Estética e Saúde

Orgânico, natural ou vegano: o que cada um significa para o seu cosmético?

Quantas vezes você já se deparou com um selo de produção orgânica ou vegana e se perguntou o que aquilo significava na escolha do seu cosmético? Por mais que essas alternativas estejam cada vez mais presentes no mercado, nem sempre o consumidor identifica qual a melhor opção para adotar na sua rotina. Imagine um sabonete que seja fabricado sem degradar o ambiente, que não realize testes com animais e não utilize agrotóxicos na produção da sua matéria-prima. Parece uma boa alternativa, certo? Por isso é importante conhecer esses selos, aprender a diferenciar e escolher aquele que mais se encaixa com o seu estilo de vida!

Qual a diferença entre os cosméticos convencionais para os orgânicos, naturais e veganos?

Se você não tem o hábito de conhecer os ingredientes e a forma de fabricação dos produtos que adquire, certamente os cosméticos convencionais estão nas suas prateleiras e necessaire! Eles normalmente apresentam grandes porcentagens de componentes sintéticos, derivados de petróleo e, principalmente, testados em animais. Portanto, é importante ficar atento a esses detalhes antes de escolher seus cosméticos, certo?

Vistas como opções alternativas que prezam pela preservação do meio ambiente e hábitos saudáveis, é possível encontrar os famosos produtos orgânicos e naturais. O primeiro é certificado por mostrar que sua produção contém pelo menos 95% de ingredientes orgânicos e 5% naturais, ou seja, a sua matéria-prima não é cultivada com o uso de agrotóxicos. Quando esse selo é apresentado como a segunda opção, é importante ficar atento! Nesse caso, 95% dos componentes utilizados provém da natureza, mas isso não quer dizer que eles estão livres de agrotóxicos!

Outra forma de produção extremamente importante entre as listadas é a vegana. Toda embalagem que apresenta esse selo oferece um produto fabricado sem ingredientes de origem animal e não realiza qualquer tipo de teste envolvendo animais.

Além de priorizar a preservação do meio ambiente, a escolha de produtos que prezam por esse tipo de produção costuma gerar benefícios para o próprio corpo. Um cosmético que não utiliza agrotóxicos na sua composição, por exemplo, certamente é uma opção mais segura para adotar nos seus cuidados diários.

Existem opções de produtos nacionais que estão disponíveis para ajudar a compor sua maquiagem de forma sustentável e há também marcas internacionais que são revendidas no Brasil, porém difíceis de encontrar nas prateleiras.

Interessou-se pelo assunto? Conheça outros posts da editoria de Estética e Saúde do blog oficial do Senac SC!

5 dicas saudáveis para garantir a sua longevidade

Todo mundo já leu sobre métodos para manter a saúde, viver mais e ser mais feliz. Mas será que algum desses realmente funciona? Um grupo de cientistas da Escola de Saúde Pública de Harvard publicou na revista Circulation um estudo sobre os 5 hábitos principais para viver mais.

Segundo a pesquisa, que durou 34 anos e observou comportamentos de 123.000 norte-americanos, uma mulher aos 50 anos que mantém um estilo de vida compatível com os cinco fatores saudáveis pode ter uma expectativa de vida de mais 43 anos. Para um homem da mesma idade, seria de 37 anos. Já as pessoas da mesma idade que não praticam hábitos saudáveis, a expectativa média é de 29 anos para mulheres e 25 para homens.

Na opinião dos pesquisadores, nunca é tarde para seguir essas cinco normas da saúde. Confira algumas dicas para melhorar seu cotidiano e garantir sua longevidade:

  1. Cuide da sua alimentação

Não estamos falando para cortar os doces, pizzas e bolachas. A questão é balancear as refeições. Uma alimentação saudável e que atende as demandas do organismo deve ser variada e rica em legumes, verduras, cereais integrais e frutas, evitando o consumo excessivo de industrializados, frituras e embutidos.

Esteja sempre hidratado. A água é responsável pelo funcionamento de vários órgãos e a sua carência pode causar fraqueza, tontura e desmaios. O recomendado é consumir uma média de dois litros por dia.

  1. Pratique exercícios

Não sair do sofá para praticar exercícios nos dias de sol pode ocasionar diversos problemas musculares, entre eles perda de massa e flexibilidade muscular. Além de problemas de saúde, como diabetes e obesidade.

Segundo dados do Governo Federal, mais de 45,9% da população brasileira é sedentária e não pratica nenhum esporte ou atividade física. Vamos mudar essa porcentagem?

  1. Durma bem

Dormir é muito mais do que descansar o corpo do gasto de energia diário. É durante o sono que o cérebro fixa a memória e fortalece os conhecimentos adquiridos no dia anterior. Algumas noites mal dormidas podem causar transtornos de ansiedade, perda de memória e stress.

Para um sono ser de qualidade ele deve ter entre 6 a 8 horas de duração e sem interferência de aparelhos eletrônicos. Cama não é lugar de celular!

  1. Evite o sobrepeso

O sobrepeso pode estar relacionado à fome física em excesso, necessidade de equilibrar o balanço energético do corpo e mantê-lo em funcionamento e a fome emocional, onde mesmo alimentados, comemos por motivos de prazer ou desprazer.

