Tecnologia

Bitcoins: o que são e por que você deve (ou não) investir neles?

Apesar da “má fama”, os bitcoins surgiram em 2009 no mercado como uma solução para o problema financeiro do mundo moderno. Afinal, trata-se de uma moeda que não precisa se apoiar na confiança – de governos, bancos ou estabilidade política – mas em provas criptográficas. Ou seja: o Bitcoin depende de um sistema próprio de geração de moeda para garantir que a inflação e oferta de dinheiro estejam (ou não) controladas.

Continue lendo

4 invenções que podem facilitar – e muito! – a sua vida

Todos os dias, somos bombardeados com novas tecnologias que surgem para facilitar nossas vidas, cada vez mais cheias de compromissos. E, a medida que nos acostumamos com essas novidades, elas se adaptam à nossa rotina e se tornam essenciais.

Quem se lembra de como era a vida antes da internet 3G em telefones celulares? Aplicativos de mensagens instantâneas não existiam e era mais difícil acessar ao Google para confirmar um endereço ou tirar aquela dúvida de última hora.

Continue lendo

Mundo virtual: o quão conectados estamos?

A teoria dos seis graus de separação popularizada na década de 1990 afirma que todos os indivíduos estão, de alguma forma, conectados uns aos outros. De acordo com a tese, entre você e aquele ídolo que estampava os pôsteres das paredes do seu quarto durante a sua adolescência, há apenas você e 5 outras pessoas.

Continue lendo

6 benefícios da robótica para crianças e adolescentes

Se você perguntar a uma criança ou a um adolescente o que são smartphones, tablets ou drones, eles não só saberão do que se trata, como provavelmente o ensinarão a usar tais tecnologias. O que talvez não seja tão conhecido é o funcionamento por trás de todos esses eletrônicos: a programação e a robótica. Considerada como algo complicado, a codificação se tornou a nova linguagem do mundo e especialistas afirmam que quanto antes nós aprendermos melhor.

Continue lendo

Máscara torna possível sentir o cheiro das cores

Você já imaginou, ao ouvir uma canção, ver cores de acordo com a altura das notas musicais? Ou então sentir diferentes cheiros ao admirar obras de arte em um museu? Para a maior parte de nós, isso parece impossível e até difícil de entender, mas estima-se que 4% da população mundial vivam assim, nesta mistura de sensações: são os sinestetas.

Sinestesia não é uma doença, mas uma diferença neurológica – herdada geneticamente – e resulta de um cruzamento entre os nossos cinco sentidos, ou seja, um mesmo estímulo pode causar reações auditivas e olfativas, por exemplo. Estudos afirmam que a forma mais comum de manifestação é a associação de cores a letras e números. Neste caso, se você pedir a um sinesteta que some dois algarismos, o resultado virá relacionado a uma cor específica (2 + 2 = 4).

Apesar de ser uma condição rara, graças ao engenheiro aeroespacial Zachary Howard, agora qualquer pessoa também pode experimentar essas mesclas sensoriais – ou pelo menos uma delas. Ele criou um equipamento que simula a sinestesia e permite sentir o cheiro das cores. Trata-se de uma máscara conectada a detectores de cor, uma placa de computador e tubos de ensaio com óleos essenciais.

A partir desse equipamento, a invenção funciona da seguinte forma: o sensor de cores ligado a uma placa de computador é colocado no dedo e, ao passá-lo em qualquer objeto, ele capta a cor. O dispositivo divide a coloração nas três tonalidades primárias – vermelho, verde e azul – e calcula o quanto tem de cada uma delas. “Análogo aos pixels que combinam variações entre vermelho, verde e azul para formar diferentes cores, a máscara libera quantidades proporcionais de essências para compor a pigmentação que você está tocando”, explica Howard.

O odor exalado depende da programação feita por cada pessoa – no caso de Howard, ele escolheu as essências de lavanda para o azul, grapefruit para o vermelho e pinho para o verde. De acordo com as combinações, o cheiro pode ficar melhor ou pior (para o engenheiro, a mistura da cor cinza não teve um resultado muito agradável).

Ficou curioso? Zachary Howard montou um passo a passo para você fazer sua própria máscara em casa. E aqui você também pode conferir um vídeo demonstrativo.

E para você que se interessa pela área artística e sensorial, o Senac SC oferece diversos cursos na área de design e produção cultural! Clique aqui e descubra qual se adapta melhor às suas preferências!

