O panorama do mercado de games em Santa Catarina

1907

Nosso estado está sendo cada vez mais reconhecido no mundo dos games. No segundo censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais, Santa Catarina aparece como residência de 5,6% das desenvolvedoras de jogos do país, somos o quarto estado com a maior concentração de empresas do ramo. Além disso, temos muitos profissionais da área em nossa região, cerca de  4,7% dos autônomos desse mercado estão por aqui.

Aos poucos, o setor tem crescido cada vez mais, com as empresas que vem se instalar na região e também com cursos na área de programação de jogos, que formam cada vez mais profissionais para atuar nessa frente. Florianópolis é um dos grandes pólos de concentração dessas empresas e conta com incentivos financeiros para incentivar o desenvolvimento da área. 

Fomento ao mercado de games

O governo estadual incentivou o crescimento desse mercado através do Programa Santa Catarina Games e Entretenimento Digital, mais conhecido como SC Games. O objetivo do programa foi fomentar e desenvolver a área no estado, através da preparação de recursos humanos e divulgação nacional e internacional dos produtos. 

No começo, o projeto era dirigido por uma comissão gestora ligada ao governo, mas em 2011 ele passou a ser administrado pela ACATE (Associação Catarinense de Tecnologia) e mudou seu nome para Vertical Games e Apps. A partir disso, as empresas começaram a se  associar à ACATE, a fim de desenvolver e comercializar jogos eletrônicos. 

Como aproveitar essa onda e entrar no mercado dos games?

Bom, existem diversos profissionais envolvidos no desenvolvimento de jogos e cada uma de suas expertises e áreas de trabalho têm espaço nesse nicho. Falamos mais sobre essas oportunidades neste blog

Mas, existem outras formas de ingressar nesse mercado, a começar pelos eSports, ou Esportes Eletrônicos, que são os torneios e campeonatos de grandes jogos. A modalidade tem um grande número de adeptos e a competitividade é altíssima, tornando essa indústria poderosíssima. É uma das que mais utiliza novas tecnologias para favorecer a interatividade, tais como realidade aumentada, 3D, inteligência artificial, entre outras.

O mercado geek é composto por um público apaixonado por determinadas referências, seja por filmes, quadrinhos ou jogos. Trazendo para o universo dos games, a comercialização de itens licenciados, como roupas, canecas, quadros, etc, é um nicho que pode ser bastante explorado. 

Temos também a gamificação, uma forma de aplicar técnicas de design e estruturação de jogos em situações reais. Para isso, utilizam mecânicas e pensamentos orientados aos games para enriquecer contextos diversos não necessariamente relacionados a esse universo. Suas aplicações vão desde na educação, em empresas, publicidade e até locais não tão usuais, como hospitais.

O mercado consumidor de games em Santa Catarina 

Hoje o perfil das pessoas que consomem jogos é bem dividido, cerca de 53,6% são do gênero feminino e 46,4% são do gênero masculino. Aproximadamente 40% desse público tem entre 25 e 34 anos e mais da metade se considera um gamer casual. A maioria joga no celular, computador e videogame, respectivamente, e gosta de games com temas de ação e aventura, e estratégia.

Gostou de saber sobre o mercado de games? Faça parte dele com o curso de Desenvolvedor de Jogos Eletrônicos. Inscreva-se: http://senac.sc/09ZR91

 

Leia também: