Design e Artes

Dicas de escrita criativa para quem busca produzir bons textos

Assim como qualquer atividade, a escrita é uma prática que depende de exercícios e experimentações. Quantos livros você costuma ler num mês? Para quem deseja ser um bom escritor, ler muito deve ser um dos principais hábitos a serem criados. A partir do momento que um leitor aprende a soltar sua imaginação em outros textos, ele passa a reproduzir isso nos seus próprios. A leitura frequente, além de melhorar a gramática, contribui com o desenvolvimento de um amplo vocabulário, outro ingrediente importante na hora de produzir textos atrativos e criativos.

Dicas para quem quer ser um bom escritor:

  1. Leia mais – Como já mencionamos, o primeiro passo para escrever bem é adotar a leitura na rotina. Além de aumentar o vocabulário, esse hábito exercita toda a sua imaginação e criatividade, algo que faz toda diferença ao escrever. Por isso, faça uma lista de obras que sejam do seu interesse e estipule um prazo para leitura delas. Quanto mais livros você ler durante o mês, maior será o aprendizado. Só não esqueça de variar os escritores e gêneros pois diversificar as experiências faz com que novos estilos de escrita sejam acrescentados no seu texto!
  1. Coloque-se no lugar do leitor – Ler um texto e entender com clareza o que ele quer dizer é o primeiro fator que agrada o leitor, por isso é importante lembrar de colocar-se no lugar dele durante a produção. Entre uma palavra simples e algo rebuscado, priorize sempre a primeira opção!
  1. Treine diferentes estilos – Assim como a leitura deve ser diversificada, a sua escrita também pode percorrer novos formatos. Um bom escritor certamente terá preferência por um estilo de texto, no entanto, ele deve saber produzir tanto uma narrativa quanto uma dissertação. Então, não se prive de explorar novas habilidades, tente exercitar uma crônica, ou até mesmo uma poesia. Aos poucos você vai ter uma noção de qual estilo favorece sua técnica.
  1. Crie cenários inesperados – Uma leitura monótona raramente é sugerida como uma boa experiência pelo leitor. Para que seu texto não se enquadre nesse grupo, mude a perspectiva, ouse e explore sua imaginação para criar cenários com diferentes possibilidades. Assim como um filme, que apresenta picos de curiosidade, um bom texto deve passar por variações narrativas e ter frases com significados fortes!
  1. Informação nunca é demais – Para fazer com que o leitor crie um cenário e imagine a história, é preciso fornecer uma boa quantidade de informações. Ao falar de um personagem, por exemplo, cite características físicas e comportamentais que ajudem na sua construção. Além de facilitar o envolvimento com o texto, essa prática pode levar o leitor a imaginar vários finais diferentes antes mesmo da história terminar!

Quais desses tópicos são vistos como uma dificuldade na sua produção? Independente do estilo de texto, a prática deve ser constante e atribuída a diferentes necessidades, desde a leitura até a experimentação de novos formatos. Portanto, arrisque-se e experimente as diferentes habilidades que compõem uma escrita criativa!

Como construir um portfólio de moda

A conclusão da graduação é um momento repleto de expectativas e projetos para a carreira, um dia sonhado pelo estudante desde a escolha do curso. Mas em algumas áreas também é o momento de começar a adquirir experiências para compor um portfólio, algo essencial para buscar uma boa vaga no mercado de trabalho. Na moda, o que não faltam são criações e peças para inserir, mas, nesse caso, como saber o que deve ser selecionado ou não? Para isso, algumas composições fazem toda a diferença, principalmente para quem procura mostrar profissionalismo.

Dicas para um bom portfólio de moda:

