Design e Artes

Reciclagem: Garrafas PET

Garrafas de Politereftalato de etileno, também conhecidas como garrafa PET, podem levar até 400 anos para se decompor no meio ambiente. Mas, a boa notícia é que este material possui propriedades termoplásticas, e por isso, pode ser reprocessado diversas vezes.

No Brasil, segundo dados do IBGE, quase 55% da matéria prima utilizada pelas Indústrias de embalagens PET são recicladas. Parece razoável, mas é um número que ainda pode melhorar muito. O alumínio, por exemplo, tem seu índice de reciclagem perto dos 99%.

A coleta seletiva de lixo e a conscientização da população para a reciclagem podem aumentar não só a eficiência da reciclagem, como também trazer melhorias na qualidade de vida de catadores e de outros trabalhadores que lidam com resíduos.

Além disso, o descarte correto ajuda a reduzir o volume de lixo e a melhorar a decomposição do mesmo. Pois, quando são misturados ao lixo orgânico resíduos que não se decompõem, estes acabam se transformando em barreiras impermeáveis, o que dificulta a absorção do material, e também dos líquidos e gases da decomposição.

Assim, antes de descartar as garrafas PET, mesmo que corretamente, que tal pensar em alguma forma de aproveitá-las? Como são facilmente moldáveis, são uma ótima matéria prima para diversos tipos de objetos.

Veja alguns e se inspire!

Pinguim

PufeVassoura

Luminária  (foto de abertura)

Mais idéias do que se pode fazer com garrafas PET:

Candelabro, Porta-revista e vaso

Luminária

Cortina

As informações são do site do IBGE e do Inbrametais.

Colmeia urbana

Já pensou criar abelhas dentro da sua casa e poder colher o mel sempre que você quiser? Aposto que isso nunca passou na sua cabeça ou na cabeça da maioria das pessoas. Além de inusitada e inovadora, a ideia da empresa americana Philips também é sustentável e segura. O desenho segue este conceito, também é pouco convencional e muito bonito.

Funciona da seguinte maneira: de um lado fica o pote de flor, por onde o pólen vai entrar; do outro, a casa das abelhas, onde existem diversas chapas de colmeia protegidas por um vidro. Este vidro deixa você ver tudo o que se passa e como funciona o complexo sistema das abelhas. Para facilitar o processo de retirada do mel, o design também contempla uma passagem para colocar um calmante, que vem em forma de fumaça.

 

 

Inteiramente sustentável e ecologicamente correto, o projeto vem repleto de boas intenções. Há propósitos educacionais e benefícios a saúde pelo uso do mel e, do própolis. Tudo fica ainda fica mais interessante quando consideramos que o número de abelhas e suas colônias estão diminuindo drasticamente no mundo por conta da urbanização e desmatamento. Isso significa que se o produto for às lojas teremos um aparelho decorativo, que produz mel e ainda ajuda a preservar uma espécie.

E você, adotaria a ideia?