Tag: empreendedorismo

Contabilidade para não contadores

A contabilidade é essencial para uma empresa. Seja em um pequeno negócio local ou uma multinacional global, a correta gestão desse serviço proporciona aos empreendedores tranquilidade para que o trabalho seja desenvolvido com sucesso. Ter conhecimento sobre esse assunto e saber a maneira como funciona pode ser decisivo na gestão dos negócios. Ao entender sobre todos os aspectos que a contabilidade envolve, é possível traçar um  planejamento de equilíbrio entre receitas e despesas, evitando transtornos ligados aos planos econômico e financeiro.

Para o público em geral que deseja saber mais sobre contabilidade e agregar conhecimentos de finanças à sua vida, o Senac oferece o curso de Contabilidade Para Não Contadores. O objetivo do curso é desenvolver os participantes na aplicação dos princípios de contabilidade e na interpretação das operações contábeis e financeiras. Essa é uma ótima oportunidade para quem, futuramente, pretende investir na profissão ou para empresários que desejam conhecer melhor essa importante área para administração dos recursos da empresa.

Com o curso, que tem carga horária de 28h, os alunos terão uma noção básica de contabilidade, conhecendo conceitos como ativo e passivo, balanço patrimonial e demonstrações contábeis. Os conhecimentos adquiridos na capacitação será possível apurar a situação de uma empresa a partir de análise crítica, realizada após o cálculo dos indicadores de desempenho contábil e financeiro. Se você tem uma pequena empresa e ainda fica confuso com os números que o contador apresenta, essa é a chance para você entender os detalhes financeiros básicos de seu próprio negócio, e assim, fazê-lo crescer ainda mais.

 

Parabéns, comerciantes!

Comprar, vender, negociar e mostrar boas oportunidades: essas são apenas algumas das atribuições dos comerciantes. É histórico, uma pequena vila ou um bairro começa a se desenvolver de fato a partir do momento em que um comércio chega ao local. Com isso, o dinheiro começa a circular regionalmente, o que gera mais riquezas para o local.

O profissional de comércio é essencialmente um empreendedor. Responsável por levar até as pessoas desde produtos para as necessidades básicas até bens de consumo de alto valor, esses profissionais são também realizadores de sonhos e agentes de transformação. O cliente tem o desejo de consumir e o comerciante precisa estar no lugar certo, na hora certa.

A data de 16 de julho foi instituída como o Dia do Comerciante em homenagem ao aniversário de José Maria da Silva Lisboa, mais conhecido como Visconde de Cairu. Ele foi um grande incentivador da abertura dos portos brasileiros ao comércio. Quando dom João VI passou pela Bahia, o Visconde lhe apresentou as vantagens que o país teria com a abertura dos portos, tendo grande influência sobre a Carta Régia de 24 de janeiro de 1808, que autorizou o comércio entre o Brasil e outros países.

Neste dia tão especial, o Senac parabeniza a todos os profissionais que dedicam sua vida a este ofício, e que diariamente ajudam a desenvolver a economia deste País.

Conhecimento que gera bons negócios

Pessoas com espírito empreendedor geralmente tem boas ideias para novos modelos de negócios, mas nem sempre tem coragem, dinheiro ou conhecimento para colocar a ideia em prática. A cautela no momento de decisão sobre o investimento, ou não, em seu próprio negócio é importante para que a empresa tenha futuro.

Saber quem é o seu público, quem são seus concorrentes e quais as possibilidades reais de sucesso são apenas alguns aspectos a ser considerados na hora de empreender. Este tipo de conhecimento pode ser adquirido em salas de aula, e fazer toda a diferença para os futuros empresários.

E isto foi exatamente o que aconteceu com Airton Weber, da Way Auto Peças, de São Miguel do Oeste. Depois de 22 anos de experiência em uma empresa de autopeças, Weber percebeu que havia mercado para abrir seu próprio negócio. Orientado pelo professores do curso de Gestão Comercial do Senac, o empresário realizou uma pesquisa de mercado para confirmar as possibilidades de abrir uma nova loja, reconheceu as necessidades, identificou os clientes e os produtos precisos. Depois de muitas análises, Weber deixou seu trabalho e passou a se dedicar à implantação de seu próprio negócio.

