina do Vale”, Bel Pesce conta nesse livro como tem sido a sua trajetória como empreendedora e cita diversos cases de sucesso. Para ela, empreender é colocar a mão na massa e ter sempre como foco a busca de conhecimentos sobre como se constrói uma empresa.

Você sabe usar o LinkedIn?

O LinkedIn está se firmando como a principal rede social para recrutamento e seleção de candidatos. Sendo ela uma rede voltada para network e relacionamento profissional, é preciso ter alguns cuidados na hora de enviar mensagens, completar seu perfil e atualizar informações. Confira as dicas que o portal Exame.com divulgou e que serão preciosas se você usa a rede como ferramenta para a busca de novas oportunidades de trabalho.

1. Enviar mensagens genéricas – Ao entrar em contato, enviando uma solicitação, para perguntar sobre uma oportunidade, adeque a mensagem ao perfil da pessoa e descreva porque você está interessado na conexão.

2. Não prestar atenção aos detalhes do perfil do recrutador – Lembre-se de ler atentamente o perfil do recrutador antes de entrar em contato com ele. Muitas vezes você pode encontrar trechos interessantes que vão ajudá-lo a se destacar na entrevista de emprego.

3. Apostar em networking apenas quando precisa dele – Muita gente vai perdendo contatos com profissionais e recrutadores e só se lembra disso quando está de volta ao mercado. Oportunidades surgem quando você se reconecta a pessoas com as quais perdeu contato. Essa dica vale para a carreira profissional toda e não apenas para uso do LinkedIn.

4. Exposição pessoal – Fotos inadequadas e informações que tragam uma exposição pessoal muito forte minam o poder de atração do perfil no LinkedIn. Lembre-se sempre: LinkedIn não é Facebook. Tenha atenção especial às postagens e escolha uma foto adequada ao seu perfil profissional.

5. Mentiras ou informações supervalorizadas no perfil – Seja o mais sincero possível a respeito da sua trajetória. Um perfil verdadeiro sem experiências espetaculares é muito mais valorizado do que um perfil recheado de fantasias. O profissional que mente pode até se destacar em um primeiro momento, mas assim que for descoberto será descartado do processo seletivo.

6. Divulgação de informações confidenciais – Tenha cuidado na hora de divulgar informações sobre as empresas para as quais você já trabalhou. Certifique-se de que não está tornando públicas informações estratégicas. Se o recrutador entender que você fez isso com um empresa para a qual trabalhou vai imaginar que você fará o mesmo se for contratado por outra.

Fonte: Exame.com

Alunos do Senac disputam prêmio de empreendedorismo

Alunos das Faculdade Senac de Florianópolis e Jaraguá do Sul, são finalistas do 5º Concurso Estadual de Planos de Negócio para Universitários, promovido pelo Sebrae/SC. O concurso tem como objetivo estimular a cultura do empreendedorismo, promover a prática do planejamento empresarial no ambiente acadêmico e contribuir para que os universitários catarinenses montem seu próprio negócio de forma planejada.

O concurso é dividido em cinco categorias: Indústria, Comércio, Serviços, Agronegócios e Negócios Digitais. Os nossos alunos Carla Fabiane Deretti Ferreira e Juan Ely Soares da Silva são finalistas na categoria de Serviços e concorreram com estudantes de instituições de ensino de todo o estado. Ao todo, foram selecionados 5 finalistas em cada uma das categorias.

No dia 30 de novembro serão apresentados os vencedores de cada categoria. A premiação para os vencedores é uma viagem para o Vale do Silício, região famosa pelo número de empreendedores, para conhecer empresas como a Google, Facebook, entre outros.

Nesse blog você pode conferir mais informações e ainda super dicas de empreendedorismo e de como montar o seu plano de negócios.

Seja um empreendedor digital

Comodidade, variedade, preço competitivo e condições de pagamento. Esses são alguns dos motivos que fazem o comércio via internet cada vez mais popular na vida dos brasileiros. A facilidade de encontrar tudo o que se deseja ao alcance de um clique faz com que diariamente diversas lojas on line sejam criadas, vendendo todo tipo de produto e serviço.

