O cenário geral tem se reinventado, principalmente no setor tecnológico. E para acompanhar essas tendências, é importante se adequar às novas necessidades.

Uma das tendências é a questão dos cuidados com os dados de clientes ou possíveis interessados. Nessa era virtual, temos que prever a responsabilidade com relação aos dados dos  usuários, não invadir a privacidade de qualquer pessoa, saber o que fazer e respeitar quando temos acesso a um e-mail, CPF ou qualquer outro dado de alguém.

Para isso, entrou em vigor a chamada LGPD, que é a lei de proteção de dados, que resguarda clientes ou possíveis interessados com relação aos dados fornecidos pelo usuário.

O uso abusivo de envio de e-mail e outras ações tecnológicas, criaram um novo cenário resguardando quem recebe informações sem ter autorizado.

Interação tecnológica, apesar de estarmos num patamar avançado neste tema, a humanização e proximidade com o cliente devem permanecer, para que não ocorra uma abordagem fria e robótica.

Centralizar os processos também é importante, termos canalizado as informações num único lugar, faz com que seja possível ter um maior controle e prever falhas, verificar métricas e potencializar acertos.

Responsabilidade social, qualquer marca ou serviço, deve entender seu espaço no mercado e poder de fala.

Desta forma, com pequenos cuidados, o mercado consegue avaliar o comportamento do consumidor e se adequar a novas premissas.

Publicações Relacionadas