Tag: mercado de trabalho

Senac Varejo é oportunidade para se preparar para o mercado

O Brasil apresentou queda de 33% na geração de empregos no último ano, e este é o pior resultado desde 2009. Este cenário, segundo o Ministério do Trabalho, é reflexo da crise internacional, que atingiu também o país. Ainda assim, o setor de serviços liderou a geração de empregos, seguido do comércio varejista. Juntos, estes dois setores geraram mais de 1 milhão de postos de trabalho.

O crescimento no setor de serviços se deve a situação econômica pela qual o Brasil tem passado. A renda de muitas famílias aumentou e desta forma foi possível começar a utilizar serviços, que até então, com uma renda menor, pareciam ser supérfluos. Comer fora de casa, ir mais vezes por semana ao salão de beleza, ter televisão por assinatura, etc, são apenas alguns dos itens que ajudaram a alavancar a geração de empregos no terceiro setor.

Com as marcas varejistas a situação é a mesma. O aumento da renda somado as facilidades de crédito, permitiram que os brasileiros da classe C obtivessem poder de compra. Bens de consumido mais caros e com maior valor agregado deixaram de ser sonhos da classe média para se tornarem realidade dentro de suas casas.

Para muitos empresários, esta boa fase da economia foi a oportunidade perfeita para investir em novos pontos de venda, treinamento e contratação de novos colaboradores. Estar preparado para entender o mercado é um diferencial competitivo importante pra lidar com a concorrência. Quem deseja estar atualizado com as possibilidades do mercado catarinense não pode ficar de fora do programa Senac Varejo. Ele proporciona a gestores e colaboradores do comércio varejista a possibilidade de aperfeiçoar suas práticas diárias por meio da implementação de ferramentas de gestão aplicáveis ao seu negócio. Estruturado a partir de pesquisas do mercado catarinense, o programa tem como objetivo colaborar no processo de profissionalização das empresas do segmento varejista, ampliar a visão na busca por inovações e melhorias e discutir novas técnicas e ferramentas de gestão aplicáveis ao segmento.

Inscrições abertas para o processo seletivo Senac!

Você está pensando em começar um curso superior, mas tem medo de errar na escolha? Então conheça os cursos tecnólogos do Senac. São diversas opções para quem está focado em atividades práticas e que atendem diretamente a demanda das empresas.

Se você quer obter uma graduação para se inserir no mercado de trabalho, os cursos tecnólogos são a melhor opção. Por ter uma grade de matérias que prioriza a prática, os cursos superiores de tecnologia atualizam-se anualmente de acordo com as necessidades do mercado. O formato do curso tem agilidade para atender a dinâmica das mudanças por ter aulas práticas e por incentivar os estágios.

Nos últimos anos, a procura por esses cursos cresceu, o perfil dos alunos mudou e o mercado de trabalho criou nichos que só os tecnólogos conseguem ocupar. Em 2010, no Brasil, haviam 226.053 matriculados em cursos tecnólogos, sendo que 8.150 são alunos de Santa Catarina.

O perfil clássico de quem cursava o tecnólogo era o de pessoas que já estavam no mercado de trabalho, mas pensavam em fazer um curso superior por não haverem concluído a faculdade, ou mesmo nunca terem frequentado uma. Eram alunos, geralmente, entre 25 e 30 anos, que buscavam progressão na carreira. Esse tipo de aluno, ainda procura os tecnólogos e junto a ele, alunos que acabaram de sair do ensino médio e querem seguir uma carreira. Em Santa Catarina o Senac oferece cinco cursos de graduação tecnológica divididos em oito Faculdades de Tecnologia. São eles: Gestão Comercial, Processo Gerenciais, Gestão da Tecnologia da Informação, Gestão de Recursos Humanos e Logística. As inscrições podem ser feitas até dia 25 de novembro clicando aqui. 

Ficou com alguma dúvida? Ligue pra gente, e comece hoje mesmo a traçar seu caminho para o futuro.

Faculdade Senac Florianópolis: 48 – 3229-3200
Faculdade Senac Criciúma: 48 – 3437-9801
Faculdade Senac Blumenau: 47 – 3035-9999
Faculdade Senac Caçador: 49 – 3563-0000
Faculdade Senac Chapecó: 49 – 3361-5000
Faculdade Senac Jaraguá: 47 – 3275.8400
Faculdade Senac São Miguel do Oeste: 49 – 3621-0055
Faculdade Senac Tubarão: 48 – 3632-2428


 

Cool Hunter: o caçador de tendências

Observar, pesquisar, fotografar, infiltrar-se em grupos de jovens e a partir disso antecipar tendências. Essa é a função de um cool hunter, ou em bom português, um caçador de tendências. Esse profissional precisa ser capaz de reconhecer futuros padrões de comportamento no que diz respeito a produtos de consumo. Ele precisa ser capaz de prever o que será sucesso nos próximos anos e fazer isso baseado em seu conhecimento e naquilo que é capaz de identificar como tendência.