Após 2 anos a Way Autopeças já conta com 11 colaboradores. “No começo passamos por algumas dificuldades, principalmente na compra de produtos. Pensei  em desistir. Mas, com apoio dos clientes e persistência, dei sequência às atividades. Hoje, estou satisfeito com essa escolha, a empresa está crescendo, tanto na linha de produtos como no quesito número de clientes. Acredito que tudo aconteceu no momento certo”, destaca Weber.

Se você também tem boas ideias e muita vontade de ter o próprio negócio, inscreva-se no Processo Seletivo Senac. São diversos cursos nas áreas de empreendedorismo, negócios, serviços e tecnologia. As inscrições seguem até o dia 23 de junho. Clique e saiba mais.

Ganhe dinheiro com a Páscoa!

A época de Páscoa é uma ótima oportunidade para quem deseja ganhar uma renda extra. As guloseimas tradicionais da data podem render um bom dinheiro ao final das comemorações. Você pode começar vendendo bombons e ovos de chocolate para os seus amigos, e quem sabe com o tempo, tornar este o seu principal negócio e fornecer para padarias, mercados, etc. O preço dos produtos que você vai usar para fabricar os doces pode variar muito de região para região, mas o recomendado é que o valor de venda seja de 100% em cima do valor unitário de cada doce – incluindo os custos fixos, como energia, gás e água.

Além de sabores pouco comuns, outro diferencial nos produtos artesanais são as embalagens. Vale a pena investir em formatos e papéis exclusivos para embrulhar os doces. Isto irá valorizar o produto e também o seu trabalho.

Veja abaixo uma receita de Bombom de Castanha do Pará, que pode ser embalado individualmente ou em caixinhas com 4 ou 9 unidades.

Ingredientes

– 90 g de chocolate em pó

– 100 g de castanha-do-pará triturada

– 1 lata de leite condensado

– 200 g de leite em pó instantâneo

– 400 g de chocolate ao leite para cobertura

Modo de preparo

  1. Em uma tigela média, coloque o chocolate em pó, a castanha-do-pará, o leite condensado, o leite em pó e misture até formar uma massa.

  2. Modele os bombons.

  3. Derreta o chocolate ao leite de acordo com as instruções da embalagem e, com a ajuda de um garfo, banhe os bombons.

  4. Coloque-os em uma travessa rasa forrada com papel-manteiga e leve à geladeira até secar.

  5. Coloque em forminhas de papel.

Dica: se preferir substitua a castanha-do-pará por crocante, encontrado em lojas especializadas.

Jovem Aprendiz: oportunidade para aprender e se inserir no mercado de trabalho

O programa Jovem Aprendiz é uma iniciativa do Governo Federal baseado em leis que determinam que empresas de médio e grande porte contratem jovens entre 14 e 24 anos, para capacitação profissional (prática e teórica), cumprindo as cotas que variam de 5% a 15% – dependendo do número de funcionários efetivos qualificados na instituição. Este programa é uma boa oportunidade para jovens que buscam entrar no mercado de trabalho e adquirir qualificação profissional.

Grandes empresas como Eletrobrás, Petrobrás, Santander, Caixa Econômica Federal e Gerdau já selecionam estudantes a partir do programa e oferecem comprovante em carteira, remuneração e todos os direitos trabalhistas. Apesar de os salários não serem compatíveis com o mercado, a experiência no currículo conta muito quando o tempo do programa acabar, já que muitas faculdades não oferecem o conhecimento prático em sua grade de ensino.

As inscrições para o programa variam para cada empresa, que escolhe a melhor época para selecionar seus aprendizes. Procure sua instituição de ensino para obter informações sobre o período de inscrições no programa Jovem Aprendiz ou acesse o site do Ministério do Trabalho. Outra fonte de informação é o DRT da sua região ou a Coordenadoria Geral de Preparação e Intermediação de Mão de Obra Juvenil.

Osgemeos: grafite do Brasil que conquistou o mundo

O grafite brasileiro ganhou o mundo. Com diversos expoentes já consagrados, a arte de rua, antes marginalizada e desvalorizada hoje já circula por museus e grifes famosas. Um dos nomes mais importantes do cenário nacional é dos irmãos Gustavo e Otávio Pandolfo, mais conhecidos como osgemeos.

