Tecnologia

Bitcoins: o que são e por que você deve (ou não) investir neles?

Apesar da “má fama”, os bitcoins surgiram em 2009 no mercado como uma solução para o problema financeiro do mundo moderno. Afinal, trata-se de uma moeda que não precisa se apoiar na confiança – de governos, bancos ou estabilidade política – mas em provas criptográficas. Ou seja: o Bitcoin depende de um sistema próprio de geração de moeda para garantir que a inflação e oferta de dinheiro estejam (ou não) controladas.

Continue lendo

4 invenções que podem facilitar – e muito! – a sua vida

Todos os dias, somos bombardeados com novas tecnologias que surgem para facilitar nossas vidas, cada vez mais cheias de compromissos. E, a medida que nos acostumamos com essas novidades, elas se adaptam à nossa rotina e se tornam essenciais.

Quem se lembra de como era a vida antes da internet 3G em telefones celulares? Aplicativos de mensagens instantâneas não existiam e era mais difícil acessar ao Google para confirmar um endereço ou tirar aquela dúvida de última hora.

Continue lendo

Mundo virtual: o quão conectados estamos?

A teoria dos seis graus de separação popularizada na década de 1990 afirma que todos os indivíduos estão, de alguma forma, conectados uns aos outros. De acordo com a tese, entre você e aquele ídolo que estampava os pôsteres das paredes do seu quarto durante a sua adolescência, há apenas você e 5 outras pessoas.

Continue lendo

6 benefícios da robótica para crianças e adolescentes

Se você perguntar a uma criança ou a um adolescente o que são smartphones, tablets ou drones, eles não só saberão do que se trata, como provavelmente o ensinarão a usar tais tecnologias. O que talvez não seja tão conhecido é o funcionamento por trás de todos esses eletrônicos: a programação e a robótica. Considerada como algo complicado, a codificação se tornou a nova linguagem do mundo e especialistas afirmam que quanto antes nós aprendermos melhor.

Continue lendo

Máscara torna possível sentir o cheiro das cores

Você já imaginou, ao ouvir uma canção, ver cores de acordo com a altura das notas musicais? Ou então sentir diferentes cheiros ao admirar obras de arte em um museu? Para a maior parte de nós, isso parece impossível e até difícil de entender, mas estima-se que 4% da população mundial vivam assim, nesta mistura de sensações: são os sinestetas.

Sinestesia não é uma doença, mas uma diferença neurológica – herdada geneticamente – e resulta de um cruzamento entre os nossos cinco sentidos, ou seja, um mesmo estímulo pode causar reações auditivas e olfativas, por exemplo. Estudos afirmam que a forma mais comum de manifestação é a associação de cores a letras e números. Neste caso, se você pedir a um sinesteta que some dois algarismos, o resultado virá relacionado a uma cor específica (2 + 2 = 4).

Apesar de ser uma condição rara, graças ao engenheiro aeroespacial Zachary Howard, agora qualquer pessoa também pode experimentar essas mesclas sensoriais – ou pelo menos uma delas. Ele criou um equipamento que simula a sinestesia e permite sentir o cheiro das cores. Trata-se de uma máscara conectada a detectores de cor, uma placa de computador e tubos de ensaio com óleos essenciais.

A partir desse equipamento, a invenção funciona da seguinte forma: o sensor de cores ligado a uma placa de computador é colocado no dedo e, ao passá-lo em qualquer objeto, ele capta a cor. O dispositivo divide a coloração nas três tonalidades primárias – vermelho, verde e azul – e calcula o quanto tem de cada uma delas. “Análogo aos pixels que combinam variações entre vermelho, verde e azul para formar diferentes cores, a máscara libera quantidades proporcionais de essências para compor a pigmentação que você está tocando”, explica Howard.

O odor exalado depende da programação feita por cada pessoa – no caso de Howard, ele escolheu as essências de lavanda para o azul, grapefruit para o vermelho e pinho para o verde. De acordo com as combinações, o cheiro pode ficar melhor ou pior (para o engenheiro, a mistura da cor cinza não teve um resultado muito agradável).

