Você tem medo de mudar?

Constante mesmo na vida somente a mudança, já dizia o velho ditado. Não há como fazer planos para o futuro sem inserir neles uma mudança de hábito, de visual, de emprego, de casa. O desafio de descobrir o novo e sair da zona de conforto mexe com o psicológico e muitas vezes amedronta. Para tranquilizar aqueles que temem seguir adiante com um plano de mudança vale lembrar que são os desafios que movem o mundo. A busca por novas experiências e novas possibilidades vem renovando diariamente a forma como sentimos, vemos, nos vestimos e nos comportamos diante de novas situações.

Quem não vive as mudanças fica irremediavelmente preso ao passado. Lembre-se que muitas vezes as pessoas não mudam porque querem, mas porque precisam. Antes que essa situação chegue pra você, esteja aberto a conhecer outros caminhos, provar outros sabores, até mesmo mudar o lado da cama em que você dorme – isso pode lhe apresentar um novo ponto de vista. Para novos destinos e novas perspectivas é necessário sempre estar pronto, e você só vai estar pronto quando acreditar que está. Portanto mude. Mude o cabelo, a roupa, o emprego, o caminho pra casa. Porque nada nessa vida é pra sempre e esse é o caminho da evolução.

O Senac está também mudando! Em breve teremos uma super novidade. Alguém se arriscaria em um palpite?

Olimpíadas da sustentabilidade

Sustentabilidade é a palavra de ordem para as Olimpíadas 2012. A cidade de Londres, desde o início do ano, adotou novos hábitos de consumo e está convivendo com tecnologias e regras para facilitar a mobilidade e a qualidade do ar da cidade. Nada ficou de fora, dos estádios às embalagens de comida, até os tradicionais ônibus de 2 andares e táxis ganharam versões sustentáveis. Foram investidos mais de R$ 29 bilhões para garantir que os jogos olímpicos fossem mais verdes.

Veja 10 iniciativas que merecem destaque.

1 – Aeroporto com carrinhos elétricos, uma espécie de sistema de transporte que dispensa motorista, e que serão usados para levar os passageiros do aeroporto aos bolsões de estacionamento e vice-versa.

2 – Arenas recicláveis, que ao final dos jogos terão todas as estruturas – dos bancos às quadras – desmontadas e reutilizadas em outras instalações esportivas pelo país.

3 – Lixeiras high tech para transmitir notícias: equipadas com duas telas LCD uma em cada lado, sensíveis ao toque para informações em tempo real do mercado financeiro, meio ambiente, cultura, arte, generalidades, previsões do tempo, etc.

4 – Recompensa para quem andar de bicicleta ou a pé – essa é a tática que a prefeitura de Londres  adotou para estimular a mobilidade sustentável, reduzir a poluição e os níveis de congestionamento.

5 – Árvore solar – com folhas equipadas com células fotovoltaicas que transformam a luz do sol em eletricidade, o poste tem galhos de LED que acendem automaticamente quando escurece.

6 – Frota de táxis ecológicos – os táxis londrinos passaram por uma “repaginada verde” e pelas ruas da cidade já circulam alguns deles totalmente movidos a eletricidade.

7 – Ônibus de dois andares em versão ecológica – um dos principais símbolos de Londres ganhou ares mais modernos e ficou mais ecológico, equipado com tecnologia híbrida, utilizando eletricidade e diesel “verde”.

8 – Embalagens biodegradáveis – além dos coletores de recicláveis, Londres aposta em embalagens biodegradáveis, principalmente as usadas na alimentação. Os organizadores estimam que 40% de todo o resíduo gerado nas instalações olímpicas virá da alimentação.

9 – “Cola mágica” contra poluição – uma solução química capaz de atrair partículas de poeira fina do ar e prendê-las ao asfalto. Uma vez capturada, a poeira é recolhida pelo movimento contínuo dos pneus de carros ou lavada pela chuva.

10 – Megaprojeto de descontaminação – a maior operação de descontaminação já feita no Reino Unido precisou de quatro anos de trabalho intenso e mais de R$ 230 milhões investidos para livrar de componentes tóxicos dois milhões de toneladas de solo contaminado na antiga zona industrial no distrito de Stratford.