Desde pequenos os irmãos já inventavam suas próprias brincadeiras e mostravam muita criatividade ao desmanchar os presentes que ganhavam para transformá-los em outros objetos. O grafite entrou na vida de Gustavo e Otávio em 1986, quando a cultura hip hop começou a ser difundida no Brasil. Naquela época, com apenas 12 anos, tudo era novidade e sem muitas referências, o que deu a eles criatividade para desenvolver sua própria linguagem e estilo.

Os desenhos de homens e mulheres amarelos espalhados por todo o mundo são facilmente identificados, uma marca registrada da dupla. Recentemente a grife Louis Vuitton fez uma parceria com os irmãos e lançou um lenço estampado com seus desenhos.

Veja na galeria as imagens dos grafites da dupla.

Alunos do Senac disputam prêmio de empreendedorismo

Alunos das Faculdade Senac de Florianópolis e Jaraguá do Sul, são finalistas do 5º Concurso Estadual de Planos de Negócio para Universitários, promovido pelo Sebrae/SC. O concurso tem como objetivo estimular a cultura do empreendedorismo, promover a prática do planejamento empresarial no ambiente acadêmico e contribuir para que os universitários catarinenses montem seu próprio negócio de forma planejada.

O concurso é dividido em cinco categorias: Indústria, Comércio, Serviços, Agronegócios e Negócios Digitais. Os nossos alunos Carla Fabiane Deretti Ferreira e Juan Ely Soares da Silva são finalistas na categoria de Serviços e concorreram com estudantes de instituições de ensino de todo o estado. Ao todo, foram selecionados 5 finalistas em cada uma das categorias.

No dia 30 de novembro serão apresentados os vencedores de cada categoria. A premiação para os vencedores é uma viagem para o Vale do Silício, região famosa pelo número de empreendedores, para conhecer empresas como a Google, Facebook, entre outros.

Nesse blog você pode conferir mais informações e ainda super dicas de empreendedorismo e de como montar o seu plano de negócios.

Seja um empreendedor digital

Comodidade, variedade, preço competitivo e condições de pagamento. Esses são alguns dos motivos que fazem o comércio via internet cada vez mais popular na vida dos brasileiros. A facilidade de encontrar tudo o que se deseja ao alcance de um clique faz com que diariamente diversas lojas on line sejam criadas, vendendo todo tipo de produto e serviço.

Apesar de aparentemente simples, abrir um negócio na web necessita de alguns cuidados. Os empreendedores digitais muitas vezes ficam barrados em burocracias que envolvem licenças e alvarás de funcionamento, tal qual uma loja física. Quem está disposto a entrar nesse mercado precisa  lidar com riscos e estar ciente de que um bom planejamento é fundamental. O e-commerce (comércio eletrônico) está em pleno crescimento e a tendência é de que aumente nos próximos anos.

Se você tem uma ideia inovadora para empreender e não tem muito dinheiro para investir, a internet é o caminho mais indicado. Então, fique ligado nas dicas que a revista Você S.A. selecionou para evitar armadilhas no comércio on line.

1. Trâmites burocráticos

Tirar uma empresa do papel leva tempo. Você deve considerar todos os mecanismos legais para a criação de um empreendimento digital e se preparar financeiramente para os meses anteriores à inauguração do negócio.

2. Pequenos passos

Seja realista e invista em infraestrutura de acordo com a necessidade da empresa. Dê um passo de cada vez e de acordo com o que você tenha condições de bancar.

3. Dedicação exclusiva

Muitas pessoas abrem empresas enquanto ainda estão empregadas. Apesar de ser possível, o desgaste é muito grande e há risco de o novo negócio demorar a engrenar.

4. Área de competência

Você não é um especialista em tudo. Procure cercar-se de pessoas que tenham conhecimentos diferentes dos seus e que possa somar ao novo negócio.

5. Seja Paciente

É necessária muita coragem para encarar um desafio na internet. É um mercado relativamente novo, do qual ainda não há dados suficientes para saber o que dá certo e o que não dá.

6. Erre para aprender

Como tudo na vida, abrir um negócio virtual é um grande aprendizado. Não tenha medo de errar.

Fonte: Você S.A.

O doce de festinha que virou negócio lucrativo

O brigadeiro, doce genuinamente brasileiro e velho conhecido das festinhas infantis, ganhou status de guloseima sofisticada. Por todo o país empreendedores perceberam o potencial financeiro que o docinho poderia render ao sair do universo unicamente festivo para ganhar grife com outros ingredientes.