Ficou curioso? Zachary Howard montou um passo a passo para você fazer sua própria máscara em casa. E aqui você também pode conferir um vídeo demonstrativo.

E para você que se interessa pela área artística e sensorial, o Senac SC oferece diversos cursos na área de design e produção cultural! Clique aqui e descubra qual se adapta melhor às suas preferências!

5 aplicativos para exercitar o cérebro

Quem nos acompanha há algum tempo sabe que acreditamos muito no poder do conhecimento. Por isso, adoramos dar dicas para aprimorar o aprendizado de nossos alunos e leitores. Já falamos sobre como o sono pode contribuir para a memorização, dicas para ler mais e melhor, como criar um cantinho de estudos eficiente, entre outros assuntos interessantes para quem busca uma ajudinha para elevar o patamar na área educacional.

Em um mundo cada vez mais tecnológico e conectado, nada mais justo que aproveitar os inúmeros recursos disponíveis para aperfeiçoar a capacidade mental e desenvolver o raciocínio lógico. Que tal passar alguns minutos por dia exercitando o cérebro com seu smartphone? Confira as nossas dicas de aplicativos abaixo e esteja preparado para expandir sua mente de forma rápida e prática.

1. Lumosity

Disponível para: iOS e Android

Baixado por mais de 70 milhões de pessoas em todo o mundo, Lumosity é um app que visa desafiar a memória de seu usuário por meio de 25 jogos cognitivos que se adaptam conforme o seu desempenho pessoal. Criado por um time de cientistas, a ferramenta é utilizada por mais de 40 instituições acadêmicas em todo o mundo, auxiliando pesquisadores na investigação e compreensão de diversos fenômenos neuropsicológicos. Não é bacana?

2. Fit Brains Trainer

Disponível para: iOS, Android e Windows Phone

Com uma interface simples e intuitiva, o Fit Brains Trainer é um aplicativo que busca estimular a memória, a velocidade de raciocínio e a lógica por meio de 360 sessões de treinamentos. Classificado como o aplicativo número um em mais de 90 países, a ferramenta conta com a chancela de publicações renomadas como Wall Street Journal, Women’s Health e Discorver Magazine.

3. Qranio

Disponível para: iOS, Android e Windows Phone

Qranio é um app criado por uma startup brasileira que visa estimular o conhecimento de novos assuntos por meio da gamificação do aprendizado. A cada sessão, o usuário recebe perguntas sobre diversas áreas para testar seu conhecimento, recebendo Qi$ (a moeda virtual do jogo) para cada resposta correta. Ou seja: quanto mais acertar, mais receberá recompensas para trocar por prêmios virtuais.

4. Little Things Forever

Disponível para: iOs e Android

Um aplicativo que ajuda a desenvolver concentração, foco e atenção de forma simples e divertida. O objetivo do jogo é encontrar pequenos detalhes escondidos em cenários amplos – uma espécie de “Onde Está Wally?” com objetos diversos. A pontuação é calculada conforme a velocidade que o usuário finaliza as tarefas. Além disso, o app também auxilia a desenvolver raciocínio rápido.

5. Eidetic

Disponível para: iOs

A proposta do Eidetic é desenvolver uma habilidade neurológica muito específica: a memória. Para tal, ele utiliza a técnica de repetição espaçada, método que consiste em mostrar repetidamente um número, frase ou objeto em tempos específicos para otimizar a memorização do usuário. Ficou interessado no assunto? Leia mais aqui.

Como qualquer músculo, seu cérebro também precisa se exercitar para ficar em forma. Portanto, mantenha corpo e mente saudáveis, isso trará benefícios não só para os estudos e a vida profissional, mas também proporcionará mais qualidade de vida para seu futuro. Afinal, com maior capacidade de memorização e de raciocínio lógico você terá mais agilidade e desenvoltura de pensamento para encarar os desafios do dia a dia. Faça o teste, baixe os aplicativos da nossa lista e comente suas percepções logo abaixo. ;-)