O que a princípio pode parecer um trabalho simples e fácil, na verdade exige muita atenção, concentração e um senso de percepção que a maioria não tem. Das passarelas de moda a um assunto mobilizador de uma mesa de bar: tudo pode servir de brecha para um cool hunter captar o que pode virar uma tendência.

A cool hunter Sabina Deweik, do instituto de pesquisas de tendências de consumo Future Concept Lab, é formada em jornalismo e tem dois mestrados no currículo, um em comunicação da moda e outro em semiótica. Em entrevista ao portal Exame.com ela define a sua profissão: “O cool hunter é um pesquisador que observa em 360 graus o que está acontecendo de novos comportamentos em uma determinada região. Para isso, ele observa várias áreas. Não só moda”.

Sabina também explica como é a sua rotina de trabalho e deixa claro que, mais que uma profissão, ser uma caçadora de tendências é também um estilo de vida. “Cerca de 40% do trabalho é em campo. Não é só tirar foto de vitrine, você precisa levantar hipóteses. Então, tem uma pesquisa anterior. Depois do mapeamento, você desenvolve um relatório com base no que observou. Você não pode fazer interpretações erradas. Não pode afirmar que é uma tendência algo que vai durar apenas um ano”, explica.

O mercado para essa nova área profissional está em formação no Brasil, pois até pouco tempo as empresas recorriam às agências de publicidade e marketing para essa função. Não há ainda cursos de formação específicos para a profissão, mas agências especializadas já estão se dando conta da necessidade brasileira. Para quem deseja seguir nesta carreira é necessário saber que é preciso muita dedicação, estudo, conhecimento, comprometimento e senso crítico para encontrar e transformar em informação valiosa as tendências que flutuam por aí.

Cortes de cabelo e o mercado de trabalho

O estilo revela muito sobre a personalidade de uma pessoa. O estilo dos cabelos, então, nem se fala. Segundo o artista plástico Philip Hallawell, autor do livro “Visagismo Integrado: Identidade, Estilo e Beleza” (Editora Senac/SP), o corte de cabelo pode inclusive determinar a postura de um profissional. O que será que o seu cabelo está dizendo sobre você?

Para Hallawell, boa parte da mensagem está nas linhas que compõe o corte, que podem ser retas, inclinadas ou curvas: “Cortes retos estão ligados à determinação e liderança, linhas inclinadas são associadas à criatividade, e as curvas são de suavidade, indicadas para médicos e enfermeiras”. O comprimento também fala. No mundo corporativo, os fios longos deveriam ser evitados ou presos. “O cabelo longo é sinal de sensualidade. Prender demonstra comprometimento”, afirma.

A sugestão de profissionais da área de consultoria é que os funcionários tentem ficar alinhados ao perfil das empresas onde se inserem. Se o ambiente for mais formal, vale a pena tomar cuidado para não ousar e acabar passando uma imagem que fuja ao ideal.

Veja algumas dicas, com informações da Revista EXAME.

Para os homens:

Tradicional – Cortes curtos e retos, estilo Roberto Justus. Ideais para homens que ocupam cargos executivos. Podem ser usados com gel ou pomada modelando para trás, criando aspecto molhado ou um topete. Exige uma passadinha mensal no salão.

Casual – Cortes mais irregulares dão um ar de dinamismo, bem-vindo em empreendedores e publicitários. Podem ser modelados com pomadas. O ideal é que a irregularidade seja calculada, sem virar bagunça. Esse estilo de corte merece uma manutenção a cada 2 meses.

Criativo – Aqui ganham espaço os mais espetados, cacheados e usados ao natural. Fios mais longos? O indicado é que cheguem ao máximo até a nuca. Nada de exageros, até porque quem lida diretamente com clientes deve ter uma aparência democrática, que agrade a todo o tipo de pessoas.

Para as mulheres:

Tradicional – Comprimento não ultrapassa a altura dos ombros, misturando linhas retas e curvas. O ideal é usar chapinha para manter o cabelo alinhado e visitar o salão a cada 45 dias para manter o corte. O chanel é sempre uma boa pedida, mas para dar um ar mais moderninho, vale uma leve repicada.

Casual – Com aspecto mais natural, normalmente contam com a frente repicada abaixo do queijo e os fios mais longos modelados com escova. Curtos bem repicados e com pontas irregulares, apesar de fugirem do tradicional podem ser positivos, demonstram iniciativa. Cortar a cada dois meses é o ideal.

Criativo – Mais ousado, permite cortes e cores diferentes. Cachos mais soltos e até o black power. Um visual propositadamente largado, repicado e com pontas desarrumadas – como o da modelo Kate Moss – é a aposta dos mais moderninhos, mas não é bem aceito em qualquer ambiente. A manutenção para estes cortes depende do estilo, mas em geral três meses é o suficiente para manter o corte bonito e os cabelos saudáveis.

Bem interessante, né? Mas se não tem nada a ver com você, não adianta investir em um corte tradicional. O ideal é prestar atenção ao ambiente e tentar encontrar seu estilo dentro do contexto. Estar confortável é sempre a melhor opção! :)