  1. Estabeleça uma medida – Além de você, certamente terão muitos outros candidatos para serem avaliados. Por isso, é importante que o portfólio seja objetivo, apresentando os melhores trabalhos produzidos ao longo da sua experiência profissional e acadêmica. Diversifique tipos de tecidos e composições, evitando repetir peças com características semelhantes. Assim o avaliador terá mais interesse em concluir a análise, já que em cada página a sua qualificação será mostrada de uma forma diferenciada.
  1. Relacione o conteúdo com a vaga – Se o interesse é conquistar uma vaga em criação, foque na produção de peças e em conteúdos que mostrem a sua qualificação para essa área. Inserir uma experiência em Visual Merchandising ou Coolhunter, por exemplo, pode ser um diferencial, mas ela não precisa ser enfatizada já que não terá tanto peso para essa vaga. Além disso, não esqueça de começar o conteúdo com produções recentes e finalizar com materiais mais antigos.  
  2. Se possível, crie uma identidade visual para o seu trabalho – Na hora de construir um portfólio de moda é fundamental demonstrar profissionalismo, seja na organização do conteúdo ou na paleta de cores. Mas além da diagramação do seu trabalho, ter uma logo faz toda a diferença para quem irá avaliar a sua experiência, já que demonstra um reconhecimento a mais para o seu nome.
  1. Escolha peças com diferentes materiais – Além de mostrar que você tem aptidão com diferentes tipos de tecidos, compor uma ordem com peças de cada composição pode interessar ainda mais o avaliador. Por isso, seja com couro, seda ou jérsei, foque em diversificar o conteúdo.
  1. Inclua fotografias de peças físicas – Mostrar produções criadas por você é o objetivo do portfólio. Portanto, incluir fotografias de peças prontas pode agregar um profissionalismo a mais no conteúdo. Procure investir em imagens com boa resolução em um formato adequado para expor seus produtos e, se necessário, contrate um profissional qualificado para auxiliar nessa etapa.
  1. Quando necessário, acrescente legendas – Diversas informações são percebidas só com a ilustração do designer, no entanto, em alguns casos é importante adicionar pequenas legendas. Fazer com que o avaliador entenda cada detalhe das suas peças pode fazer toda a diferença na conquista da vaga. Por isso, quando necessário inclua informações sobre cores e tecidos, ou até mesmo o motivo de tais escolhas.

Seja para estudantes, recém-formados ou profissionais experientes na área, um bom portfólio é fundamental para demonstrar a qualificação do seu trabalho. Se você não tem formação na área mas tem muito interesse no assunto, não deixe de conferir o curso Superior em Design de Moda do Senac/SC: http://portal.sc.senac.br

 

Entenda o que são DesignOps e aplique na sua empresa

Design requer criação e inovação a todo momento. Mas quando essa função passa a ser exercida em grupo, é importante buscar métodos de organização que consigam aprimorar a eficiência do processo de desenvolvimento da atividade. Por isso, o DesignOps é uma novidade cada vez mais adotada por empresas do setor, pois por meio do gerenciamento e investimento em tecnologias é possível  encontrar bons resultados.

Afinal, o que são DesignOps?

Diante de tantas etapas necessárias para oferecer um produto de qualidade, o DesignOps surgiu como uma forma de otimizar processos e diminuir o tempo de entrega dos resultados. Imagine uma empresa com 40 funcionários, onde cada um atua de um modo específico dentro da sua função, essa operação parece eficiente para você? Certamente não! Agora substitua a mesma por outra que pense como um time, trabalhando em conjunto com acesso a tecnologias avançadas que busquem o melhor fluxo de produção.

A segunda opção é um exemplo de um grupo que atua com base no DesignOps. Nesta equipe o objetivo é criar um time capacitado, trabalhando em harmonia e eliminando processos ineficientes. Nesse caso, todas as ferramentas que possam agilizar as etapas e melhorar os resultados são disponibilizadas, como cursos de capacitação e tecnologias superiores. Para isso, o DesignOps planeja e define todas as necessidades e opções que devem ser incorporadas para compor um time saudável.

Por que é importante adotar essa ideia?

Para pensar em benefícios é interessante analisar novamente os possíveis resultados do time descrito anteriormente, que trabalha de forma individual sem um planejamento focado em melhorias. Algumas consequências desse processo podem ser o atraso nas entregas, a elevação do custo de produção e o pouco aprimoramento de ideias que poderiam ser compartilhadas. Com um grande grupo de pessoas atuando em conjunto, a busca pelo fluxo de trabalho eficiente deve ser constante, e é nesse aspecto que o DesignOps faz a diferença.

Com um profissional disponível para esse gerenciamento é possível verificar a melhor forma de agilizar as etapas de cada um dos envolvidos no processo, propondo oportunidades e envolvendo o grupo com a empresa. Ao observar a insuficiência de uma determinada habilidade, por exemplo, o empregador pode oferecer palestras na tentativa de aperfeiçoar tal função. Através da busca por uma equipe eficiente, otimizando processos e corrigindo erros os resultados podem ser superiores, assim como os custos de produção menores.