Algumas dicas para evitar o sobrepeso são: praticar exercícios, reduzir o tamanho das porções, aumentar a variedade de alimentos e dar preferência, sempre que possível, a alimentos orgânicos e naturais.  

  1. Apague o cigarro

O tabagismo pode causar pelo menos 50 doenças e, no Brasil, estima-se que o consumo mata aproximadamente 160 mil pessoas por ano. Existem métodos para reduzir a vontade de fumar, mas o primeiro passo fundamental é o fumante querer parar. Atividade física, mastigar chicletes regularmente e procurar profissionais da saúde são grandes dicas para parar de fumar.

Os pesquisadores afirmaram que, se esses cinco hábitos forem adotados, os benefícios são garantidos! Vamos testar?

Pedicure x Podologia: Entenda as diferenças entre as áreas

A área de cuidado com os pés está em crescimento acelerado. E com isso faz surgir uma dúvida importante: as diferenças de atuação entre um profissional da podologia e um pedicure. Ambos os profissionais são importantes para a saúde dos nossos pés, porém com funções diferentes.

Apesar de ambas as áreas cuidarem do mesmo membro do corpo, o foco é completamente distinto. Enquanto uma cuida de questões estéticas e de beleza, a outra cuida da saúde dos nossos pés e unhas.Ou seja, se você costuma ir ao pedicure semanalmente para fazer as unhas lembre que um podólogo também deve ser consultado com regularidade para garantir a saúde dos seus pés.

O que faz um profissional da podologia?

Resumidamente, o podólogo é o responsável por garantir a saúde dos seus pés. Você já deve ter percebido que cada pessoa possui um formato de unha e um tipo de pisada, não é mesmo? Isso influencia em problemas individuais que só um profissional da podologia pode solucionar, por exemplo: unhas encravadas, calosidades, micoses e até orientação para comprar palmilhas e sapatos.

Diferente de pedicures, os podólogos possuem uma formação técnica específica, assim como qualquer outro profissional da saúde. Dessa forma, ele é capacitado para reconhecer e propor o tratamento adequado para as diversas doenças dos pés. Nessa rotina caótica em que vivemos é comum sentirmos dores nos pés ou termos calos e bolhas pelo uso constante de sapatos desconfortáveis. Problemas relacionados a unhas encravadas, infecções nas unhas e dores constantes nos pés também são alguns dos motivos pelos quais você deveria consultar um podólogo. Mas não é só diante de problemas que eles devem ser procurados, assim como consultas médicas de rotina, os podólogos devem aparecer com regularidade na sua agenda, ok?

E um pedicure?

Entendendo a função de um podólogo, a diferença entre os dois profissionais já fica bastante clara. O pedicure é aquele que você costuma marcar antes de um evento especial, ou até mesmo semanalmente, para cuidar da estética das suas unhas. Seja para retirar as cutículas, renovar a cor do esmalte ou até mesmo para a limpeza, todos os cuidados básicos acabam passando inicialmente por ele.

Apesar de ter um contato mais próximo, não é recomendado que ele seja o responsável por tratar qualquer situação mais complexa como as citadas acima.

Foi possível ver a diferença? Por mais que ambos possuem a sua importância no mercado da saúde e estética, cada um tem a sua própria função específica! Se você tem interesse em se tornar um profissional nessa área, o Senac SC oferece cursos livres e técnicos para manicure, pedicure e especializações mais avançadas nessa área. Confira as unidades em que esse cursos são oferecidos no site:  http://senac.sc/v495E3

Mercado de estética e cosmética para homens

Durante muitos anos, a área da beleza e do bem-estar era vista como um nicho exclusivo para mulheres. Era comum encontrar clínicas especializadas apenas em procedimentos voltados ao público feminino. Mas essa realidade vem, pouco a pouco, mudando e trazendo uma nova oportunidade que não pode – e não deve – ser ignorada pelos profissionais da área: o mercado de estética e cosmética para homens.

Continue lendo

Drenagem linfática, massagem modeladora, terapêutica e shiatsu: conheça as diferentes técnicas de terapia corporal

Não tem nada melhor que, após um dia cansativo, receber uma massagem relaxante, tem? Mas, você sabia que massagens podem ser muito mais do que isso? Siim! Existem diferentes técnicas de terapia corporal que são capazes de tratar dores, eliminar a retenção de líquidos e, até mesmo, reduzir medidas.

Continue lendo

Mercado de Saúde e Beleza: conheça as transformações e as oportunidades do setor

Nos últimos anos, as áreas de Saúde e Beleza vêm passando por transformações significativas. Mesmo em tempo de crise, o setor continua em crescimento e, atualmente, o Brasil é o terceiro mercado global de beleza – atrás apenas dos EUA e da China. Uma prova disso é que, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o brasileiro destina 2% de todo o seu orçamento a produtos de beleza e higiene.

Continue lendo

Cabelos mais saudáveis: conheça as técnicas low poo e no poo

Você vai à farmácia comprar um shampoo e, ao chegar em casa, decide lavar os cabelos para testar o novo produto. Qual a expectativa ao colocá-lo em contato com os fios? Espuma, muita espuma! Afinal de contas, quanto mais espuma, mais limpo o seu cabelo irá ficar, certo? Errado. Pelo menos é o que dizem as novas técnicas que defendem o pouco ou nenhum uso de shampoo, conhecidas de low poo e no poo, respectivamente.

Continue lendo