Não seria ótimo se existisse uma fórmula bem simples para manter as finanças pessoais em dia? E que permitisse que você nunca mais tivesse que se preocupar com dinheiro ou saúde financeira?

Embora não exista um truque milagroso para administrar as finanças pessoais, você pode conseguir equilibrar as contas e ainda guardar dinheiro com ações bem simples. Assim, o segredo está em gastar menos do que se ganha.

Dessa forma, manter objetivos claros, orçamento em dia, investimentos e análise de gastos já é o primeiro passo para manter as finanças pessoais em ordem. E ao contrário do que muita gente pensa, ter saúde financeira não significa sofrer com dinheiro e não gastar com nada que não seja o básico.

“Falamos em investir de forma inteligente para realizar seus desejos, sem qualquer tipo de julgamento sobre isso. Por isso, a palavra-chave para cuidar da saúde financeira é planejamento”, acredita Jamille Bitencourt Rodrigues, professora da pós-graduação na Faculdade Senac Lages.

Mudança de mindset financeiro

A mudança de mindset ajuda a direcionar melhor o comportamento financeiro. Pensamentos como “dinheiro é feito para gastar” ou “mereço isso mesmo que não tenha dinheiro hoje”, por exemplo, seguem uma tendência a usar estratégia de créditos que o mercado oferece – e que pode comprometer as finanças pessoais.

Antes de mais nada, para um bom planejamento das finanças pessoais é preciso mudar a mentalidade com relação ao dinheiro. Assim, transformar o mindset financeiro é justamente isso: analisar a condição financeira e lidar com os desafios relacionados a isso.

Vilões da saúde financeira

Alguns hábitos podem impedir o controle das finanças pessoais e deixar a saúde financeira em risco. Gastos superficiais e desnecessários tendem a  comprometer todo o planejamento realizado.

Entre os vilões, a prof. Jamille Bitencourt cita a priorização das compras e não do pagamento de contas fixas e básicas, consumo compulsivo e uso excessivo do cartão de crédito ou cheque especial. E, especialmente, a ausência de acompanhamento destes gastos com frequência.

Finanças pessoais: como organizar?

A especialista do Senac SC explica que no dia a dia é importante organizar as finanças pessoais com planilhas para ter um melhor controle de gastos. Tanto fixos quanto variáveis.

“Uma boa dica para começar o seu planejamento financeiro é analisar os gastos que você teve nos últimos meses. Olhe sua fatura de cartão de crédito, seu extrato bancário, etc. e aí construa uma planilha incluindo seus gastos, valores e datas”, diz Jamille.  A partir daí, confira tudo o que entrar de renda e o que sai com gastos diários. Assim, é possível identificar como anda sua saúde financeira, organizando melhor as possibilidades.

Educação financeira

A educação financeira consiste em práticas com a proposta de trazer qualidade de vida sem punir a saúde financeira. Tanto no presente quanto no futuro. Desse modo, ensina a construir um planejamento de liberdade financeira, encontrando fontes de renda diversificadas e organizando os gastos.

“Então, a contribuição da educação financeira está em dominar o seu dinheiro e ter mais consciência sobre o que fazer com ele. Gosto da perspectiva de que a educação financeira estabelece limites importantes na sua relação com o seu dinheiro, permitindo escolhas conscientes”, afirma a prof. Jamille.

Poupar ou investir?

Primeiramente, existe uma diferença grande entre estes dois termos. Enquanto poupar quer dizer economizar, investir significa fazer o dinheiro render. Assim, para poupar é preciso se planejar.

Ou seja, as despesas necessariamente devem ser inferiores à renda obtida – só assim sobra algum valor para isso. Já investir é multiplicar o dinheiro guardado. É o passo seguinte a ser analisado – quando se consegue organizar, projetar e poupar dinheiro.

Finanças pessoais: dicas práticas

  1. Defina suas prioridades financeiras;
  2. Controle todos os seus gastos;
  3. Divida sua renda principal em percentuais – como por exemplo custos fixos, entretenimento, investimento, economia, etc;
  4. Projete gastos futuros;
  5. Encontre formas de diversificar suas fontes de renda.

Publicações Relacionadas