5 aplicativos para exercitar o cérebro

Quem nos acompanha há algum tempo sabe que acreditamos muito no poder do conhecimento. Por isso, adoramos dar dicas para aprimorar o aprendizado de nossos alunos e leitores. Já falamos sobre como o sono pode contribuir para a memorização, dicas para ler mais e melhor, como criar um cantinho de estudos eficiente, entre outros assuntos interessantes para quem busca uma ajudinha para elevar o patamar na área educacional.

Em um mundo cada vez mais tecnológico e conectado, nada mais justo que aproveitar os inúmeros recursos disponíveis para aperfeiçoar a capacidade mental e desenvolver o raciocínio lógico. Que tal passar alguns minutos por dia exercitando o cérebro com seu smartphone? Confira as nossas dicas de aplicativos abaixo e esteja preparado para expandir sua mente de forma rápida e prática.

1. Lumosity

Disponível para: iOS e Android

Baixado por mais de 70 milhões de pessoas em todo o mundo, Lumosity é um app que visa desafiar a memória de seu usuário por meio de 25 jogos cognitivos que se adaptam conforme o seu desempenho pessoal. Criado por um time de cientistas, a ferramenta é utilizada por mais de 40 instituições acadêmicas em todo o mundo, auxiliando pesquisadores na investigação e compreensão de diversos fenômenos neuropsicológicos. Não é bacana?

2. Fit Brains Trainer

Disponível para: iOS, Android e Windows Phone

Com uma interface simples e intuitiva, o Fit Brains Trainer é um aplicativo que busca estimular a memória, a velocidade de raciocínio e a lógica por meio de 360 sessões de treinamentos. Classificado como o aplicativo número um em mais de 90 países, a ferramenta conta com a chancela de publicações renomadas como Wall Street Journal, Women’s Health e Discorver Magazine.

3. Qranio

Disponível para: iOS, Android e Windows Phone

Qranio é um app criado por uma startup brasileira que visa estimular o conhecimento de novos assuntos por meio da gamificação do aprendizado. A cada sessão, o usuário recebe perguntas sobre diversas áreas para testar seu conhecimento, recebendo Qi$ (a moeda virtual do jogo) para cada resposta correta. Ou seja: quanto mais acertar, mais receberá recompensas para trocar por prêmios virtuais.

4. Little Things Forever

Disponível para: iOs e Android

Um aplicativo que ajuda a desenvolver concentração, foco e atenção de forma simples e divertida. O objetivo do jogo é encontrar pequenos detalhes escondidos em cenários amplos – uma espécie de “Onde Está Wally?” com objetos diversos. A pontuação é calculada conforme a velocidade que o usuário finaliza as tarefas. Além disso, o app também auxilia a desenvolver raciocínio rápido.

5. Eidetic

Disponível para: iOs

A proposta do Eidetic é desenvolver uma habilidade neurológica muito específica: a memória. Para tal, ele utiliza a técnica de repetição espaçada, método que consiste em mostrar repetidamente um número, frase ou objeto em tempos específicos para otimizar a memorização do usuário. Ficou interessado no assunto? Leia mais aqui.

Como qualquer músculo, seu cérebro também precisa se exercitar para ficar em forma. Portanto, mantenha corpo e mente saudáveis, isso trará benefícios não só para os estudos e a vida profissional, mas também proporcionará mais qualidade de vida para seu futuro. Afinal, com maior capacidade de memorização e de raciocínio lógico você terá mais agilidade e desenvoltura de pensamento para encarar os desafios do dia a dia. Faça o teste, baixe os aplicativos da nossa lista e comente suas percepções logo abaixo. ;-)

9 Easter eggs da Google que você precisa conhecer

Sabe o que são easter eggs (ou “ovos de páscoa” em português)? Calma! Você não voltou no tempo e acordou no domingo de páscoa. Hoje continua sendo o mês de maio e, muito provavelmente, todos seus doces já acabaram – infelizmente.

Os ovos que nós estamos falando hoje não têm nada a ver com chocolate, mas sim com segredos escondidos em programas, sites ou jogos eletrônicos. São pequenos códigos ocultos criados pelos programadores e desenvolvedores para desafiar a criatividade dos usuários, gerando uma verdadeira caça ao tesouro virtual. A Google, por exemplo, é uma grande adepta da brincadeira, porém para participar é necessário conhecer os comandos de ativação. Ou então ter a sorte de cair em um deles sem querer. Quer saber mais? Confira nossa lista, descubra alguns dos melhores easter eggs escondidos nos produtos da empresa e divirta-se!

