Tag: Tecnologia da Informação

Lugar de mulher é… na programação

Vamos fazer um teste rápido?
Quem você acha que consome mais tecnologia: o homem ou a mulher?

Se você escolheu a segunda opção, parabéns – você sabe mais sobre o comportamento de consumo feminino do que muita gente por aí. De acordo com uma pesquisa realizada pela rede varejista americana Walmart, 63% das compras de produtos como notebooks, celulares, PCs e respectivos acessórios são realizadas por mulheres.

Quer saber outra curiosidade interessante sobre tecnologia e o público feminino? A primeira pessoa a programar para um computador foi uma mulher. O seu nome era Ada Lovelace, uma matemática e escritora britânica nascida em 1815. Contrariando as expectativas de seu pai, o poeta inglês Lord Byron, cujas crenças afirmavam que “as mulheres deveriam se ocupar com os afazeres domésticos”, Ada escreveu o primeiro algoritmo a ser processado por uma máquina, entrando para a história.

Contudo, apesar dessa ligação histórica entre a mulher e o início da Tecnologia da Informação, a participação feminina na área ainda é bastante limitada. Hoje, segundo pesquisas, as mulheres representam apenas 20% do total de trabalhadores do segmento e nas salas de aula dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Engenharia da Computação, elas geralmente são a minoria. Mesmo aqui, em Santa Catarina – estado cuja capital é considerada o “Vale do Silício brasileiro” – a tendência permanece a mesma: apenas 24,3% do empreendedorismo tecnológico é representado por mulheres.

Mas nem tudo está perdido. Se você é mulher e deseja aprender a programar ou conhece alguma com esse sonho, saiba que já existem diversas iniciativas que visam incentivar uma mudança cultural significativa neste mercado, como o Technovation Challenge, a Bolsa Toptal para Mulheres Desenvolvedoras e o grupo Anitas.

Conheça um pouco mais sobre cada uma delas abaixo.

1. Technovation Challenge

Fonte: Technovation Challenge Brasil / Reprodução

Um programa global de empreendedorismo e tecnologia voltado para o público feminino. São criados times de meninas com idade de 10 a 18 anos que, junto aos seus mentores, desenvolvem aplicativos para solucionar problemas sociais.

Em 2015, a iniciativa impactou mais de 2.000 meninas em 21 estados brasileiros.

>> Conheça: http://www.technovationchallenge.org/brasil

2. Bolsa Toptal para Mulheres Desenvolvedoras

Iniciativa que busca capacitar e apoiar mulheres que desejam se tornar engenheiras de software profissionais. As mulheres selecionadas receberão uma bolsa de estudos no valor de US$ 5.000 (o equivalente a cerca de R$ 18.500), cursos semanais de capacitação e o acompanhamento de um engenheiro de software sênior da empresa. O objetivo é auxiliar as vencedoras a alcançarem os seus objetivos profissionais com mais facilidade, equilibrando o mercado de trabalho tecnológico como um todo.

>> Conheça: http://www.toptal.com/press-center/toptal-scholarships-for-female-developers

3. Anitas

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Localizado em Florianópolis, Anitas é um grupo de mulheres engajadas no empoderamento feminino na área de tecnologia e empreendedorismo. Com foco em contribuir para a igualdade de gênero nas oportunidades profissionais relacionadas ao ramo da ciência da computação, a iniciativa busca fornecer um espaço seguro para mulheres compartilharem conhecimentos, experiências, dúvidas e ideias por meio de workshops, cursos e palestras.

>> Conheça: http://anitas.com.br/

Seja no mundo da tecnologia ou não, a verdade é que as mulheres podem fazer qualquer coisa que elas quiserem. Se você concorda e tem uma boa história de superação para compartilhar com a gente, escreva nos comentários! ;-)

Por que cursar Gestão em Tecnologia da Informação?

O Brasil é o 12º mercado de software no mundo e tem um crescimento anual de 11%.
Só em Santa Catarina, mais de 3 mil empresas de tecnologia empregam diariamente cerca de 25 mil pessoas, produzindo R$ 1,5 bilhões em bens e serviços, com mais de 80% exportado para outras regiões do país e para o exterior.

Essa é só mais uma comprovação de que o setor tecnológico está se expandindo cada vez mais. Se você gosta do assunto e quer trabalhar na área, chegou a hora de investir na sua carreira e se capacitar.

A graduação em Gestão da Tecnologia da Informação, por exemplo, é ideal para aqueles que desejam se destacar.
Quem opta pelo curso aprende a planejar e a gerenciar projetos de infraestrutura nas empresas; descobre como prestar consultoria na análise de soluções de TI e como administrar as equipes dos projetos. Tudo isso a partir de conhecimentos específicos e consistentes da própria área de atuação – hardware, software, banco de dados e equipamentos.

O tecnólogo é capacitado para diagnosticar disfunções do sistema, solucionar problemas de rede e, até mesmo, escolher os projetos de informática que podem ser adotados na empresa em que trabalha. É ele quem determina as estratégias de como a informática pode ser usada para garantir um bom desempenho em cada setor de uma companhia.

E então, se interessou e acha que Gestão da Tecnologia da Informação tem tudo a ver com o seu perfil? Não perca tempo, ainda mais agora, que você sabe que o mercado brasileiro é favorável. O Senac está com as inscrições abertas para o processo seletivo. Para mais informações acesse: http://senac.sc/06z5F7

Onde e como atua o Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação?

Se você gosta de gerenciar projetos e se interessa pela área de TI, o Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação pode ajudá-lo a construir uma carreira de sucesso.

Os profissionais que atuam nesse segmento são responsáveis por implementar e gerenciar os recursos de TI dentro das empresas. São eles que avaliam a segurança, o banco de dados, o sistema de informação e determinam como a informática será usada para garantir bons resultados dentro de cada setor que estabelece uma companhia.

O Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação capacita profissionais para atuar como consultores dentro da área de TI, assim como administradores de equipes e de projetos voltados ao segmento. A graduação tem como base os conhecimentos específicos dentro da Tecnologia da Informação: hardware, software, banco de dados e equipamentos.

Carga horária: 2100 horas
Eixo tecnológico: Informação e Comunicação
Duração: 2 anos e meio

Perfil profissional:

Ao final do curso o aluno apresentará as seguintes competências:

Diagnosticar e analisar a infraestrutura da empresa para implantação de soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação;

Elaborar projetos de Tecnologia da Informação e Comunicação (Redes, BD, Aplicações, Equipamentos) articulando a infraestrutura tecnológica com processos, pessoas e informações;

Escolher, avaliar e coordenar soluções e necessidades de aplicativos nos ambientes de negócio;

Gerenciar processos de infraestrutura de Tecnologia da Informação;

Otimizar recursos tecnológicos, propondo soluções para os processos de produção de serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação para o negócio minimizando riscos de investimentos fornecendo subsídios na tomada de decisões (custo/benefício) na infraestrutura de Tecnologia da Informação;

Trabalhar em equipe, interagindo em situações de natureza diversificada, de forma contextualizada nas diversas atividades desenvolvidas no seu trabalho, demonstrando criatividade e autonomia na dinâmica estabelecida, propondo novas alternativas e formas adequadas à solução de problemas.