A tradicional receita que leva leite condensado, manteiga e chocolate ganhou novos sabores. Desde diferentes tipos de chocolates até ingredientes tradicionalmente salgados como gergelim, wasabi e funghi. O doce se reinventou com a criatividade dos empresários brasileiros, que não se cansam de inovar. São novos formatos, novas maneiras de servir e novos locais para degustar.

Os consumidores, potencialmente todos os que um dia já comeram brigadeiro, adoraram a novidade e ajudam a engordar o cofrinho das docerias especializadas. A Brigaderia, mesmo com pouco tempo de vida, já tem faturamento na casa dos milhões. De acordo com a criadora da marca, Taciana Kalili, uma das explicações para o sucesso foi a escolha dos pontos comerciais. Todas as dez unidades de venda estão localizadas em shoppings e aeroportos de grande fluxo de pessoas, com predominância do público das classes A e B. “Foi uma estratégia muito bem pensada. Optamos por trabalhar com ingredientes importados, o que aumenta custo do produto final”, diz. Somente em 2011, a empresa faturou R$ 10 milhões.

Para quem ficou com água na boca ao ler a matéria segue uma receita de brigadeiro gourmet. Vale também pra quem estiver pensando em investir nesse segmento. Quem sabe você também não se torna um milionário dos doces? :)

Brigadeiro de Nutella

Ingredientes

1 lata de leite condensado
50 ml de leite
1 colher de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de Nutella
1 xícara de chá de avelãs trituradas

Modo de preparo

1. Em uma panela, misture o leite condensado, o leite, a Nutella e a manteiga. Leve ao fogo baixo, mexendo sempre até desprender do fundo.
2. Retire do fogo e salpique 1 colher de sopa da avelã triturada sobre a mistura.
3. Transfira a massa para um prato fundo untado com manteiga, espalhe bem e deixe esfriar.
4. Enrole as bolinhas com as mãos (que também precisam ser untadas!) e passe-as sobre a avelã triturada para confeitar.

Fonte: UOL

Você tem pensamento de empreendedor?

É como diz a imagem aí em cima, o emprego dos seus sonhos não existe, você precisa criá-lo. Para quem tem o espírito empreendedor é fácil pensar dessa maneira, mas para aqueles que não nasceram com essa iniciativa, e se veem obrigados a assumir negócios de família, há algumas habilidades indispensáveis para disciplinar o pensamento. Ron Burley, colunista da Revista Inc, listou três delas que são diferenciais competitivos importantes na hora de administrar o seu negócio.

Perseverança

Quando se vê um futuro incerto à frente é normal ter medo. Existem algumas pessoas, que, quando se veem diante daquilo que é duvidoso, escolhem não fazer nada. Nos negócios, perseverança significa olhar sempre em frente, dando um passo de cada vez e enfrentando as dificuldades conforme elas aparecem. Muitas pessoas fracassam durante esse percurso porque desistem logo no primeiro obstáculo. “Toda grande história de empreendedorismo conta com pelo menos um episódio em que a pessoa precisou ser perseverante para superar um desafio”, diz Burley.

Dica: Todos os dias faça pelo menos uma coisa que te coloque mais perto do seu objetivo. Se conseguir cumprir isso, no final do ano, você terá dado quase 400 passos em direção ao seu destino.

Respeito

Existem muitas ideias de negócios que podem ser mudadas ou melhoradas. Mas isso não significa que todas sejam assim. “A roda já foi inventada e funciona muito bem exatamente do jeito que está”, diz Burley. Toda indústria, todo segmento tem uma história. Estude-a. Entenda e respeite o que foi feito antes da sua empresa. Só assim você será capaz de reconhecer novas oportunidades e as deficiências do setor. Além disso, poderá também evitar tomar decisões ou medidas que não deram certo no longo prazo.

Dica: Procure conversar com pessoas que trabalham há mais tempo no ramo em que você deseja atuar. Leve-os para tomar um café e anote tudo o que dizem. O objetivo aqui não é copiá-los, mas sim aprender com suas experiências, erros e sucessos.

Inovação

É claro que você precisa estar pronto quando uma oportunidade “bater à sua porta”. Mas, em tempos econômicos difíceis, você pode estar perdendo tempo esperando. Você devia estar fazendo. Crie a sua própria oportunidade, com um pouco de inovação pessoal.
Para  Burley, inovação é uma forma especializada da criatividade, em que se cria algo novo e, principalmente, útil. “Mandar um bolo de aniversário para o CEO da empresa com a qual você quer fechar negócio pode ser criativo, mas dificilmente será útil. Para ser produtivo e inovador nessa situação, você precisa pensar em uma ideia ou método que te dará todas as chances de alcançar seu objetivo”, diz o colunista.