Seis livros para quem ama tecnologia

A tecnologia da informação tem sido uma das áreas de maior crescimento de mercado nos últimos anos. Num mundo conectado e que tem a mobilidade como principal tendência, conhecer a história das pessoas que foram responsáveis por tornar isso possível é essencial. Seja para servir como inspiração no modo de agir ou para ser modelo de como não se comportar no mercado de trabalho.

Veja 6 livros que contam a trajetória de profissionais da área que fizeram história no mundo da tecnologia e também quais as principais tendências nesse segmento.

1. Nos bastidores da Apple – Adam Lashinsky. O autor retrata um Steve Jobs extremamente controlador no comando da Apple, decidindo desde a publicidade criada na empresa até os participantes de reuniões ultrassecretas.

2. Estou com sorte – Douglas Edwards. Ex-diretor de marketing do consumidor e gerenciamento de marca do Google entre 1999 e 2005, o autor conta no livro  detalhes do dia a dia da corporação.Ele viu de perto os hábitos de trabalho que levaram ao seu desenvolvimento gigantesco e de que maneira cada um dos problemas eram sempre vistos como solucionáveis.

3. Nos bastidores da Amazon  – Richard L. Brandt. O livro relata a história de como Jeff Bezos montou a Amazon, a maior multinacional de comércio eletrônico do mundo. Sem poder falar diretamente com o personagem mais importante do livro (que se negou a dar entrevistas a ele), Brandt foi atrás de empregados da Amazon, concorrentes e observadores para poder escrever sobre ele e sobre o impacto do empreendimento em outras empresas de varejo.

4. Steve Jobs –  Walter Isaacson. O jornalista Isaacson fez mais de 40 entrevistas com Steve Jobs, ao longo de dois anos, para escrever o livro. Além de entrevistas com mais de 100 familiares, amigos, adversários e concorrentes. Embora tenha cooperado com a obra, Jobs não fez nenhuma ressalva ao conteúdo e não estabeleceu nenhum limite ao entrevistador e aos entrevistados. Queria que todos falassem com franqueza. O motivo: queria que seus filhos o conhecessem. “Eu nem sempre estava presente, e queria que eles soubessem o porquê disso e entendessem o que fiz”, disse a Isaacson.

5. O Efeito Facebook – David Kirkpatrick. O livro conta a história da companhia na versão de Mark Zuckerberg. Para escrever o livro, Kirkpatrick permaneceu em contato com o fundador do Facebook durante um ano e meio, quando se encontraram seis vezes. O autor também tomou como base muitas entrevistas com diretores da empresa. Além do perfil de seu fundador, o autor explica alguns dos efeitos do Facebook pelo mundo, descrevendo as inovações que o fizeram ser um sucesso mundial, tendo papel fundamental na política, nos negócios, na mídia, em mobilizações sociais e na privacidade das pessoas.

6. O poder das multidões – Jeff Howe Crowdsourcing é um modelo de produção que utiliza a inteligência e os conhecimentos coletivos e voluntários espalhados pela internet para resolver problemas, criar conteúdo, soluções e até desenvolver novas tecnologias. São pessoas comuns, que usam seus momentos livres para cooperar. Exemplos do que pode gerar são o sistema operacional Linux e o navegador Firefox. O termo foi identificado pela primeira vez pelo jornalista e autor do livro “Crowdsourcing – Como o Poder da Multidão Impulsiona o Futuro dos Negócios”, Jeff Howe. Na obra, ele descreve o processo pelo qual o poder da multidão pode se aproveitado para realizar tarefas que antes eram de especialistas. No crowdsourcing, o que importa é a qualidade do trabalho e não o currículo. Howe apresenta as consequencias positivas e as negativas desse novo fenômeno através de exemplos reais, mostrando as implicações econômicas, culturais e políticas.

Fonte: Portal Revista Exame.

Pele bonita o ano todo

No inverno por conta das baixas temperaturas e da baixa umidade a pele tende a ficar mais ressecada e sem brilho. O rosto e as mãos são partes que costumam sofrer ainda mais, por ficarem em constante exposição e, geralmente, sem protetor solar nessa época do ano. Os danos causados pela falta de hidratação, como sensação de estiramento, pequenas rachaduras, sensibilidade ao toque e aspecto enrugado devem ser controlados para que não se tornem irreversíveis.

Alguns cuidados básicos ajudam a solucionar essa questão e manter a sua pele bonita em qualquer estação.