O DesignOps é eficiente apenas em grandes empresas?

Ao contrário do que se possa concluir, esse modelo de planejamento não é desenvolvido apenas para grandes estruturas, um único projeto de design pode ser realizado com base nessa ideia. Nesse caso, ao invés de visualizar o grupo por inteiro, é importante encontrar as melhores formas de executar as propostas em pequena escala, com tecnologias e gerenciamento da equipe.

O que é preciso para ser um profissional de DesignOps?

Organização é o ponto principal dessa função. Além de ser um designer organizado, é essencial ter experiência suficiente da área que possa contribuir e fazer diferença na execução de projetos de qualidade! Para isso, a função se baseia em organizar e acompanhar o time, observando as suas necessidades e planejando a automatização de tarefas que possam atender prazos e oferecer resultados. Dessa forma, com esse auxílio, a própria equipe vai adotar uma mentalidade voltada para o DesignOps e adotar novas possibilidades para o seu fluxo de trabalho.

Você já conhecia esta técnica? Aplica o DesignOps na sua empresa? Por meio  de poucas mudanças é possível conseguir grandes resultados! Procure conversar com a sua equipe e experimente implementar essa ideia nos seus próximos projetos!

Passo a passo de como criar uma marca para o seu negócio

Você já pensou em criar uma marca? Então, deve ter notado que esse processo é composto por diversas etapas. Desde a criação da identidade até a forma de melhor divulgá-la, todas as funções ajudam a tornar a marca mais conhecida, e isso é o que chamamos de branding. Utilizado como uma forma de gerenciamento da marca, ele é composto por um conjunto de funções que possam  deixá-la mais próxima do público. Por isso, é preciso muita atenção em cada etapa dessa construção. Com planejamento e boas ideias é possível oferecer ao consumidor uma opção atrativa que transmita a mensagem desejada.  

Procure estabelecer um objetivo específico:

Antes de qualquer decisão, é fundamental que o foco do seu negócio esteja bem definido. Se o objetivo é abrir um pequeno comércio de um nicho específico, por exemplo, lembre de focar nesse segmento durante a criação da identidade. Dessa forma, a sua marca ficará conhecida por ser especializada em um produto ou serviço específico, facilitando a confiança do consumidor sobre o produto.

Comece definindo um nome:

Parece simples, mas a escolha do nome é algo que vai acompanhar a marca durante toda a sua trajetória. Por isso, é importante defini-lo pensando em uma pronúncia fácil com um significado representativo. Ao listar as opções, pesquise se já existem outras registradas no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), isso é importante para protocolar o seu processo futuramente. O registro é uma etapa fundamental para que o produto ou serviço seja exclusivo e protegido de cópias.

A identidade visual :

Após a criação de um nome, definir uma identidade que possa ser reconhecida como parte da sua marca faz toda a diferença. Pense em qualquer negócio bem sucedido, todos eles costumam possuir uma logo significativa e marcante. Para isso, é fundamental que todo o processo seja realizado por um profissional ou equipe capacitada, alguém que possa deixar a aparência do seu negócio mais atrativa e com isso, passar uma confiança maior para quem pretende adquirir o produto ou serviço.

Cuidado com as cores:

Seja na criação da marca ou no planejamento do ambiente, a escolha das cores é outra etapa que deve ser bem analisada. Isso porque, cada uma delas consegue provocar determinadas emoções  ao público. Comece a observar as cores a sua volta, tons de vermelho, laranja e amarelo são mais utilizados para o ramo alimentício. Tons de verde e azul são usados para coisas mais sóbrias e sérias, como hospitais e estabelecimentos voltados para a área da saúde. Existem diversas teorias e paletas de cores que podem ser aplicadas de acordo com os diferentes setores de negócios.

Com um nome escolhido, identidade visual planejada e os objetivos da marca bem definidos, certamente você está pronto para registrar o seu negócio e começar a concretizar novos planos. Para saber mais como melhorar o branding da sua empresa, procure os cursos do Senac SC: http://senac.sc/8KxY0j

7 dicas para preparar a sua casa para o inverno

O frio está chegando aos poucos e preparar a casa para uma nova estação pode tornar esse ambiente mais aconchegante. Texturas, cores, plantas e outras mudanças pontuais transformam a sua casa em um refúgio quentinho e alegre no inverno.

