Cabelos mais saudáveis: conheça as técnicas low poo e no poo

low poo

Você vai à farmácia comprar um shampoo e, ao chegar em casa, decide lavar os cabelos para testar o novo produto. Qual a expectativa ao colocá-lo em contato com os fios? Espuma, muita espuma! Afinal de contas, quanto mais espuma, mais limpo o seu cabelo irá ficar, certo? Errado. Pelo menos é o que dizem as novas técnicas que defendem o pouco ou nenhum uso de shampoo, conhecidas de low poo e no poo, respectivamente.

Popularizadas pela cabeleireira Lorraine Massey em seu livro Curly Girl (ou Garota Cacheada, em português), as técnicas low e no poo afirmam que o shampoo é capaz de retirar do nosso cabelo muito mais do que o necessário para mantê-lo limpo.

Algumas substâncias presentes nos shampoos tradicionais são responsáveis por causar um ressecamento dos fios, uma vez que retiram a oleosidade natural presente no couro cabeludo. Apesar do livro se referir às pessoas com cabelos cacheados – que sofrem mais com a desidratação -, o método pode ser usado em todos os tipos de cabelo.

No entanto, o que propõem a low poo e a no poo? Qual a melhor forma de manter os cabelos limpos e saudáveis?

Low poo e No Poo: qual a diferença?

Na low poo, há a simples substituição de shampoos comuns por outros mais leves, que não contenham determinadas substâncias em sua composição: silicones insolúveis, petrolatos (óleo mineral, parafinas e vaselinas) e sulfatos.

Os sulfatos são detergentes muito potentes. Eles são capazes de abrir as cutículas e retirar toda a sujeira, a hidratação e os óleos presentes nos fios. E, dessa forma, eles causam o ressecamento dos cabelos, já que tiram substâncias e nutrientes que deveriam permanecer para garantir a saúde capilar.

Já os petrolatos, da mesma forma que os silicones insolúveis, devem ser evitados porque produzem uma película nos fios, que, apesar de deixá-los brilhantes, cria uma “máscara” que um shampoo mais leve – ou seja, sem sulfato – não é capaz retirar. E na hora que você for fazer uma hidratação, seus cabelos não conseguirão absorver as vitaminas e os nutrientes necessários para deixá-los limpos e saudáveis.

Percebeu que é um ciclo? Os petrolatos mascaram a saúde dos fios com uma película que proporciona brilho e maciez. No entanto, para limpá-los, são necessários shampoos mais agressivos que ressecam o cabelo e, novamente, usa-se os petrolatos para manter uma aparência mais saudável.   

Portanto, se você está pensando em aderir a Low Poo, procure produtos que não possuem nenhuma dessas substâncias. Normalmente, são shampoos com agentes de limpeza mais leves, que não agridem a fibra capilar. Por isso, não estranhe se o produto não fizer tanta espuma quanto você está acostumado.

Já a no poo é um pouco mais radical: ela dispensa totalmente o uso de silicones, emulsionantes, petrolatos e sulfatos. Como não há o uso shampoos – leves ou não – normalmente, são usadas soluções caseiras ou então método co-wash.

Para quem não conhece, o co-wash se baseia em usar condicionadores que não contenham as substâncias mencionadas acima para retirar a sujeira e o excesso de oleosidade do couro cabeludo.

Como começar a low poo?

Antes de colocar em prática a técnica, é preciso preparar os fios. O primeiro passo é remover os possíveis resíduos dos derivados de petróleo que ainda podem estar nos cabelos. Para isso, recomenda-se uma última lavagem com shampoo com sulfato (mas que não contenha petrolatos). Em seguida, finalize com um condicionador liberado para a low poo.

Lembre-se de não utilizar máscaras, óleos e finalizadores com óleo mineral ou parafina na composição. E pronto! Nas próximas lavagens você já pode usar a técnica low poo! ;)

E você, já conhecia a técnica low poo? Se faz ou já fez uso dela, conte para a gente o resultado!

Gosta de trabalhar com beleza e estética? O Senac SC possui diversos cursos na área para você que busca se especializar. Veja nossas opções e inscreva-se já!

Leia também