1. Hidrate sua pele. Os cremes não precisam necessariamente ser diferentes dos utilizados no verão, o que muda é a intensidade da hidratação. Quem tem a pele seca naturalmente pode aplicar cremes à base de óleo de amêndoa, aloe vera e uréia. Para as peles mais oleosas recomenda-se o uso do produto em forma de gel.

2. Tome bastante água. A hidratação da pele acontece também de dentro para fora. Beber pelo menos 2 litros de água por dia é fundamental para mantê-la com um bom aspecto.

3. Nas peles oleosas é recomendado fazer esfoliação com certa frequência, para acelerar o processo de renovação celular.

4. Evite os banhos muito quentes e prolongados. Eles retiram a proteção natural que a pele tem e que a matém hidratada.

5. Use sempre o filtro solar. Mesmo durante o inverno o sol é constante e proteger a pele evita manchas e rugas. Existem diversos cremes que associam hidratação e proteção, vale a pena investir nesses produtos.

6. Os lábios também merecem atenção especial. Protetor labial é essencial para tê-los sempre bonitos.

7. Se sua pele estiver muito ressecada ou apresentar aspecto extremamente enrugado recomenda-se procurar procedimentos estéticos profissionais ou mesmo um dermatologista. Nem todos os problemas dermatológicos podem ser resolvidos em casa.

E para quem tem interesse em trabalhar na área de estética, o Senac Saúde e Beleza em Florianópolis está com duas turmas abertas para o curso Técnico em Estética. Confira abaixo as informações.

Senac Saúde e Beleza | Florianópolis

Técnico em Estética
Período de: 06 de agosto de 2012 à 11 de abril de 2014
Horário: das 13h30 às 17h30
Dias das aulas: Segunda a Sexta

Técnico em Estética
Período de: 20 de agosto de 2012 à 30 de abril de 2014
Horário: das 8h às 12h
Dias das aulas: Segunda a Sexta

 

Você sabe o que faz um Food Stylist?


Já diz o antigo ditado que a gente come também com os olhos. A máxima é verdadeira e com o advento tecnológico os alimentos que vemos em anúncios por aí ficaram ainda mais atraentes. Mas a tecnologia, sozinha não é capaz de operar milagres. Muito antes de ela entrar em cena existe um profissional que é responsável por escolher os melhores ingredientes e montá-los de maneira que fiquem extremamente apetitosos. O food stylist, que geralmente também é chefe de cozinha, tem a responsabilidade de selecionar o que há de melhor, montar o prato tal qual uma escultura e escolher a luz e a temperatura certas para fotografar o prato.

No Brasil Gilberto Geronimo Oller, também conhecido como Peninha, já exerce essa função desde os anos 1980. Entre suas produções estão os lindos e apetitosos perus de natal que figuram nas propagandas de TV e agora o food stylist busca uma especialização também em doces. “É realmente um mercado ainda muito fechado. Você tem de ter um portfólio garantido, ter boas produções”, conta.

Sobre a inusitada profissão, Peninha relata em entrevista ao portal da Revista Exame que seu trabalho vai além da fotografia publicitária. “Você tem que conhecer a comida. É como se fosse o corpo humano, precisa saber da anatomia dele para produzir a imagem perfeita. É difícil saber a técnica, saber quais produtos usar para conseguir tal resultado. A gente tem uma didática e um método para construir os pratos. E você tem de saber como deixar a pessoa com água na boca”.

E quem nunca se perguntou como o McDonald’s consegue apresentar uma imagem tão apetitosa de seus hamburgeres? A resposta vem do próprio departamento de marketing da marca e conta, claro, com a participação de um food stylist.

Veja no filme as técnicas utilizadas:

Para conferir a entrevista completa de Peninha é só clicar aqui.

New York: o próximo destino para quem quer aprender e se atualizar!

Pesquisar tendências, rever conceitos e aproveitar o que a cidade de Nova York tem a oferecer. Essas são algumas oportunidades que a missão técnica internacional oferecerá aos seus participantes em 2013. São 10 dias de aprendizado, encantamento e conhecimento em Nova York – EUA. No encontro, que acontece em janeiro de 2013, as visitas técnicas serão à empresas como Ralph Lauren, Apple, Bloomingdales e inclui também a participação no 102ª Retails Big Show, o maior evento de varejo mundial, promovido anualmente pela National Retail Federation.

Durante as visitas técnicas, os participantes terão a oportunidade de conhecer a estrutura das empresas apresentadas por seus principais executivos, saber mais sobre suas estratégias de marketing e de recursos humanos. Além disso, poderão interagir com esses executivos e também fazer compras nas principais lojas ao final de cada visita.