Esse conforto e sensação de bem-estar tem um nome ainda sem tradução para o português: hygge. O termo é compatível a um estilo de vida escandinavo, ligado a felicidade. O hygge se fundamenta em aproveitar os ambientes da melhor maneira, mesmo no frio. Confira nossas dicas para decorar a sua casa neste inverno:

  1. Invista em tapetes

Além de proteger o contato direto dos nossos pés com o chão gelado, os tapetes transformam qualquer espaço num ambiente confortável. Podem ser grandes aliados para melhorar o uso do espaço da sua sala de estar. Se você preferir algo mais ousado, tapetes estampados são uma ótima maneira de mudar o estilo do ambiente.

  1. Não tenha medo das cores

Cores também podem deixar a casa mais aconchegante, salas monocromáticas são ambientes ideais para relaxar e recarregar as energias. Para o inverno é bom apostar em cores quentes, como laranja, rosa ou coral que ajudam a deixar as áreas menos frias e sóbrias.

  1. Use objetos antigos

Reserve um espaço para deixar à mostra objetos antigos, como discos e livros que tenham valor sentimental ou algo que você comprou naquela viagem sensacional que fez nas férias. Salas com histórias para contar são charmosas e acolhedoras.

  1. Coloque plantas

Aproveite as tendências de urban jungle e crie um jardim. Comece com plantas pequenas e fáceis de cuidar. Investir em vasos e suportes contribui nas opções para decorar a casa. Mas lembre-se que plantas exigem uma certa atenção, pois precisam de luz solar, água e cuidados diferenciados conforme a espécie.

  1. Use texturas diferentes

Investir em elementos feitos à mão, como tricô e crochê, e elementos de madeira de demolição são ótimas ideias para preparar a casa para o inverno. Aproveite que franjas de decoração estão em alta e dê um toque especial à sua sala.

  1. Faça uma mistura de estampas

O contraste é o segredo para amenizar a fusão de estampas. Você pode usar um mix de tapetes de tons escuros combinando com itens geométricos. Também vale investir em acessórios, como almofadas e mesinhas com cores diferentes.

  1. Preencha as paredes

Aproveite um cantinho para colocar diversos quadros, literalmente do chão ao teto. Use esse espaço como inspiração para sua criatividade ou até como um incentivador para olhar aquela paisagem que você adoraria conhecer. Você pode adotar um tom mais clássico e utilizar o preto e branco para harmonizar ou pode abusar das cores, o importante é usar o espaço.

Preparar a sua casa para o inverno faz com que o ambiente seja mais confortável e relaxante para você mesmo. Conte para nós, como você prepara sua casa para o inverno? Alguma dica que não citamos? Comente!

Armário-cápsula: o que é e como essa tendência influencia o consumo?

Quantas vezes, ao passear em um shopping, você se deparou com uma promoção supostamente imperdível e acabou levando para casa roupas que nem precisava? Essas famosas compras por impulso resultam em um guarda-roupa cheio de peças que não combinam entre si e que trazem a sensação de “eu não tenho nada para vestir”. E é nesse contexto que vem se popularizando o armáriocápsula. Mas você sabe do que se trata essa tendência?

Continue lendo

O que você precisa saber sobre paisagismo para ser um bom designer de interiores?

Qual foi a última vez que você esteve em contato com a natureza? Dependendo da região em que você mora, a resposta pode variar. No entanto, uma coisa que é certa é que, com o desenvolvimento das cidades, é cada vez maior o tempo que passamos longe de áreas verdes. E esse é um dos motivos pelo qual projetos de design de interiores têm, frequentemente, incluído o paisagismo na decoração de apartamentos.

Continue lendo

10 anos do Kindle: os 10 clássicos brasileiros que você deveria ler

Há 10 anos, nascia a primeira versão do Kindle, o leitor de livros digitais mais famoso da atualidade. Suas inovações tecnológicas transformaram o modo com que as pessoas enxergam e consomem literatura. Se antigamente eram necessárias infindáveis prateleiras para guardar tantos livros, hoje em dia eles estão todos dentro de um dispositivo que não pesa mais que 200 gramas.

Continue lendo