Apesar de aparentemente simples, abrir um negócio na web necessita de alguns cuidados. Os empreendedores digitais muitas vezes ficam barrados em burocracias que envolvem licenças e alvarás de funcionamento, tal qual uma loja física. Quem está disposto a entrar nesse mercado precisa  lidar com riscos e estar ciente de que um bom planejamento é fundamental. O e-commerce (comércio eletrônico) está em pleno crescimento e a tendência é de que aumente nos próximos anos.

Se você tem uma ideia inovadora para empreender e não tem muito dinheiro para investir, a internet é o caminho mais indicado. Então, fique ligado nas dicas que a revista Você S.A. selecionou para evitar armadilhas no comércio on line.

1. Trâmites burocráticos

Tirar uma empresa do papel leva tempo. Você deve considerar todos os mecanismos legais para a criação de um empreendimento digital e se preparar financeiramente para os meses anteriores à inauguração do negócio.

2. Pequenos passos

Seja realista e invista em infraestrutura de acordo com a necessidade da empresa. Dê um passo de cada vez e de acordo com o que você tenha condições de bancar.

3. Dedicação exclusiva

Muitas pessoas abrem empresas enquanto ainda estão empregadas. Apesar de ser possível, o desgaste é muito grande e há risco de o novo negócio demorar a engrenar.

4. Área de competência

Você não é um especialista em tudo. Procure cercar-se de pessoas que tenham conhecimentos diferentes dos seus e que possa somar ao novo negócio.

5. Seja Paciente

É necessária muita coragem para encarar um desafio na internet. É um mercado relativamente novo, do qual ainda não há dados suficientes para saber o que dá certo e o que não dá.

6. Erre para aprender

Como tudo na vida, abrir um negócio virtual é um grande aprendizado. Não tenha medo de errar.

Fonte: Você S.A.

Finger Food, sabor e beleza ao alcance das mãos

Tecnicamente, finger food nada mais é do que uma comida para comer com as mãos. Sem pratos, talheres ou qualquer outro apoio diferente de um guardanapo. A diferença dele para os tradicionais salgadinhos de festas são as receitas. Miniaturas de recitas sofisticadas já conhecidas e também inovações em formatos, mistura de sabores e texturas. E não há limites, tanto pratos salgados, doces, quentes ou frios fazem parte dessa nova maneira de servir.

Uma vantagem de escolher esse tipo de menu para um evento é que as pessoas podem se servir e aproveitar a festa enquanto degustam a comida. Isso integra mais os convidados e dá uma dinâmica diferente para qualquer evento. Outro ponto diferencial é a economia, visto que não é necessário alugar louças. Além disso, as porções únicas contribuem para um clima mais descontraído e dão um toque de modernidade.

Os eventos de vanguarda já estão aderindo a essa prática e o mercado, para quem deseja investir em finger food, está em plena expansão. Seja um casamento, festa de 15 anos ou recepções corporativas, essa é  uma tendência nos grandes centros e também uma maneira de simplificar, baratear o buffet e inovar na maneira de servir. Está aí uma maneira de receber os convidados em grande estilo, já que além de prática a comida é bonita e serve também como decoração!

O doce de festinha que virou negócio lucrativo

O brigadeiro, doce genuinamente brasileiro e velho conhecido das festinhas infantis, ganhou status de guloseima sofisticada. Por todo o país empreendedores perceberam o potencial financeiro que o docinho poderia render ao sair do universo unicamente festivo para ganhar grife com outros ingredientes.

A tradicional receita que leva leite condensado, manteiga e chocolate ganhou novos sabores. Desde diferentes tipos de chocolates até ingredientes tradicionalmente salgados como gergelim, wasabi e funghi. O doce se reinventou com a criatividade dos empresários brasileiros, que não se cansam de inovar. São novos formatos, novas maneiras de servir e novos locais para degustar.