Jogos… jogos em todos os lugares!

1. Google Pacman

Abra a busca do Google e pesquise “google pacman” (sem as aspas). Clique no doodle e aproveite. Agora é só testar suas habilidades em um dos jogos mais clássicos do mundo.

Obs: Cuidado com os fantasminhas! Quem avisa, amigo é. :-)

 2. Atari Breakout

Criado para homenagear um antigo jogo de arcade desenvolvido pela Atari em 76, esse easter egg funciona somente na aba “Imagens” do buscador. Abra a página, busque “atari breakout” e divirta-se!

3. Simulador de voo do Google Earth

Diferentemente dos acima, esse easter egg é um pouco mais complexo de acessar. Para entrar na brincadeira, baixe o Google Earth no seu computador e siga as instruções mostradas no vídeo abaixo. Assim você pode sobrevoar sua cidade natal ou aquele país que você quer conhecer faz tempo sem precisar sair de casa.

Será que o Google enlouqueceu?

4. Do a barrel roll

Fãs da Nintendo conhecem a expressão muito bem. Ela é uma referência ao game Star Fox 64, um clássico importante para a história da empresa. No jogo, o personagem principal é uma raposa que faz um movimento de 360º com sua nave espacial para fugir dos inimigos – ação repetida pelo Google quando você digita o nome da manobra no campo de busca.

5. A resposta para a vida

Você conhece o livro “O Guia do Mochileiro das Galáxias”? Os colaboradores da Google sim. Muitos deles são fãs da saga e, por isso, inseriram um easter egg para homenageá-la. Ao digitar, sem as aspas, “answer to life, the universe and everything” (em tradução livre: “resposta para a vida, o universo e tudo mais”), vai encontrar a mesma resposta encontrada no livro: o número 42.

6. A força da gravidade

Tudo o que existe na Terra está sujeito à gravidade, não é mesmo? Inclusive o Google. Abra a página do buscador, digite “google gravity” e clique em “Estou com sorte”. No início parece que está tudo igual, mas é só mexer o mouse que os elementos começam a cair.

E tem o YouTube também

7. Use a Força, Luke!

É um fã de Star Wars? Esse easter egg é para você. Digite na busca do Youtube a frase “Use the Force, Luke” e veja o resultado. Os elementos do site começarão a aumentar e diminuir de tamanho. Você pode controlá-los por meio do poder do seu mouse, da mesma forma como seria se estivesse utilizando a Força.

8. Doge meme

Se você tem Facebook, WhatsApp e utiliza a internet com frequência, é bem provável que conheça a febre dos memes. Entre os mais populares está o cachorro Doge, a fotografia de um cãozinho raça Shiba Inu acompanhado de textos coloridos em Comic Sans. Para homenagear o cachorrinho, o Youtube criou um easter egg que troca todas as fontes do portal pela famigerada Comics. Faça o teste: digite “doge meme” e veja o que acontece.

9. Webdriver Torso

Em 2014, a internet descobriu um canal do YouTube chamado Webdriver Torso, dono de mais de 80 mil vídeos com o mesmo conteúdo: duas formas geométricas com as cores azul e vermelha. Na época, os internautas criaram diversas teorias da conspiração para explicar o mistério – mensagens criptografadas por espiões franceses, códigos utilizados por extraterrestres que estariam vivendo na Terra e até um enigma desenvolvido pelo FBI para captar novos talentos para a organização. Porém, na realidade, os vídeos eram da própria Google, que utilizava o canal para fazer testes de conexão e upload. Para  continuar a brincadeira, a empresa criou um easter egg. Quer conferir? Abra o YouTube e digite a frase. A busca ficará toda nas cores do canal.

E você? Conhecia todos os segredos da nossa lista? Sabe de algum easter egg interessante que não esteja nela? Comente abaixo.

Conheça também a nossa graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Quem sabe você também poderá criar seus próprios easter eggs no futuro. Acesse o link e inscreva-se!

5 dicas para aproveitar a internet com segurança

Desde que você era pequeno a sua mãe dizia: “segurança nunca é demais”. Com essa preocupação na cabeça, certamente você aprendeu a tomar cuidado com algumas atitudes no seu dia a dia. Evitar contar dinheiro em público, nunca abrir a porta de casa para estranhos e sempre optar por andar nas áreas mais iluminadas da rua, por exemplo, são apenas algumas das precauções tomadas todos os dias de forma quase automática, mas que claramente ajudam a nos manter seguros quanto a situações indesejadas.