Dica: Pergunte a você mesmo quais sãos as necessidades dessa pessoa e descubra como você pode solucioná-las de um jeito criativo e inovador.

Fonte: Papo de Empreendedor

Seis livros para quem ama tecnologia

A tecnologia da informação tem sido uma das áreas de maior crescimento de mercado nos últimos anos. Num mundo conectado e que tem a mobilidade como principal tendência, conhecer a história das pessoas que foram responsáveis por tornar isso possível é essencial. Seja para servir como inspiração no modo de agir ou para ser modelo de como não se comportar no mercado de trabalho.

Veja 6 livros que contam a trajetória de profissionais da área que fizeram história no mundo da tecnologia e também quais as principais tendências nesse segmento.

1. Nos bastidores da Apple – Adam Lashinsky. O autor retrata um Steve Jobs extremamente controlador no comando da Apple, decidindo desde a publicidade criada na empresa até os participantes de reuniões ultrassecretas.

2. Estou com sorte – Douglas Edwards. Ex-diretor de marketing do consumidor e gerenciamento de marca do Google entre 1999 e 2005, o autor conta no livro  detalhes do dia a dia da corporação.Ele viu de perto os hábitos de trabalho que levaram ao seu desenvolvimento gigantesco e de que maneira cada um dos problemas eram sempre vistos como solucionáveis.

3. Nos bastidores da Amazon  – Richard L. Brandt. O livro relata a história de como Jeff Bezos montou a Amazon, a maior multinacional de comércio eletrônico do mundo. Sem poder falar diretamente com o personagem mais importante do livro (que se negou a dar entrevistas a ele), Brandt foi atrás de empregados da Amazon, concorrentes e observadores para poder escrever sobre ele e sobre o impacto do empreendimento em outras empresas de varejo.

4. Steve Jobs –  Walter Isaacson. O jornalista Isaacson fez mais de 40 entrevistas com Steve Jobs, ao longo de dois anos, para escrever o livro. Além de entrevistas com mais de 100 familiares, amigos, adversários e concorrentes. Embora tenha cooperado com a obra, Jobs não fez nenhuma ressalva ao conteúdo e não estabeleceu nenhum limite ao entrevistador e aos entrevistados. Queria que todos falassem com franqueza. O motivo: queria que seus filhos o conhecessem. “Eu nem sempre estava presente, e queria que eles soubessem o porquê disso e entendessem o que fiz”, disse a Isaacson.

5. O Efeito Facebook – David Kirkpatrick. O livro conta a história da companhia na versão de Mark Zuckerberg. Para escrever o livro, Kirkpatrick permaneceu em contato com o fundador do Facebook durante um ano e meio, quando se encontraram seis vezes. O autor também tomou como base muitas entrevistas com diretores da empresa. Além do perfil de seu fundador, o autor explica alguns dos efeitos do Facebook pelo mundo, descrevendo as inovações que o fizeram ser um sucesso mundial, tendo papel fundamental na política, nos negócios, na mídia, em mobilizações sociais e na privacidade das pessoas.

6. O poder das multidões – Jeff Howe Crowdsourcing é um modelo de produção que utiliza a inteligência e os conhecimentos coletivos e voluntários espalhados pela internet para resolver problemas, criar conteúdo, soluções e até desenvolver novas tecnologias. São pessoas comuns, que usam seus momentos livres para cooperar. Exemplos do que pode gerar são o sistema operacional Linux e o navegador Firefox. O termo foi identificado pela primeira vez pelo jornalista e autor do livro “Crowdsourcing – Como o Poder da Multidão Impulsiona o Futuro dos Negócios”, Jeff Howe. Na obra, ele descreve o processo pelo qual o poder da multidão pode se aproveitado para realizar tarefas que antes eram de especialistas. No crowdsourcing, o que importa é a qualidade do trabalho e não o currículo. Howe apresenta as consequencias positivas e as negativas desse novo fenômeno através de exemplos reais, mostrando as implicações econômicas, culturais e políticas.

Fonte: Portal Revista Exame.