O Retails Big Show é o maior evento mundial do varejo, apresentando para os seus participantes as principais tendências e tecnologias para o setor. É composto de seminário, fóruns de debate, apresentação de cases de empresas mundialmente conhecidas e em paralelo aos workshops e palestras, acontece a maior feira de tecnologia varejista do mundo. Grandes expositores como a Oracle, Microsoft e IBM
demonstram as principais soluções para o segmento.

A Volée Viagens e o Senac/SC proporcionarão essa experiência aos empresários varejistas do estado em 2013. Para mais informações, ligue (48) 3348-0078.

Brasil é o terceiro mais empreendedor

Um em cada quatro brasileiros adultos é dono do próprio negócio. A conclusão é de uma recente pesquisa realizada pelo Global Entrepreneurship Monitor, um levantamento anual tocado por meio de uma força-tarefa entre instituições de ensino e de pesquisa de 54 países, considerado o principal mapa do empreendedorismo do planeta.

Com cerca de 27 milhões de pessoas envolvidas num negócio próprio ou na criação de um, o Brasil ocupa a terceira posição no ranking mundial de empreendedorismo. O país fica atrás da gigante China, com 369 milhões de empresários e Estados Unidos, com 39 milhões de empreendedores.

A pesquisa foi realizada com pessoas entre 18 e 64 anos e mostrou que mais da metade dos empresários – 14,4 milhões – têm entre 25 e 44 anos. Outros 3,4 milhões têm até 24 anos. Seis milhões estão na faixa de 45 a 54 anos, e 3,3 milhões têm mais de 55 anos. A renda mensal obtida por metade dos empreendedores chega a, no máximo, três salários mínimos. Um terço deles fatura entre três e seis salários mínimos e menos de 15% tira mais de seis salários mínimos por mês com o próprio negócio.

A participação das mulheres foi destaque na pesquisa, que considerou os negócios formais e também os informais. De cada 100 empreendimentos iniciais, 49 têm comando feminino. A média desse grupo, nos 54 países pesquisados, é de 37 empreendedoras para cada 100. O setor de serviços é o principal responsável por esse crescimento.

Entre as empreendedoras a preferência é por negócios como estética e tratamento de beleza, comércio de vestuário, fornecimento de comida preparada e confecções. Já os homens gostam mais de atividades ligadas à manutenção e reparação de veículos automotores, minimercados, lanchonetes e similares e transporte de passageiros.

SC Gourmet conta com a participação do Senac/SC

Sustentabilidade e uso racional dos recursos na alimentação. Este é o tema do SC Gourmet – evento que está na sua segunda edição e pretende valorizar a divulgar produtos gourmet. Acontece de 18 a 21 de julho no setor 1 da Vila Germânica, em Blumenau, e promete deliciar os visitantes com mais de 60 expositores, oficinas, palestras, aulas show e jantares. O Senac/SC estará presente!

Além de divulgar os produtos, o SC Gourmet tem o nobre objetivo de potencializar os conhecimentos dos profissionais de gastronomia através do contato com expositores, chefs e someliers de renome nacional e internacional. Valorizar Santa Catarina como região de excelência em enogastronomia e potencializar o consumo e conhecimento em torno do vinho brasileiro e cachaças especiais também é um dos focos da organização.

A primeira edição, no ano passado, contou com mais de 80 marcas envolvidas e 13 mil participantes. As expectativas para este ano são ainda melhores! O evento está imperdível. O Espaço Senac/SC conta com uma extensa e interessante programação gratuita. Confira clicando aqui.

Não perca também o Concurso Cultural da SC Gourmet no Facebook! Use sua criatividade e decore um prato a sua escolha. Serão três ganhadores e os prêmios variam desde Cursos de Gastronomia no Senac a Cestas, Espumantes e Chocolates. Saiba mais sobre o Concurso aqui!

Cortes de cabelo e o mercado de trabalho

O estilo revela muito sobre a personalidade de uma pessoa. O estilo dos cabelos, então, nem se fala. Segundo o artista plástico Philip Hallawell, autor do livro “Visagismo Integrado: Identidade, Estilo e Beleza” (Editora Senac/SP), o corte de cabelo pode inclusive determinar a postura de um profissional. O que será que o seu cabelo está dizendo sobre você?

Para Hallawell, boa parte da mensagem está nas linhas que compõe o corte, que podem ser retas, inclinadas ou curvas: “Cortes retos estão ligados à determinação e liderança, linhas inclinadas são associadas à criatividade, e as curvas são de suavidade, indicadas para médicos e enfermeiras”. O comprimento também fala. No mundo corporativo, os fios longos deveriam ser evitados ou presos. “O cabelo longo é sinal de sensualidade. Prender demonstra comprometimento”, afirma.

A sugestão de profissionais da área de consultoria é que os funcionários tentem ficar alinhados ao perfil das empresas onde se inserem. Se o ambiente for mais formal, vale a pena tomar cuidado para não ousar e acabar passando uma imagem que fuja ao ideal.

Veja algumas dicas, com informações da Revista EXAME.

Para os homens:

Tradicional – Cortes curtos e retos, estilo Roberto Justus. Ideais para homens que ocupam cargos executivos. Podem ser usados com gel ou pomada modelando para trás, criando aspecto molhado ou um topete. Exige uma passadinha mensal no salão.

Casual – Cortes mais irregulares dão um ar de dinamismo, bem-vindo em empreendedores e publicitários. Podem ser modelados com pomadas. O ideal é que a irregularidade seja calculada, sem virar bagunça. Esse estilo de corte merece uma manutenção a cada 2 meses.

Criativo – Aqui ganham espaço os mais espetados, cacheados e usados ao natural. Fios mais longos? O indicado é que cheguem ao máximo até a nuca. Nada de exageros, até porque quem lida diretamente com clientes deve ter uma aparência democrática, que agrade a todo o tipo de pessoas.

Para as mulheres:

Tradicional – Comprimento não ultrapassa a altura dos ombros, misturando linhas retas e curvas. O ideal é usar chapinha para manter o cabelo alinhado e visitar o salão a cada 45 dias para manter o corte. O chanel é sempre uma boa pedida, mas para dar um ar mais moderninho, vale uma leve repicada.

Casual – Com aspecto mais natural, normalmente contam com a frente repicada abaixo do queijo e os fios mais longos modelados com escova. Curtos bem repicados e com pontas irregulares, apesar de fugirem do tradicional podem ser positivos, demonstram iniciativa. Cortar a cada dois meses é o ideal.

Criativo – Mais ousado, permite cortes e cores diferentes. Cachos mais soltos e até o black power. Um visual propositadamente largado, repicado e com pontas desarrumadas – como o da modelo Kate Moss – é a aposta dos mais moderninhos, mas não é bem aceito em qualquer ambiente. A manutenção para estes cortes depende do estilo, mas em geral três meses é o suficiente para manter o corte bonito e os cabelos saudáveis.

Bem interessante, né? Mas se não tem nada a ver com você, não adianta investir em um corte tradicional. O ideal é prestar atenção ao ambiente e tentar encontrar seu estilo dentro do contexto. Estar confortável é sempre a melhor opção! :)

Lâmpadas incandescentes fora do mercado

Desde o último sábado (30/06) está proibida no Brasil a importação e fabricação de lâmpadas incandescentes com potência superior a 101 watts. A medida tem como principal objetivo a economia de energia nas residências do país.

As incandescentes ainda representam 40% das lâmpadas vendidas no Brasil. O preço é um dos motivos principais motivos de sua popularidade. Uma fluorescente compacta custa, em média, cinco vezes mais que a similar incandescente. Mas se o valor assusta na hora de decidir a compra, a conta no final do mês pode trazer alívio gradativo.

Por exemplo, uma lâmpada de 60 watts acesa quatro horas por dia, a incandescente consome R$ 4,50 por mês; a fluorescente compacta, R$ 1,10, economia de R$ 3,40 por mês. Levando em consideração o número de lâmpadas dentro de uma casa a economia fica ainda maior.

A utilização destas lâmpadas representa ainda uma redução significativa da exploração dos recursos naturais, pois quanto menor o consumo de energia, menor será a necessidade de novas usinas para produzi-la. A durabilidade das lâmpadas é mais um fator econômico relevante. De acordo com o Inmetro as fluorescentes tem vida útil que pode variar de 5000 a 10000 horas, enquanto as incandescentes duram apenas 1000 horas.

Os estoques das lojas poderão ser vendidos até o final do ano, mas o governo pretende eliminá-las completamente do mercado até 2016.