Os consumidores, potencialmente todos os que um dia já comeram brigadeiro, adoraram a novidade e ajudam a engordar o cofrinho das docerias especializadas. A Brigaderia, mesmo com pouco tempo de vida, já tem faturamento na casa dos milhões. De acordo com a criadora da marca, Taciana Kalili, uma das explicações para o sucesso foi a escolha dos pontos comerciais. Todas as dez unidades de venda estão localizadas em shoppings e aeroportos de grande fluxo de pessoas, com predominância do público das classes A e B. “Foi uma estratégia muito bem pensada. Optamos por trabalhar com ingredientes importados, o que aumenta custo do produto final”, diz. Somente em 2011, a empresa faturou R$ 10 milhões.

Para quem ficou com água na boca ao ler a matéria segue uma receita de brigadeiro gourmet. Vale também pra quem estiver pensando em investir nesse segmento. Quem sabe você também não se torna um milionário dos doces? :)

Brigadeiro de Nutella

Ingredientes

1 lata de leite condensado
50 ml de leite
1 colher de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de Nutella
1 xícara de chá de avelãs trituradas

Modo de preparo

1. Em uma panela, misture o leite condensado, o leite, a Nutella e a manteiga. Leve ao fogo baixo, mexendo sempre até desprender do fundo.
2. Retire do fogo e salpique 1 colher de sopa da avelã triturada sobre a mistura.
3. Transfira a massa para um prato fundo untado com manteiga, espalhe bem e deixe esfriar.
4. Enrole as bolinhas com as mãos (que também precisam ser untadas!) e passe-as sobre a avelã triturada para confeitar.

Fonte: UOL

Você tem pensamento de empreendedor?

É como diz a imagem aí em cima, o emprego dos seus sonhos não existe, você precisa criá-lo. Para quem tem o espírito empreendedor é fácil pensar dessa maneira, mas para aqueles que não nasceram com essa iniciativa, e se veem obrigados a assumir negócios de família, há algumas habilidades indispensáveis para disciplinar o pensamento. Ron Burley, colunista da Revista Inc, listou três delas que são diferenciais competitivos importantes na hora de administrar o seu negócio.

Perseverança

Quando se vê um futuro incerto à frente é normal ter medo. Existem algumas pessoas, que, quando se veem diante daquilo que é duvidoso, escolhem não fazer nada. Nos negócios, perseverança significa olhar sempre em frente, dando um passo de cada vez e enfrentando as dificuldades conforme elas aparecem. Muitas pessoas fracassam durante esse percurso porque desistem logo no primeiro obstáculo. “Toda grande história de empreendedorismo conta com pelo menos um episódio em que a pessoa precisou ser perseverante para superar um desafio”, diz Burley.

Dica: Todos os dias faça pelo menos uma coisa que te coloque mais perto do seu objetivo. Se conseguir cumprir isso, no final do ano, você terá dado quase 400 passos em direção ao seu destino.

Respeito

Existem muitas ideias de negócios que podem ser mudadas ou melhoradas. Mas isso não significa que todas sejam assim. “A roda já foi inventada e funciona muito bem exatamente do jeito que está”, diz Burley. Toda indústria, todo segmento tem uma história. Estude-a. Entenda e respeite o que foi feito antes da sua empresa. Só assim você será capaz de reconhecer novas oportunidades e as deficiências do setor. Além disso, poderá também evitar tomar decisões ou medidas que não deram certo no longo prazo.

Dica: Procure conversar com pessoas que trabalham há mais tempo no ramo em que você deseja atuar. Leve-os para tomar um café e anote tudo o que dizem. O objetivo aqui não é copiá-los, mas sim aprender com suas experiências, erros e sucessos.

Inovação

É claro que você precisa estar pronto quando uma oportunidade “bater à sua porta”. Mas, em tempos econômicos difíceis, você pode estar perdendo tempo esperando. Você devia estar fazendo. Crie a sua própria oportunidade, com um pouco de inovação pessoal.
Para  Burley, inovação é uma forma especializada da criatividade, em que se cria algo novo e, principalmente, útil. “Mandar um bolo de aniversário para o CEO da empresa com a qual você quer fechar negócio pode ser criativo, mas dificilmente será útil. Para ser produtivo e inovador nessa situação, você precisa pensar em uma ideia ou método que te dará todas as chances de alcançar seu objetivo”, diz o colunista.