Em um mundo cada vez mais integrado e digitalizado, muitas vezes a ameaça não está necessariamente lá fora. Ela pode estar há apenas alguns centímetros de distância, no seu tablet, smartphone ou tela de computador. Quem não conhece alguém que teve o seu e-mail ou conta das redes sociais “hackeada” alguma vez na vida? Histórias desse tipo se tornaram bastante comuns desde a popularização da internet, mas sentimos dizer que dificilmente elas têm alguma conexão com um gênio do mal da informática. Muitas vezes essas invasões de privacidade ocorrem por descuido e, por isso, nós decidimos criar algumas dicas bacanas para deixá-lo mais seguro na world wide web. Ficou interessado? Confira!

1. Clicar ou não clicar, eis a questão

Se você recebeu um link por e-mail ou mensagem privada (no Facebook Messenger, Hangout, Whatsapp, etc.) de alguém que você não conhece, não clique. Lembra quando seus pais diziam para não confiar em desconhecidos? Na internet essa lição também é válida. Por isso, não importa se o link leva para uma notícia bombástica ou para uma simples piadinha inofensiva, sempre desconfie. Se o assunto realmente é do seu interesse, pesquise-o diretamente no Google – ele sabe de tudo.

2. Os perigos das redes sociais

Há alguns anos havia uma piada que dizia: “se não está no Google, não existe”. Hoje essa frase pode ser atualizada para “se você não tem um perfil no Facebook, você não existe”. Brincadeiras à parte, somente a rede social de Zuckerberg possui mais de 1 bilhão de usuários. Somada às demais, o número de pessoas conectadas todos os dias é surpreendente. Por isso, nada mais natural do que essas plataformas serem alvo de algum tipo de golpe, não é mesmo? Fique atento: tome cuidado com aplicativos de sites externos – eles podem colher dados pessoais importantes sem a sua autorização.

Além disso, evite se expor em excesso. Será que todo mundo precisa saber cada passo que você dá durante o dia? Proteja as suas informações para que estranhos não consigam perceber a sua rotina e atualize as suas configurações de privacidade.

3. Conheça o poder da janela anônima

Toda vez que você abre um site são armazenadas diversas informações de acesso no seu computador – inclusive o seu login de e-mail e redes sociais. Por isso, se você está fora de casa e precisa usar uma máquina pública, acesse o modo anônimo do seu navegador. Assim, você não precisa se preocupar se deixou Facebook ou Gmail abertos. No momento em que a janela é fechada todos os dados são deletados automaticamente. Não é incrível?

4. Escolha uma senha inteligente

Senhas são o ponto fraco de todo mundo – no mundo todo. Em 2015, a consultoria SplashData divulgou o resultado de uma pesquisa na qual foram eleitas as 25 piores senhas da internet. Entre as colocadas estão: 123456, password (senha em inglês), qwerty (primeira sequência de letras do teclado abaixo das teclas numéricas), abc123 e starwars. Portanto, se você utiliza alguma dessas combinações nas suas palavras-chave sugerimos que mude imediatamente.

Para criar uma senha forte, mas fácil de memorizar, existem algumas orientações interessantes: procure criar uma senha com – no mínimo – oito caracteres, misturando números, letras e símbolos. Misturar duas palavras também pode ser útil, por exemplo: ESTUDO + SENAC = ESTUNAC.

5. Atualize sempre!

Sim. Nós sabemos que atualizar softwares, navegadores e sistemas operacionais pode ser um pouco chato. Pior ainda quando as novas versões estão cheias de problemas como os temíveis bugs, certo? Contudo, precisamos insistir. Essa é a única forma de garantir que o seu computador receba os últimos pacotes de dados que as empresas oferecem – inclusive os serviços de segurança. Vírus e malwares de computador estão sempre em busca de brechas nos sistemas e, por isso, as empresas precisam emitir atualizações constantes para corrigir possíveis falhas e tornar a sua experiência de usuário a melhor e mais segura possível.

Está convencido? Assim como na vida real, a vida cibernética pode se tornar muito mais segura se você tomar algumas atitudes. Caso você conheça alguma dica que não divulgamos, comente abaixo. Adoraríamos saber o que você faz para estar mais protegido na web. ;-)

Por falar em segurança na internet, você sabia que o Senac possui um curso de especialização em Segurança da Informação? Se você se interessa por compreender, analisar e mapear riscos e vulnerabilidades no mundo digital, acesse o link e inscreva-se!