Dica: Pergunte a você mesmo quais sãos as necessidades dessa pessoa e descubra como você pode solucioná-las de um jeito criativo e inovador.

Fonte: Papo de Empreendedor

Seis livros para quem ama tecnologia

A tecnologia da informação tem sido uma das áreas de maior crescimento de mercado nos últimos anos. Num mundo conectado e que tem a mobilidade como principal tendência, conhecer a história das pessoas que foram responsáveis por tornar isso possível é essencial. Seja para servir como inspiração no modo de agir ou para ser modelo de como não se comportar no mercado de trabalho.

Veja 6 livros que contam a trajetória de profissionais da área que fizeram história no mundo da tecnologia e também quais as principais tendências nesse segmento.

1. Nos bastidores da Apple – Adam Lashinsky. O autor retrata um Steve Jobs extremamente controlador no comando da Apple, decidindo desde a publicidade criada na empresa até os participantes de reuniões ultrassecretas.

2. Estou com sorte – Douglas Edwards. Ex-diretor de marketing do consumidor e gerenciamento de marca do Google entre 1999 e 2005, o autor conta no livro  detalhes do dia a dia da corporação.Ele viu de perto os hábitos de trabalho que levaram ao seu desenvolvimento gigantesco e de que maneira cada um dos problemas eram sempre vistos como solucionáveis.

3. Nos bastidores da Amazon  – Richard L. Brandt. O livro relata a história de como Jeff Bezos montou a Amazon, a maior multinacional de comércio eletrônico do mundo. Sem poder falar diretamente com o personagem mais importante do livro (que se negou a dar entrevistas a ele), Brandt foi atrás de empregados da Amazon, concorrentes e observadores para poder escrever sobre ele e sobre o impacto do empreendimento em outras empresas de varejo.

4. Steve Jobs –  Walter Isaacson. O jornalista Isaacson fez mais de 40 entrevistas com Steve Jobs, ao longo de dois anos, para escrever o livro. Além de entrevistas com mais de 100 familiares, amigos, adversários e concorrentes. Embora tenha cooperado com a obra, Jobs não fez nenhuma ressalva ao conteúdo e não estabeleceu nenhum limite ao entrevistador e aos entrevistados. Queria que todos falassem com franqueza. O motivo: queria que seus filhos o conhecessem. “Eu nem sempre estava presente, e queria que eles soubessem o porquê disso e entendessem o que fiz”, disse a Isaacson.

5. O Efeito Facebook – David Kirkpatrick. O livro conta a história da companhia na versão de Mark Zuckerberg. Para escrever o livro, Kirkpatrick permaneceu em contato com o fundador do Facebook durante um ano e meio, quando se encontraram seis vezes. O autor também tomou como base muitas entrevistas com diretores da empresa. Além do perfil de seu fundador, o autor explica alguns dos efeitos do Facebook pelo mundo, descrevendo as inovações que o fizeram ser um sucesso mundial, tendo papel fundamental na política, nos negócios, na mídia, em mobilizações sociais e na privacidade das pessoas.

6. O poder das multidões – Jeff Howe Crowdsourcing é um modelo de produção que utiliza a inteligência e os conhecimentos coletivos e voluntários espalhados pela internet para resolver problemas, criar conteúdo, soluções e até desenvolver novas tecnologias. São pessoas comuns, que usam seus momentos livres para cooperar. Exemplos do que pode gerar são o sistema operacional Linux e o navegador Firefox. O termo foi identificado pela primeira vez pelo jornalista e autor do livro “Crowdsourcing – Como o Poder da Multidão Impulsiona o Futuro dos Negócios”, Jeff Howe. Na obra, ele descreve o processo pelo qual o poder da multidão pode se aproveitado para realizar tarefas que antes eram de especialistas. No crowdsourcing, o que importa é a qualidade do trabalho e não o currículo. Howe apresenta as consequencias positivas e as negativas desse novo fenômeno através de exemplos reais, mostrando as implicações econômicas, culturais e políticas.

Fonte: Portal Revista Exame.